Regiões e estados brasileiros

A divisão do território brasileiro foi feita seguindo diversos critérios.

1. Divisão regional do Brasil

Como regionalização é entendido o processo de divisão de um território em partes, segundo um ou mais critérios específicos. A divisão regional do Brasil oficializada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é aquela que compreende que o país possui cinco regiões, sendo elas: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, conforme mostra o mapa abaixo:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

Mas o Brasil não foi sempre dividido segundo as configurações atuais. No site do IBGE, é possível fazer download dos cartogramas da divisão regional do Brasil desde a década de 1940. Para isso, basta acessar o link: http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/cartogramas/evolucao.html. Veja no esquema abaixo as modificações ocorridas em relação à regionalização brasileira:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

Além destas divisões apresentadas, houve outras anteriores, não catalogadas pelo IBGE, mas que serviram de base para os estudos geográficos no país. Uma das primeiras foi efetuada no ano de 1913, agrupando os estados por sua proximidade geográfica. A divisão em questão separava o Brasil em: Setentrional, Norte Oriental, Central, Oriental e Meridional, conforme mostra o mapa:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

“Anos depois, surgiram outras divisões regionais do território brasileiro. As mais importantes eram acompanhadas por dados estatísticos, que passaram a ser estudados por muitos pesquisadores, preocupados em descrever detalhes de realidade do espaço geográfico.” (TAMDJIAN, 2012, p. 288)

É relevante ressaltar que naquele contexto a prioridade da Geografia ainda era a obtenção de elementos estatísticos e descritivos, e não se levava tanto em consideração os aspectos sociais, políticos e econômicos. Realidade esta que se alterou profundamente nos anos seguintes.

2. Dos estados brasileiros

Os estados são unidades administrativas da Federação brasileira, as quais possuem autonomia governamental e também política. Essa divisão não é estática e permanente, podendo ser alterada caso surja essa necessidade ou conveniência.

“No contexto brasileiro, os estados em geral assumem importantes funções administrativas, notadamente a administração dos sistemas públicos de segurança, educação básica e saúde, além da implantação e da gestão do saneamento básico.” (SILVA, 2013, p. 78)

Atualmente o território brasileiro é constituído por 26 estados, quais são: Acre (AC), Alagoas (AL), Amapá (AP), Amazonas (AM), Bahia (BA), Ceará (CE), Espírito Santo (ES), Goiás (GO), Maranhão (MA), Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS), Minas Gerais (MG), Pará (PA), Paraíba (PB), Paraná (PR), Pernambuco (PE), Piauí (PI), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Norte (RN), Rio Grande do Sul (RS), Rondônia (RO), Roraima (RR), Santa Catarina (SC), São Paulo (SP), Sergipe (SE) e Tocantins (TO). Além disso, tem-se o Distrito Federal (DF), contendo a capital do país, que é Brasília. Veja no mapa como estão divididos os estados no Brasil, compreendendo as cinco regiões geográficas do país:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

A configuração dos estados não foi sempre desta forma, havendo algumas alterações ao longo dos anos. Por exemplo: a cidade do Rio de Janeiro deixou de ser a capital do Brasil no ano de 1960, transformando-se em “estado da Guanabarra”, sendo que em 1975 foi incorporada ao estado do Rio de Janeiro, tornando-se sua capital. O estado do Mato Grosso foi dividido em 1979, constituindo o estado do Mato Grosso do Sul. No ano de 1988, Goiás foi dividido, formando o estado do Tocantins. Territórios federais, Rondônia, Amapá e Roraima, foram transformados em estados. E assim, várias outras modificações ocorreram, sendo que ainda existem propostas de modificações no território brasileiro. Observe no mapa as modificações:

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

Ainda existem propostas de alteração do território nacional, mas recentemente nenhuma destas foi acatada. As modificações ocorrem porque as fronteiras territoriais não são estáticas, mas como criações humanas, podem ser alteradas quando pertinente for. Existem múltiplos fatores envolvidos no processo de demarcação dos estados, como as questões físicas, políticas, culturais, econômicas e sociais.

Referências

LUCCI, Elian Alabi (Org.). Geografia: homem e espaço. 7º ano. 22ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
SILVA, Angela Corrêa da (Org.). Geografia: contextos e redes. São Paulo: Moderna, 2013.
TAMDJIAN, James Onnig (Org.). Geografia: estudos para compreensão do espaço – o espaço do Brasil. 7º ano. São Paulo: FTD, 2012.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [Cesgranrio/1994] A criação de Brasília, na década de 60, representa uma ação que teve fortes consequências na organização do espaço brasileiro. Assinale a afirmativa que NÃO corresponde a este fato.

a) Colocou em pleno Planalto Central uma cidade, hoje com cerca de 1,5 milhões de habitantes, de alto poder de consumo, ampliando o mercado regional.
b) Permitiu melhor planejamento econômico das diversas regiões brasileiras, feito de acordo com as peculiaridades de cada área (Sudene, Sudam – por exemplo).
c) Gerou uma malha rodoviária, que dela parte e que permitiu a melhor integração das diversas regiões brasileiras e do conjunto do território nacional.
d) Valorizou espaços como os do sul de Goiás, Triângulo Mineiro, leste de Mato Grosso, que desenvolveram suas cidades e sua produção.
e) Facilitou, a longo prazo, a ocupação agrícola das áreas dos cerrados, hoje um dos novos espaços incorporados a uma agricultura mais moderna

2. [Fuvest/1998] A divisão do território brasileiro em 3 grandes complexos regionais – Amazônia, Nordeste e Centro-Sul – tem a vantagem de caracterizar:

a) a Amazônia, com seus recursos explorados a partir de um planejamento global do Estado.
b) o Nordeste, como um pólo de atração demográfica, em decorrência do turismo.
c) o Centro-Sul, como região socioeconômica de poucos contrastes internos.
d) a homogeneidade econômica no interior de cada complexo, do ponto de vista agropecuário.
e) a especialidade do processo socioeconômico, considerando a gênese histórica de cada complexo.

1. [B]

A criação de Brasília não tem relação direta com as ações das superintendências, como Sudam e Sudene, as quais foram criadas para o desenvolvimento das regiões do Brasil, por meio de incentivos fiscais e financeiros.

2. [E]

Dentre as divisões regionais do Brasil, uma delas é a que tem como base a separação do território em três complexos regionais. Essa divisão levaria em consideração a gênese histórica das regiões, as quais possuem especificidades comuns, além de considerar também o processo socioeconômico. Essa divisão, por outro lado, geraria regiões de proporções enormes, o que poderia dificultar o planejamento das ações regionais nestas áreas.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO