União Europeia

Dentre os blocos econômicos, talvez a União Europeia seja o mais expressivo.

A União Europeia foi criada pelo Tratado de Maastricht, produto de vários encontros e reuniões entre os anos de 1991 e 1993.

“Esse documento transformou a Comunidade Econômica Europeia (CEE) em União Europeia (UE), constituída por três instituições centrais: o Parlamento Europeu, que representa os cidadãos e eleito por eles; o Conselho da União Europeia, que representa os governos e cuja presidência é rotativa entre os países-membros; e a Comissão Europeia, que atende aos interesses gerais do bloco.” (SILVA, 2013, p. 90)

A integração da UE perpassa a questão da livre circulação de capitais, pois ainda no ano de 2002 houve a materialização de uma das propostas do bloco, o uso da moeda única, o euro. O euro passou a ser o concorrente direto do dólar estadunidense. Veja no mapa abaixo quais os países integrantes da União Europeia:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

São países integrantes e seus respectivos anos de adesão ao grupo: Alemanha (1952); Áustria (1995); Bélgica (1952); Bulgária (2007); Chipre (2004); Croácia (2013); Dinamarca (1973); Eslováquia (2004); Eslovénia (2004); Espanha (1986); Estónia (2004); Finlândia (1995); França (1952); Grécia (1981); Hungria (2004); Irlanda (1973); Itália (1952); Letónia (2004); Lituânia (2004); Luxemburgo (1952); Malta (2004); Países Baixos (1952); Polónia (2004); Portugal (1986); Reino Unido (1973); República Checa (2004); Roménia (2007) e Suécia (1995).

1. Surgimento da UE

Após o término da Segunda Guerra Mundial, com a devastação da Europa, vários países estavam atravessando uma terrível crise, perdendo sua influência frente ao contexto mundial. Naquele momento, os Estados Unidos e a União Soviética passaram a disputar a hegemonia global. A disputa entre ambos formou o que se convencionou chamar de “Guerra Fria”, criando uma ordem bipolar de poder mundial. A União Soviética exercia domínio sobre a Europa Oriental (Socialismo Soviético), já os Estados Unidos exerciam poder sobre a Europa Ocidental (Capitalismo Estadunidense).

“No início da década de 1950, a Europa Ocidental já estava reconstruída. Mas precisava resolver alguns problemas, como a ameaça de novos conflitos e a dependência de sua economia […] em relação aos Estados Unidos.” (TAMDJIAN, 2012, p. 255)

Com a finalidade de libertação do domínio estadunidense, bem como de expansão e desenvolvimento, em 1957 é criada a Comunidade Econômica Europeia (CEE). O objetivo desta era o de eliminar as restrições comerciais entre os países, bem como promover e aprofundar a integração já existente. O sucesso da comunidade foi evidente. Anos mais tarde, em 1992, já com o fim da divisão bipolar mundial, com a queda do Muro de Berlim em 1989, foi assinado o documento que criava a União Europeia.

2. São pilares da UE

A União Europeia recebe destaque tanto pela quantidade de países membros, quanto pela forma como o bloco é organizado. Um dos pilares da União Europeia é a livre circulação de bens, de serviços e de capitais, o que também ocorre em outros blocos econômicos. O destaque da UE especificamente é quanto à livre circulação também de pessoas. Estes pilares são abrangidos em conformidade com os níveis de integração entre os países do bloco.

Desde a criação do bloco, com a constituição de um mercado único de bens e serviços, a União Europeia conseguiu abranger mais de vinte países, e milhões de pessoas, as quais possuem liberdade também de circulação entre os países integrantes (mobilidade, moradia, etc.). Além disso, a ideia de uma moeda única, o euro, possibilitou a formação de um mercado unificado e forte. É relevante frisar também que a UE trabalha com causas humanitárias, intervindo em questões de fragilidade social. Para conhecer mais acerca do trabalho humanitário da União Europeia, acesse o link:
http://ec.europa.eu/echo/files/media/publications/consensus_pt.pdf

A integração da União Europeia é tamanha que foi criado, inclusive, um Banco Central Europeu, com a finalidade de administração da economia. Aos cidadãos europeus, a união entre os países representa um modo de vida diferenciado, especialmente com relação à moeda única utilizada.

