Queimadas e incêndios florestais

As queimadas e incêndios florestais destroem as florestas que ajudam a regular o clima e a água no planeta, empobrecem o solo, matam os animais, secam as nascentes e ainda poluem o ar.

As queimadas e incêndios florestais são decorrentes da mudança global do clima é um dos maiores desafios que a humanidade já enfrentou.

A maior parte dessa mudança é causada pelo aumento da concentração do dióxido de carbono (gás carbônico, CO2) oriundo da queima de combustíveis fósseis (carvão e derivados de petróleo), desmatamentos, queimadas e incêndios florestais, dentre outros.

Dessa forma, as queimadas e incêndios florestais são responsáveis por grande parte das emissões brasileiras de CO2 para a atmosfera.

queimadas
Imagem: Reprodução

Pois, as queimadas e incêndios florestais destroem as florestas que ajudam a regular o clima e a água no planeta, empobrecem o solo, matam os animais, secam as nascentes e ainda poluem o ar, causando várias doenças.

Principais motivos para as queimadas na vegetação

Os Relatórios de Ocorrência de Incêndios, do Núcleo de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Prevfogo, demonstram as seguintes causas como principais para as queimadas e incêndios florestais:

Analfabetismo ambiental

Ocorre quando não se tem a noção das conseqüências dos atos de degradação ambiental que leva à insensibilidade e à negligência com o meio-ambiente.

Acidentais/incidentais

Fogueiras mal apagadas, queda de balões, rompimentos de cabos de alta tensão, emissão de fagulhas incandescentes (expelidas por escapamento de veículos pesados, nas rodovias, e fagulhas das via férreas), dentre outros.

Fenômenos naturais

Alguns incêndios são iniciados por raios, o que ocorre inclusive em unidades de conservação, pois, não há como controlar essa força da natureza.

Expansão das áreas rurais

O Relatório aponta que 31% das queimadas e incêndios florestai tiveram origem na “renovação” de pastagens (a pecuária baseada em desmatamento e queima apresenta-se então como o maior vetor de indução dos eventos).

Extrativismo

Por descuidos, fogueiras mal apagadas durante as atividades de exploração dos recursos naturais (caça, pesca retirada de madeira, coleta de frutos, raízes e outros), terminam causando verdadeiros incêndios florestais.

Fatores que contribuem com os incêndios florestais e queimadas

O risco e a facilidade de propagação do fogo são influenciados pelos seguintes fatores:

Climáticos

Baixa precipitação de chuvas, umidade relativa do ar baixa e outros fatores (ventos mais fortes, por exemplo) favorecem o início e a propagação do fogo na vegetação. Quanto menor a precipitação, mais a vegetação fica ressecada, facilitando a combustão.

incêndios florestais
Imagem: Reprodução

Topográficos

Quanto mais acidentado for um terreno (aclives e declives) mais rapidamente o fogo pode se alastrar. Regiões com inclinações acentuadas contribuem para regimes específicos de movimentação do ar (ventos, correntes de ar) que terminam contribuindo para a alimentação do fogo na vegetação.

Já as áreas planas, por sua vez, permitem ventos com maior velocidade (com conseqüente maior velocidade de propagação do fogo).

Tipos de combustível

A combustão e a propagação do fogo também dependem do material que está sendo queimado, a biomassa, isto é, o material orgânico (vegetação – troncos, galhos, folhas, cascas, raízes, musgos, frutos e outros) disposto no ambiente, que entra em combustão, vai determinar a natureza do fogo, a depender da sua constituição química e seu estágio de decomposição, umidade e temperatura do material.

Efeito econômico e sociais das queimadas e dos incêndios florestais

Segundo o ecologista Genebaldo Freire dia, além de toda interferência danosa das queimadas e incêndios à biodiversidade, essas práticas também são danosas em outros aspectos.

As queimadas e os incêndios florestais iniciam uma cadeia crescente de conseqüências negativas, cujas inter-relações podem ser bastante imprevisíveis.

Podemos destacar o aumento de atendimentos hospitalares e gastos gerais com a saúde, interrupções no fornecimento de energia elétrica com danos gerais, problemas no abastecimento de água, queda da produtividade agrícola devido à desidratação do solo e o consequente aumento no preço dos alimentos

Essa lista de efeitos continua com o comprometimento da segurança e do funcionamento do transporte aéreo e rodoviário devido à redução da visibilidade e até a suspensão de atividades educacionais e de lazer.

Sem mencionar a contribuição para as mudanças climáticas (induzem secas, inundações, tempestades, ciclones e outros).

Referências

Queimadas e Incêndios Florestais: Cenários e Desafios, Subsídios para a Educação Ambiental – Genebaldo Freire Dias
Fogo no Clima: Queimadas, Incêndios Florestais e Mudança Climática – Genebaldo Freire Dias

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [PUC]

Nos meses de julho e agosto deste ano, os incêndios florestais, provocados em grande parte por balões, atingiram grandes extensões do Maciço da Tijuca, no Rio de Janeiro. As opções abaixo estão relacionadas a causas ou consequências destes incêndios, EXCETO:

a) Os incêndios ocorreram em função da inadaptabilidade das espécies arbóreas à redução das chuvas.

b) Os poluentes atmosféricos e as queimadas contribuem para a redução da área florestada.

c) Os incêndios contribuem para alterar a composição da fauna de vários grupos.

d) As queimadas favorecem o desenvolvimento do capim colonião, o que pode levar à desestabilização das encostas.

e) Os incêndios florestais favorecem a disseminação de espécies exóticas, como o capim colonião.

Resposta: A
a) Verdadeiro – As espécies arbóreas da Mata Atlântica, na sua maioria, apresentam mecanismos de adaptação para sobreviver em períodos de secas.

b) Falso – Os poluentes atmosféricos são extremamente prejudiciais à vegetação. A queimada pode ser considerada como uma das principais responsáveis pela devastação da floresta, visto que essa prática reduz a cobertura vegetal.

c) Falso – Os incêndios provocam a morte de vários animais, havendo, portanto, um desequilíbrio na cadeia alimentar.

d) Falso – O capim colonião é extremamente resistente a queimadas, fato que proporciona a sua expansão, prejudicando a recomposição da flora local, que é responsável pela estabilização das encostas.

e) Falso – Os incêndios florestais provocam a redução da flora nativa, proporcionando a disseminação de espécies exóticas, em especial o capim colonião, que é extremamente resistente a queimadas e se expande com facilidade em solos férteis, principalmente na Mata Atlântica.

2. [UFSCAR]

O processo de desertificação de uma área consiste em uma diminuição progressiva nos índices de umidade e no empobrecimento dos solos arenosos, que se tornam inviáveis para a agricultura. A esse respeito, analise as seguintes afirmativas:

I. O uso inadequado do solo, os desmatamentos, as sucessivas queimadas, monocultura e sobrepastoreio são atividades que ocasionam a desertificação.

II. No Brasil, o processo de desertificação vem ocorrendo basicamente em certas áreas do Nordeste e do Rio Grande do Sul.

III. O abandono de uma área agrícola, que fica vários anos sem ser cultivada, inicia o processo de desertificação.

IV. O processo de desertificação de uma área não se explica por mudanças locais e sim pelo aquecimento global da atmosfera da Terra.

São corretas as seguintes afirmativas:

(A) I e II.

(B) I e III.

(C) II e III.

(D) II e IV.

(E) I e IV.

Resposta: A
I. Verdadeiro – Todas essas ações citadas são responsáveis pela redução das propriedades naturais do solo, pois há uma grande retirada da cobertura vegetal e a consequente exposição do solo.

II. Verdadeiro – O processo de desertificação vem aumentando no território brasileiro e, atualmente, está se expandindo para áreas do Tocantins e de Mato Grosso. No entanto, as principais áreas do Brasil atingidas por esse fenômeno são os pampas gaúchos e o sertão nordestino.

III. Falso – O abandono de uma determinada área agrícola não inicia o processo de desertificação, esse fato pode até promover a recuperação do solo de uma área.

IV. Falso – O aquecimento global pode promover alterações climáticas que intensifiquem a desertificação de uma área. Entretanto, as mudanças locais são as principais responsáveis pelo processo de desertificação, principalmente as ações humanas, através de queimadas, desmatamentos, mineração, entre outras.

São corretas as seguintes afirmativas:

(A) I e II.
Verdadeiro

(B) I e III.
Falso

(C) II e III.
Falso.

(D) II e IV.
Falso.

(E) I e IV.
Falso.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO