Globalização

A globalização é a atual fase de expansão do capitalismo e conta com a eficiência e agilidade das comunicações e do controle de informações.

A globalização corresponde à mais recente fase da expansão capitalista. O processo de globalização está para o atual período técnico-científico ou informacional do capitalismo assim como o colonialismo esteve a para a fase do capitalismo comercial do século XVI ao XVIII.

Como nos outros períodos, busca-se aumento dos mercados e, portanto, dos lucros. A globalização difere dos outros períodos por dispensar a ocupação territorial.

Trata-se de uma invasão de mercadorias, capitais, serviços, informações e pessoas e pessoas, obtida graças à agilidade nos deslocamentos e à eficiência das comunicações e do controle de informações.

globalização
Imagem: Reprodução

Os meios físicos que viabilizam a globalização são os satélites de comunicação e de observação da Terra, a informática, a telefonia, os aviões, etc.

Como resultado dessa complexa tela, a globalização apresenta várias dimensões – socioeconômica, política, cultural – e todas elas se manifestam no espaço geográfico.

Quando se iniciou o processo de “vários mundos” – europeu, chinês, árabe, asteca, inca, tupi, ioruba, etc. – muitas vezes, os habitantes de um mundo não sabiam da existência dos outros.

Ao atingir o atual período informacional, o capitalismo integrou países e regiões do planeta num único sistema, formando o chamado sistema-mundo.

Na globalização, os lugares que formam o espaço geográfico mundial estão conectados a uma rede de fluxos, controladas a partir de poucos centros de poder econômico e político. Entretanto, não são todos os lugares que estão integrados no sistema-mundo.

Economia globalizada: entendendo a globalização

Os fluxos de capitais, bem como os fluxos de mercadorias, são os mais importantes da globalização da economia. Os fluxos de capitais produtivos, também conhecidos como investimentos estrangeiros, cresceram significativamente após a Segunda Guerra Mundial.

Imagem: Reprodução

O crescimento dos investimentos estrangeiros é a face mais visível da globalização da economia, pois se materializa em instalações industriais, redes de lojas, supermercados e lanchonetes, estradas, hidrelétricas, etc. no território de vários países.

Os países empenham-se cada vez mais em atrais investimentos produtivos, porque geram riquezas e estimulam o crescimento econômico (como criação de empregos e aumento da arrecadação de impostos).

Para os investidores estrangeiros, os lucros podem ser resultante de curtos menores de produção, trasportes ou fretes, proximidades dos mercados consumidores e facilidades de driblar barreiras protecionistas.

Todos esses fatores permitem a expansão do mercado para os capitais produtivos. Como são investimentos de longo prazo, são menos suscetíveis às oscilações repentinas da economia. Podem também aumentar o volume de divisas de um país, se produção, ou parte dela, estiver voltada para a exportação.

Porém, a maior parte desses capitais é investida em poucos países e regiões do mundo. Os principais agentes da globalização da produção são as as grandes corporações multinacionais.

De acordo com o relatório da UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento), atualmente existem cerca de 40 mil transnacionais com aproximadamente 450 mil filiais espalhadas pelo mundo.

Referências

Geografia Geral e do Brasil – João Carlos Moreira, Eustáquio de Sene

La era de la información – Manuel Castells

Teorias da Globalização – Octavio Ianni

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [UNIOESTE]:

A globalização é, de certa forma, o ápice do processo de internacionalização do mundo capitalista. […] No fim do século XX e graças aos avanços da ciência, produziu-se um sistema de técnicas presidido pelas técnicas da informação, que passaram a exercer um papel de elo entre as demais, unindo-as e assegurando ao novo sistema técnico uma presença planetária. Só que a globalização não é apenas a existência desse novo sistema de técnicas. Ela é também o resultado das ações que asseguram a emergência de um mercado dito global, responsável pelo essencial dos processos políticos atualmente eficazes.”

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000, p. 23-24.

Considerando o enunciado anterior, sobre o processo de globalização na sociedade contemporânea, assinale a alternativa correta.

a) A globalização é um processo exclusivamente baseado no desenvolvimento das novas técnicas de informação e sua origem está diretamente relacionada com a difusão e universalização do uso da internet, que se deu a partir do final da década de 1990.

b) Entre as características próprias da globalização temos a alteração profunda na divisão internacional do trabalho, em que a distribuição das funções produtivas tende a se concentrar cada vez mais em poucos países, como é o caso dos Estados Unidos e do Japão.

c) Sobre as ações que asseguram a emergência do mercado global, o autor está se referindo à doutrina econômica neoliberal que, entre outros princípios, defende o fortalecimento do Estado e a intervenção estatal como reguladora direta dos mercados – industrial, comercial e financeiro.

d) Atualmente, as relações econômicas mundiais, compreendendo a dinâmica dos meios de produção, das forças produtivas, da tecnologia, da divisão internacional do trabalho e do mercado mundial, são amplamente influenciadas pelas exigências das empresas, corporações ou conglomerados multinacionais.

e) As estratégias protecionistas tomadas pelos governos em todo o mundo, dificultando a entrada de produtos estrangeiros em seus mercados nacionais, são consideradas como características marcantes do processo de globalização.

 

02. [IFBA]:

Embora tenha suas origens mais imediatas na expansão econômica ocorrida após a segunda guerra e na revolução técnico-cientifica ou informacional, a globalização é a continuidade do longo processo histórico de mundialização capitalista.”

(MOREIRA, João Carlos e SENE, Eustáquio de. Geografia para o ensino médio: Geografia Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2002.p. 03)

Com relação ao desenvolvimento do capitalismo, sua mundialização e globalização, é possível afirmar que:

a) Os Tigres Asiáticos começaram a se constituir como potências econômicas a partir da aplicação da política de bem-estar social e do taylorismo/fordismo como elementos dinamizadores de suas economias.

b) A constituição do MERCOSUL foi uma resposta político-econômica dos países da América Latina à perspectiva de constituição do NAFTA, uma vez que suas economias apresentam elevado grau de complementaridade e integração entre os setores primário, secundário e terciário.

c) A chamada terceira revolução cientifica e tecnológica vem contribuindo intensamente com a integração entre os mercados, uma vez que possibilita maior grau de flexibilidade aos capitais internacionais, inclusive na perspectiva de substituição do dinheiro de papel pelo dinheiro de plástico e virtual em tempo real.

d) Com a crise da economia americana, o valor das commodities agrícolas tem baixado seguidamente, contribuindo para atenuar a fome no Chifre da África.

e) A crise que assola a economia-mundo tem contribuído para alterar e inverter as relações entre os países na divisão internacional do trabalho, pois até a China passou a ser credora dos EUA.

01. [UNIOESTE]

Resposta:

a) Falso – A origem da globalização remonta às grandes navegações do final do século XV e início do século XVI. Sua intensificação, porém, ocorreu na segunda metade do século XX, com os processos de inovações relacionados à III Revolução Industrial e à consolidação do capitalismo como sistema econômico mundial.

b) Falso – Com a globalização, a divisão internacional foi, sem dúvida, aprofundada. Porém, ela não concentrou a distribuição das forças produtivas, pelo contrário, ela ampliou essa distribuição, através da difusão das chamadas Multinacionais ou Empresas Globais, que se instalaram em países subdesenvolvidos em busca de matérias-primas baratas, mão de obra abundante, leis ambientais frágeis e facilidade de alcance ao mercado consumidor.

c) Falso – O neoliberalismo, na verdade, preconiza a mínima regulação do Estado na economia e o predomínio da propriedade privada em detrimento da propriedade estatal.

d) Verdadeiro – Com o processo de Globalização, a propriedade privada tornou-se predominante no mundo, o que ocasionou o surgimento de grandes corporações que passaram a ter influência decisiva sobre a dinâmica econômica mundial.

e) Falso – A característica marcante do processo de globalização é, na verdade, a máxima abertura comercial e o mínimo possível de intervencionismo, embora alguns países não aceitem essa regra.

 

02. [IFBA]

Resposta:

a) Falso – os Tigres Asiáticos, assim como os demais países subdesenvolvidos industrializados, caracterizaram-se pela adoção do sistema Toyotista de produção e de aplicação da política neoliberal, de oposição ao Estado do bem-estar social.

b) Falso – a formação do Mercosul não tem qualquer referência específica à formação do Nafta. A sua criação foi proveniente da tendência mundial de formação de blocos econômicos regionais.

c) Verdadeiro – A terceira revolução industrial foi a grande responsável por instrumentalizar o processo de financeirização da economia, pois possibilitou avanços na comunicação e no transporte que foram responsáveis por ampliar a integração econômica mundial.

d) Falso – Uma crise econômica dos Estados Unidos não favoreceria uma queda na fome na África, uma vez que os países desse continente são dependentes da exportação de matérias-primas para os países desenvolvidos. Uma crise no mundo desenvolvido reduziria a importação dessas matérias-primas e aumentaria a fome nessa região.

e) Falso – A crise econômica mundial não propicia a inversão da divisão internacional do trabalho, uma vez que ela afeta – em maior ou menor grau – todos os países do mundo.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO