Lei da Oferta e Procura

A Lei da oferta e procura faz referência, em economia, ao que se define por demanda alta de um produto, pela alta procura de consumidores.

A Lei da Oferta e Procura pode ser explicada a partir de uma análise de mercado. Em economia, a também denominada como demanda, busca a estabilização da precificação a partir da análise da procura e da oferta.

O termo oferta faz referência a quantidade (em número real) que este número está disponível no mercado. Já a procura, por outro lado, significa o interesse que há do público em adquirir aquele produto.

A relação entre preço e oferta estará atrelada diretamente. Além do preço, a oferta ainda dependerá da tecnologia utilizada para fabricar aquele determinado produto, e, claro da quantidade disponível.

Outros elementos indiretos ainda estão relacionados à oferta (nicho de mercado, propaganda e etc). A procura, no entanto, é que fará referência a real busca ou não do consumidor por aquele determinado produto.

Influenciada diretamente pelo interesse final do consumidor, ela será a aliança entre preço, qualidade e facilidade em adquirir o produto. Sendo, desta maneira, o ponto crucial que vai além de influências externas, nicho, preço e tudo mais.

Será o interesse do consumidor que coordenará a procura de um dado produto. A demanda é criada pelo consumidor.

lei da oferta e procura
(Imagem: Reprodução)

Fatores determinantes para a Lei da Oferta e Procura

Para citar o fator determinante principal da procura de um bem ou um serviço pelo público, basta verificar o interesse do público. Atualmente, o preço deixou de ser o ponto determinante para a compra/contratação de algo.

Isso porque o valor monetário é variável, uma vez que haja desequilíbrios observados dentro da lei da oferta e procura. Assim, é possível inferir que o preço é uma determinação do consumidor, e não mais do mercado para atrair.

É um raciocínio muito prático. O consumidor aumentará o seu preço de acordo com uma alta demanda, forçando o consumidor a pagar mais pelo produto.

No entanto, a partir do momento em que esse produto altamente precificado (e procurado) gerar desinteresse, o produtor deverá deixar de produzi-lo, uma vez que o preço para criar não supri uma dada demanda em baixa.

Assim, uma oferta sem demanda é um serviço ou um bem destinado à falência, caso o preço seja aumentado desenfreadamente. A Lei da Oferta e da Procura coordena, a fim de manter o preço adequado e alinhado com os interesses populares.

Conclusão

Por meio disso, o preço de um produto será fixado, levando-se em conta toda a relação abrangendo:

  • Procura;
  • Necessidade do consumidor a ser sanada;
  • Custos gerados para criação/fabricação/trabalho;
  • Tempo gasto na execução/produção do bem ou serviço;

Segundo a Lei da Oferta e Procura, todos estes quatro fatores estarão atrelados entre si. Serão eles os responsáveis por atingir o consumidor final que estipulará o preço do produto a partir da demanda.

Referências

Baumol, William J. (2007). “Teoria Econômica” (Measurement and ordinal utility). The New Encyclopædia Britannica, v. 17, p. 719.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO