American Way Of Life

O American Way Of Life, ou no português Estilo de Vida Americano, é um conceito criado durante o pós-crise de 29 e guerra fria.

O American Way Of Life (Estilo de Vida Americano, em português) foi um conceito atribuído a um modelo de comportamento nos EUA. Após a crise de 29, o país voltou a crescer. Por volta dos anos de 1933, a economia estava quase consolidada novamente.

O apogeu, no entanto, se deu no período que antecedeu a Segunda Guerra Mundial e seu fim, durante a Guerra Fria. Esse modelo e conceito se pautava na vida consumista, no padrão da sociedade capitalista e na crença na democracia e na liberdade.

Características do American Way Of Life

O American Way Of Life era direcionado a um estilo de vida em que a felicidade transparecesse. Um cotidiano feliz, vitorioso, onde a liberdade impera e o convívio social era pleno.

Segundo o conceito, a felicidade atribuída pelo Estilo de Vida Americano estaria diretamente interligado às posses materiais. Ou seja, o consumismo seria a base da proporção da realização pessoal.

american way of life
(Imagem: Reprodução)

O consumismo abrupto se tornou uma “válvula de escape”, a fim de deixar de lado os horrores do período que concebeu as Guerras (seja a Primeira, a Segunda ou a própria Guerra Fria contra o avanço comunista).

Além do mais, o American Way Of Life só foi uma possibilidade graças ao largo avanço tecnológico do país. O poder bélico, o arsenal de guerra e o desenvolvimento a cada conflito permitiu que muitas das tecnologias, orgulho, felicidade, tranquilidade e realização chegasse aos lares dos norte-americanos.

Portanto, não fora apenas o consumo material que satisfez o Estilo de Vida Americano. A proporção de segurança, a alimentação do poderio e desenvolvimento bélico proporcionava sentimentos positivos de orgulho à nação.

Larga escala de produção e felicidade associada ao consumo

A fabricação em massa de produtos, no entanto, possibilitou um estouro do consumismo. Em larga escala, e com uma linha de crédito baixíssima, os americanos aproveitaram os anos dourados para a compra de bens materiais, por várias vezes supérfluos.

Os automóveis foram as principais alvos da mira consumista. O objeto de desejo sofreu um processo de valorização incrível por parte das pessoas. O mercado, inclusive, atendeu a demanda e baixou o preço com o empresário Henry Ford.

A televisão e o rádio começam a ser itens indispensáveis, necessários para o cotidiano. Com as mídias avançando, sobretudo a TV, a divulgação de um novo padrão de beleza começa a ser modelado.

Junto a este padrão de beleza, o padrão de consumo, de comportamento e de vida começa a ser pautado pela mídia e instituições. É por esse motivo que os Estados Unidos vendem a ideia de felicidade (Abra a Felicidade Quem Tem Aí!) como realização apenas por meio do consumo material.

O American Way Of Life no Brasil

O Brasil acabou sofrendo inundadas influências do estilo de vida americano. A prática estadunidense não demorou para chegar ao maior país da América Latina.

A política da Boa-Vizinhança, proposta pelos EUA e aceita pelo então presidente Getúlio Vargas, abriu as portas para os Estados Unidos enviar produtos domésticos (aqueles supérfluos) para o país.

O American Way Of Life passa a ser exportado, tal como o comércio externo de produtos. Os bens de consumo, que estavam ao alcance apenas de uma pequena parcela de um país pobre como o Brasil, incentivaram as aberturas de crédito.

Com isso, a única saída para alcançar o Estilo de Vida Americano, era endividar-se para alcançar o padrão de vida vendido. Com o fim da Grande Guerra e a aproximação do Brasil aos países ocidentais, o Estilo de Vida Americano começa a ficar mais evidente.

O ápice foi o primar pelo consumo, sobretudo com a importação de televisores, carros, refrigerantes, chicletes e etc.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO