Revolução Verde

A Revolução Verde foi o grande momento de investimento em pesquisas sobre sementes, técnicas novas de fertilização e utilização de maquinário moderno.

A Revolução Verde foi uma expressão cunhada, de certa forma, em 1966, em uma conferência realizada na cidade de Washington. Inspirada no termo Revolução Industrial, ocorrida na Inglaterra, ela tinha certas relações com a mesma. Afinal, essa terminologia remete ao processo que vigora a mordernização do setor agrícola. Esta revolução começa a ocorrer a curtos passos no final da década de 1940.

Em suma, esta revolução abrangia o conjunto de inovações tecnológicas que tinham por objetivo potencializar o setor agrícola. O México foi o primeiro país a implantar os conceitos, seguido de perto por outras nações vizinhas. As medidas impostas e alterações realizadas potencializaram o setor de produção alimentícia, gerando lucros.

Dessa forma, o processo trouxe consigo inúmeras inovações, tanto tecnológicas quanto de pesquisa. Visando uma maior produtividade, e consequentemente maior lucro, algumas medidas polêmicas foram tomadas. Em prol do desenvolvimento abrupto, pesquisas envolvendo sementes, novas formas de fertilização e o uso de agrotóxicos foram adotados.

revolução verde
(Imagem: Reprodução)

Como se deu o processo da Revolução Verde

O processo ocorre de forma acelerada. Sementes acabaram sendo desenvolvidas para específicos tipos de climas ou tipos de solo. Além disso, mutações começam a aparecer, as máquinas começam a ingressar no setor e agrotóxicos são usados de forma desenfreada.

O percurso da Revolução

O precursor do movimento foi o norte-americano, e agrônomo, Norman Borlaug. Foi na década de 1930 que ele dá início às pesquisas envolvendo descobrir variedades de espécies resistentes às variações do clima.

Buscando pesquisar formas que o trigo resistisse a diferentes climas, solos e etc, Bourlag atraiu atenção da comunidade agrícola. Foi convidado, então, a coordenar o Programa de Produção Cooperativa de Trigo no México. A fundação americana, Rockefeller, deu ainda suporte financeiro para as pesquisas.

O programa teve amplo sucesso no México. O país que antes era um importador de trigo, passou a ser autossuficiente na produção. Países, observando o sucesso mexicano, passam a implementar os programas em suas plantações. Nações de terceiro mundo com foco na produção agrícola foram os principais (Brasil, Índia e Fipinas).

Borlaug, então, ganha o Prêmio Nobel da Paz, no ano de 1970. A ele foi atribuída a premiação por sua contribuição na diminuição das taxas de habitantes famintos no planeta. A premiação e o sucesso mundial fizeram com que até mesmo países desenvolvidos passassem a usar as técnicas de Borlaug. Os Estados Unidos, por exemplo, passaram a ser grandes exportadores de trigo nos anos de 1960.

Pontos positivos e negativos

Tanto pontos positivos como negativos da Revolução Verde foram percebidos. Entre os positivos podem ser citados:

  • Potencialização da produção;
  • Diminuição nas taxas de fome;
  • Barateamento de alimentos;
  • Eficiência no campo;

Já os pontos negativos seriam:

  • Esgotamento do solo;
  • Alterações no ecossistema vigente;
  • Priorização ao latifúndio e menosprezo à agricultura familiar;
  • Desmatamento;

Assim, o desenvolvimento das técnicas trazidas pela Revolução Verde foram, sim, importantes. A irrigação, por exemplo, foi um grande avanço no setor. Contudo, a adoção de diversas substâncias nocivas ao organismo, os latifúndios, o desmatamento e diversas outras interferências causam desconforto. Afinal, qual o real preço do desenvolvimento agrícola?

Referências

A Fome: Crise ou Escândalo? – Melhem Adas

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [ENEM]

Charge sobre os alimentos transgênicos
Charge sobre os alimentos transgênicos

Na charge, faz-se referência a uma modificação produtiva ocorrida na agricultura. Uma contradição presente no espaço rural brasileiro derivada dessa modificação produtiva está presente em:

a) Expansão das terras agricultáveis, com manutenção de desigualdades sociais.

b) Modernização técnica do território, com redução do nível de emprego formal.

c) Valorização de atividades de subsistência, com redução da produtividade da terra.

d) Desenvolvimento de núcleos policultores, com ampliação da concentração fundiária.

e) Melhora da qualidade dos produtos, com retração na exportação de produtos primários.

 

02. [UFF] A “Revolução Verde”, implementada em países latino-americanos e asiáticos nos anos 1960 e 1970, tinha como objetivo suprimir a fome e reduzir a pobreza de amplas parcelas da população. Entretanto, as promessas de modernização tecnológica da agricultura não foram cumpridas inteiramente, contribuindo para a geração de novos problemas e aprofundando velhas desigualdades.

Assinale a opção que faz referência a efeitos da “Revolução Verde”.

a) Coletivização das terras, implemento da agroecologia e expansão do crédito para os agricultores.

b) Distribuição equitativa de terras, difusão da policultura e uso de defensivos biodegradáveis.

c) Expansão de monoculturas, uso de técnicas tradicionais de plantio e fertilização natural dos solos.

d) Reconcentração de terras, crescimento do uso de insumos industriais e agravamento da erosão dos solos.

e) Estatização das terras agrícolas, trabalho em comunas e produção voltada para o mercado interno.

01. [A]

02. [D]

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO