Ilhas Malvinas

Disputas geopolíticas permeiam a história das Ilhas Malvinas

1. Sobre as Ilhas Malvinas

As Ilhas Malvinas, em língua inglesa chamadas de Falkland Islands, constituem um arquipélago localizado próximo ao litoral Sul da Argentina, cerca de 500 km ao leste da costa sul da América do Sul.

Ilustração: Getty Images
Ilustração: Getty Images

As Ilhas Malvinas estão sob possessão inglesa, muito embora os argentinos declarem a soberania destas. As ilhas sempre foram motivação para disputas entre a Argentina (pois ficam cerca de 500 km do litoral argentino) e a Grã-Bretanha, a qual administra as Ilhas Malvinas desde o ano de 1883. Os conflitos motivaram, em 1982, a “Guerra das Malvinas”, da qual a Argentina saiu como perdedora. Os britânicos foram os responsáveis pela colonização do arquipélago desde o ano de 1833, sendo que vários anos mais tarde, em 1982, a Argentina solicitou a incorporação das Ilhas Malvinas sob seu domínio, tendo como argumento a proximidade geográfica com as ilhas. E levando também em consideração que, com a independência, no ano de 1822, os argentinos teriam direito às terras que pertenciam aos espanhóis. Mesmo com o fim da guerra, os desentendimentos continuaram entre os dois países.

2. Vida e conflito nas Ilhas Malvinas

Ao todo, o arquipélago possui mais de duzentas ilhas, das quais as mais representativas são: Ilha Grande Malvina e Ilha Soledad. A moeda utilizada nas Ilhas Malvinas é a Libra das Ilhas Malvinas, e o idioma oficial é o inglês. A capital das ilhas é Stanley, fundada em 1843.

A economia das ilhas é baseada na pesca para exportação, bem como no turismo e produção de lã, com a criação de ovinos. O interesse pelas ilhas se deve a sua localização estratégica, no Atlântico Sul, o que intensifica as disputas pelo domínio sobre o território.

O turismo é uma das atividades econômicas que têm se destacado nas Ilhas Malvinas.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

“O litoral do arquipélago é extremamente recortado, com inúmeras baías, enseadas, golfos e braços do mar, existindo excelentes portos naturais. O solo é estéril em grande parte do território e o terreno apresenta inúmeras áreas de pântano. A vegetação é quase inexistente, não apresenta árvores, no que se reduz a um manto herbáceo com alguns arbustos; a fauna também é escassa.” (BECK, 2013, p. 15)

As visitas nas Ilhas Malvinas somam quantidades superiores aos 35.000 turistas ao ano, o que tem sido uma ótima fonte de renda aos moradores locais, que lucram com a presença de pessoas do mundo todo interessadas em conhecer as ilhas. Essa massiva presença de turistas também pode representar um risco ambiental ao local.

“Surgem dados que indicam uma exploração excessiva, que tem trazido impactos ecológicos. Por exemplo, os pinguins, cujo habitat se caracteriza pela solidão, toleram mal a invasão (ou a presença massiva de visitantes). Em 1984 havia seis milhões de pinguins, e hoje só restam um milhão.” (BECK, 2013, p. 15)

Embora o governo das Ilhas Malvinas afirme que há uma preocupação ambiental que permeia as políticas naquele ambiente, os argentinos afirmam que há um processo exploratório prejudicial dos recursos pesqueiros (especialmente sobre a pesca de lulas), e esse é mais um dos motivos dos conflitos que se perpetuam nas ilhas.

Em anos recentes, foi confirmado que há petróleo nas Ilhas Malvinas, o que atraiu olhares do mundo todo. Se este recurso for explorado, as ilhas se tornariam um dos pontos mais ricos do planeta. Atualmente estão sendo perfurados poços na região, com a finalidade do uso deste recurso.

Referências

BECK, Ana Carolina Wentzel. Malvinas, uma disputa bicentenária: razões que levam à perpetuação do conflito. Monografia. Florianópolis: UFSC, 2013.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [VUNESP/2011] A Guerra das Malvinas (Falklands) opôs Argentina e Inglaterra de abril a junho de 1982. Entre os motivos da guerra, podemos citar a:

a) ação imperialista inglesa sobre a Antártida, que pretendia expandir o território britânico até o extremo sul.
b) intenção norte-americana de manter hegemonia militar sobre o continente através do domínio inglês.
c) disposição argentina de retomar o controle das ilhas, ricas em combustíveis fósseis e estrategicamente importantes.
d) interferência do Brasil, que se dispôs a mediar o conflito, mas aguçou a tensão entre Inglaterra e Argentina.
e) omissão da Organização das Nações Unidas, que se recusou a apoiar as pretensões britânicas em relação às ilhas.

1. [C]

A “Guerra das Malvinas” teve sua origem na invasão das ilhas pela Argentina. Os principais motivos para o domínio da ilha são a abundância em combustíveis fósseis e a posição estratégia. Elementos essenciais, pois denotam poder.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO