Transporte aéreo

O transporte aéreo é aquele realizado por aeronaves. Hoje em dia é o meio de transporte considerado mais seguro e eficiente, podendo ser de três tipos: comercial, militar e geral.

O transporte aéreo é elevado no início do século XX, quando surgiram os motores de explosão, que deram início a era do automóvel. Vinte anos mais tarde apareceu o transporte aéreo, que teve sua notabilidade após a Primeira Guerra Mundial, e hoje é considerado o transporte mais rápido e moderno do mundo.

Características do transporte aéreo

O transporte aéreo possui uma maior rapidez, sendo ideal para transportar mercadorias de urgência. Além disso, é apropriado para cargas de pouco peso/volume e de alto valor.

No transporte aéreo é permitido transportar qualquer tipo de mercadoria, desde que não ofereça risco à aeronave, aos passageiros, aos operadores, às cargas, ou a quaisquer outros envolvidos.

Dentre as vantagens desta modalidade de transporte destacam-se a velocidade, confiabilidade e a eficiência.

O fato da movimentação altamente mecanizada, reduz o índice de avarias e possui fácil acesso a regiões inatingíveis por outros transportes.

transporte aéreo
(Imagem: Reprodução)

O sistema aéreo

As aerovias

O transporte aeroviário tem suas vias calculadas, constituindo-se em rotas, localizadas através de satélites geo-estacionários.

As regras de operação são discutidas e implementadas pela Organização da Aviação Civil Internacional – OACI, complementadas pelos regulamentos internos dos países, que organizam e disciplinam a utilização de seu
espaço aéreo.

Nas rotas muito frequentadas, regras mais restritas de navegação foram impostas, com determinação de horários, altura de voo e faixas de largura bem delimitada, constituindo as chamadas aerovias, com igual procedimento na aproximação dos aeroportos, formando-se verdadeiros cilindros virtuais de aeronaves em espera de aterrissagem.

As aeronaves

As aeronaves são propriedades de empresas comerciais de aviação, organismos governamentais, pessoas físicas ou jurídicas.

Constituem território do país em que estão registradas. Sua passagem e aterrissagem por outras nações, no caso de aeronaves comerciais, obedecem à Convenção de Chicago. E podem ser de uso militar, geral e comercial.

Breve histórico da aviação no Brasil

A aviação iniciou-se no Brasil com um voo de Edmond Plauchut, em 22 de outubro de 1911. O aviador, que fora mecânico de Santos Dumont em Paris, decolou da Praça Mauá, voou sobre a avenida central e caiu no mar, da altura de 80 (oitenta) metros, ao chegar à Ilha do Governador.

Em 17 de junho de 1922, os portugueses, Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegaram ao Brasil, concluindo seu voo pioneiro, da Europa para a América do Sul.

E em 1927 seria terminada com êxito, a travessia do Atlântico, pelos aviadores brasileiros, João Ribeiro de Barros e Newton Braga, no avião “Jaú”, hoje recolhido ao Museu Ipiranga.

A aviação comercial brasileira teve início em 1927. A primeira empresa no Brasil a transportar passageiros foi a “Condor Syndikat”, no hidroavião “Atlântico”.

Segundo a professora Maria Bernadete Miranda, A extensão do país e a precariedade de outros meios de transportes fizeram com que a aviação comercial tivesse uma expansão excepcional no Brasil.

Dessa forma, em 1960, o país tinha a maior rede comercial do mundo em volume de tráfego depois dos Estados Unidos.

Referências

Aspectos Históricos da Aviação Civil Brasileira – Maria Bernadete Miranda
UTFPR: Apostila de sistemas de transportes – Márcia de Andrade Pereira, Eloá Lendzion (org.)

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

A soma do tempo gasto por todos os navios de carga na espera para atracar no porto de Santos é igual a 11 anos – isso, contando somente o intervalo de janeiro a outubro de 2011. O problema não foi registrado somente neste ano. Desde 2006 a perda de tempo supera uma década.

Folha de S. Paulo, 25 dez. 2011 (adaptado).

A situação descrita gera consequências em cadeia, tanto para a produção quanto para o transporte. No que se refere à territorialização da produção no Brasil contemporâneo, uma dessas consequências é a

a) realocação das exportações para o modal aéreo em função da rapidez.

b) dispersão dos serviços financeiros em função da busca de novos pontos de importação.

c) redução da exportação de gêneros agrícolas em função da dificuldade para o escoamento.

d) priorização do comércio com países vizinhos em função da existência de fronteiras terrestres.

e) estagnação da indústria de alta tecnologia em função da concentração de investimentos na infraestrutura de circulação.

Resposta: C
O problema nos portos brasileiros, relacionado com sua ineficiência estrutural, é um dos principais problemas que atingem as exportações brasileiras. Essa questão afeta principalmente os produtos agrícolas, que necessitam mais do transporte hidroviário para o escoamento de suas produções para o mercado estrangeiro.

2. [UFMG]

Considerando-se as redes que compõem as diferentes modalidades de transporte no Brasil, é INCORRETO afirmar que:

a) as ferrovias são, em sua grande extensão, utilizadas sobretudo para o escoamento da produção mineral e subutilizadas no transporte interurbano e inter-regional de passageiros.

b) as hidrovias tornariam o preço do produto agrícola brasileiro mais competitivo no mercado internacional, mas têm sua implementação dificultada pelo custo e pelos impactos ambientais decorrentes de seus projetos.

c) as rodovias, principal modalidade de transporte do país, assumem, com alto custo, elevada tonelagem no deslocamento de mercadorias diversas e maior percentual de tráfego de passageiros.

d) o transporte aéreo registra um uso mais intenso nas regiões do país onde há grandes distâncias entre os principais centros urbanos e fraca densidade das redes rodoviária e ferroviária.

Resposta: D

o transporte aéreo apresenta maior uso em cidades consideradas próximas. Destaque para o trecho com maior fluxo: Rio-São Paulo. Isso ocorre em razão da elevada concentração populacional e econômica do país.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO