Crescente Fértil

A crescente fértil é um região situada entre o rios Jordão, Tigres, Eufrates e Nilo.

A crescente fértil surgiu como conceito depois de vários milênios, em que os seres humanos desenvolveram a agricultura e o pastoreio. Graças a isso, a população pode crescer e substituir o nomadismo pela vida sedentária.

Aos poucos, as relações sociais foram se tornando mais complexas. Como resultado, surgiram as primeiras cidades, o comércio, a religião organizada, a escrita e o Estado.

Essas primeiras civilizações surgiram na região da Crescente Fértil. Devido a seu contorno, semelhante à forma da Lua na fase de quarto crescente, essa região tornou-se conhecida como Crescente Fértil.

crescente fértil
Imagem: Reprodução

A Crescente Fértil

A Crescente Fértil está localizado entre a Europa, a Ásia e a África. Na antiguidade, existiam na região várias áreas férteis, que a tornaram um refúgio privilegiado para os grupos humanos que se deslocavam em busca de alimentos e de abrigo.

Irrigada pelo rio Jordão, pelo Eufrates, pelo Tigre e pelo Nilo, a região cobre uma superfície de cerca de 400.000 a 500.000 km2.

Ela estende-se das planícies aluviais do Nilo, continuando pela margem leste do Mediterrâneo, em torno do norte do deserto sírio e através da Península Arábica e da Mesopotâmia, até o Golfo Pérsico.

As civilizações que habitaram a região da Crescente Fértil foram:

  • Mesopotâmia;
  • Egito;
  • Hebreus;
  • Fenícios;
  • Persas.

As primeiras cidades foram formadas nas regiões da Mesopotâmia e do Egito, locais onde os homens passaram a se organizar em sociedade.

Nestas cidades surgiu o comércio, que no início era feito somente com os excedentes da produção, mas com o tempo se passou a plantar visando a venda e/ou a troca.

Nas recém constituídas cidades, os homens passaram a ser classificados de acordo com a função que exerciam (sacerdotes, ferreiros, agricultores, guerreiros, comerciantes, pescadores, professores, escribas, etc.).

As diferentes funções criaram diferenças sociais, afinal, uns tinham mais recursos do que os outros. A divisão do trabalho tornou necessária a organização do Estado e a criação de leis.

A região da Mesopotâmia

Mesopotâmia vem do grego e quer dizer “entre rios”. Desse modo, “Entre Rios” faz referência ao fato da região ficar entre os rios Tigre e Eufrates.

A localização privilegiada proporcionou à Mesopotâmia um solo muito fértil, responsável por duas colheitas anuais.

A fertilidade do solo permitiu o desenvolvimento da agricultura e da pecuária na região. Porém essa abundância ocasionou numa série de disputas pelo controle das terras beira rio.

Na Mesopotâmia, a formação das primeiras cidades foi muito parecida com a do Egito, mas com uma diferença muito importante, isto é, na região não existiu apenas um Estado centralizado, mas vários reinos que disputavam o controle da área.

Destes reinos podemos destacar, em ordem cronológica, sumérios, acádios, babilônicos, assírios e caldeus.

Referências

História – Divalte Garcia Figueira

História: Uma abordagem integrada – Nicolina Luiza de Petta, Eduardo A. Baez Ojeda

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Como referenciar este conteúdo

Bernardes, Luana. Crescente Fértil. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/crescente-fertil. Acesso em: 21 de October de 2020.

Teste seu conhecimento

01. [UFSM]:

A região da Mesopotâmia ocupa lugar central na história da humanidade. Na Antiguidade, foi berço da civilização sumeriana devido ao fato de:

a) ser ponto de confluência de rotas comerciais de povos de diversas culturas.

b) ter um subsolo rico em minérios, possibilitando o salto tecnológico da idade da pedra para a idade dos metais.

c) apresentar um relevo peculiar e favorável ao isolamento necessário para o crescimento socioeconômico.

d) possuir uma área agricultável extensa, favorecida pelos rios Tigre e Eufrates.

e) abrigar um sistema hidrográfico ideal para a locomoção de pessoas e apropriado para desenvolvimento comercial.

 

02. [UFC]: Leia com atenção as afirmativas a seguir sobre as condições sociais, políticas e econômicas da Mesopotâmia.

I – As condições ecológicas explicam por que a agricultura de irrigação era praticada através de uma organização individualista.

II – Na economia da Baixa Mesopotâmia, a fome e as crises de subsistência eram frequentes, causadas pela irregularidade das cheias e também das guerras.

III – Na Suméria, os templos e ziggurats foram construídos graças à riqueza que os sacerdotes administravam à custa do trabalho de grande parte da população.

IV – A presença dos rios Tigre e Eufrates possibilitou o desenvolvimento da agricultura e da pecuária e também a formação do primeiro reino unificado da história.

Sobre as alternativas anteriores, é correto afirmar:

a) I e II são verdadeiras.

b) II e IV são verdadeiras.

c) I e IV são verdadeiras.

d) I e III são verdadeiras.

e) II e III são verdadeiras.

01. [UFSM]

Resposta: D

Marcando o período da história em que observamos o nascimento das chamadas “sociedades hidráulicas”, a Mesopotâmia atraiu diversas civilizações em virtude de seus amplos recursos hídricos. Com o desenvolvimento agrícola ali observado, podemos ver a formação de vários centros urbanos, onde temos a elaboração de complexas atividades culturais, religiosas e políticas.

 

02. [UFC]

Resposta: E

II – Mesmo contando com grandes recursos hídricos, observamos que o território mesopotâmico não tinha uma disponibilidade de terras regular. Não por acaso, essa região foi palco de vários conflitos militares que abriram portas para a alternância de poder entre diferentes civilizações. I

II – Entre os sumérios, podemos observar que os templos e ziggurats tinham a dupla função de servir como centro de adoração religiosa e estocar a produção agrícola local. Não raro, muitos sacerdotes ampliavam o seu poder ao administrar a produção alimentar e receber várias ofertas em troca de seus préstimos religiosos.

Compartilhe

TOPO