“Usa-se a mesma moeda para pagar um bilhete de metrô em Madri, um almoço em Roma, um sapato em Paris, etc.” (TAMDJIAN, 2012, p. 260)

Existem alguns órgãos que regulam as relações na UE, como o Parlamento Europeu, que fica em Estrasburgo, na França; o Conselho da União Europeia e a Comissão Europeia, que fica em Bruxelas. E, como já dito, também o BCE (Banco Central Europeu), em Frankfurt, na Alemanha.

Referências

SILVA, Edilson Adão Cândido da (Org.). Geografia em rede. 3º ano. São Paulo: FTD, 2013.
TAMDJIAN, James Onnig (Org.). Geografia: estudos para a compreensão do espaço – o espaço do mundo. São Paulo: FTD, 2012.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [UFPB/2006] Sobre o contexto atual do bloco econômico denominado União Européia (UE), identifique a(s) proposição(ões) verdadeira(s):

01. A Turquia, nação de maioria muçulmana, vem sofrendo uma série de objeções, por parte do governo austríaco, à sua possível entrada na União Européia. A Áustria sugere que a Turquia tenha o status, apenas, de parceiro associado.
02. A admissão da Turquia na União Européia estenderia esse bloco econômico para dentro do Continente Asiático, estabelecendo fronteira direta com países como o Irã e o Iraque, que possuem características culturais muito distintas da Europa Ocidental.
04. Os 25 países que compõem a União Européia encontram-se em intensas discussões e debates com o objetivo de eliminar as taxas alfandegárias e ampliar as trocas comerciais entre os países que integram esse bloco. Mas posições políticas de países como a Alemanha e a Holanda barram esse projeto, ficando mais distante a possibilidade do livre comércio europeu.
08. A tentativa de aprovar uma Constituição única para todos os países membros da União Européia não obteve sucesso devido à realização de plebiscitos na França e na Holanda, nos quais a maior parte da população votou contra essa proposta.
16. Os últimos países a serem admitidos na União Européia foram: Polônia, República Checa, Hungria, Eslovênia, Eslováquia, Lituânia, Letônia, Estônia e as Ilhas de Chipre e Malta. Essa iniciativa faz parte das políticas estratégicas da União Européia, para minimizar o poderio soviético diante da Guerra Fria.
A soma dos valores atribuídos à(s) proposição(ões) verdadeira(s) é igual a ___

2. [Enem/2009] Após a Segunda Guerra Mundial, a Europa Ocidental toma consciência de sua deterioração econômica e percebe que está diante de um problema: o isolamento nacional põe cada nação sob a dependência econômica direta dos Estados Unidos, que desempenham, ao mesmo tempo, o papel de aliado militar. A solução encontrada foi a integração de alguns países europeus através:

a) Do EFTA ( Associação europeia de livre comércio)
b) Do COMECOM (Conselho de assistência econômica militar)
c) Da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte)
d) Do MCE (Mercado Comum Europeu) que anos depois se tornaria a União Europeia.

1. [11]

As afirmativas 1, 2 e 8 estão corretas. Uma das maiores discussões no contexto da União Europeia é quanto à adesão da Turquia no bloco. A questão causa algumas discórdias entre os países que apoiam e os que rejeitam o ingresso. Dentre os pontos defendidos pelos opositores ao ingresso da Turquia está a questão cultural, a qual, segundo eles, é muito diferente do restante dos países membros. Assim, defende-se que a Turquia permaneça como parceiro associado apenas. Já quanto à criação de uma Constituição única, alguns países se voltaram contra a proposta, pois alegavam que estavam sendo modificadas questões essenciais da UE, as quais comprometeriam a integração do grupo.

2. [D]

Antes da constituição da União Europeia, houve a formação do Mercado Comum Europeu, com a finalidade de expansão econômica da Europa e libertação da dependência em relação aos Estados Unidos. Com a evolução das discussões, e a necessidade de maior integração, o grupo inicial foi incrementado, formando a União Europeia.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO