G8

O grupo formado pelos países de maior influência mundial em busca de mais poder.

1. Sobre o Grupo dos oito

O Grupo dos oito é formado pelos oito países que se consideram mais desenvolvidos economicamente e industrialmente. O grupo é formado por EUA, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e o Canadá, e mais recentemente também a Rússia.

Bandeiras dos países membros do G8. Ilustração: Getty Images
Bandeiras dos países membros do G8. Ilustração: Getty Images

Os países que compõem o G8 possuem uma economia consolidada e bem desenvolvida. Possuem também vantajosas relações comerciais internacionais. Portanto, a união destes países visa o fortalecimento econômico e o maior desenvolvimento das relações comerciais. A entrada da Federação Russa no grupo foi oficializada em 1997, alargando o Grupo dos Sete (G7). Em 2014, houve o afastamento da Rússia do G8, devido aos conflitos com a Ucrânia. Assim, o grupo voltou a se chamar G7, compreendo os antigos países membros.

2. Surgimento e função

A origem destes grupos foi durante a crise do petróleo, na década de 1970, assim como no momento de recessão desencadeado por esta. Em 1973, os Estados Unidos se reúnem com outros países para discutir questões relativas aos problemas ocasionados pela crise. Nas reuniões são debatidas questões macroeconômicas e os rumos da globalização, bem como questões pontuais como recursos energéticos, os problemas ambientais e até o terrorismo, que é uma preocupação global. Embora as conclusões do G7/8 não sejam definitivas, podem influenciar decisões mais gerais. Em muitas ocasiões, os debates são levados aos órgãos competentes, como a ONU (Organização das Nações Unidas) e então são efetivadas as possíveis medidas.

3. Contradições e mudanças

As contradições internas se estabelecem em relação à Rússia, a qual não é a oitava maior potência econômica mundial, mas exerce grande poder geopolítico, pois se trata de uma potência nuclear, assim sua integração é vantajosa. O problema mais recente é quanto a anexação da Crimeia. Ao excluir a Rússia do grupo, a intenção foi de causar um isolamento político aos russos, mas aqueles não manifestaram grande importância com este ato. Os sete países do grupo estavam convencidos em defender a segurança nuclear, e não aprovaram as ações da Rússia naquele contexto.

Os discursos do grupo são aparentemente de homogeneidade, mas nota-se que há um protecionismo entre os membros, e cada qual visa estabelecer medidas que sejam importantes para sua nação.

“Uniões como essas podem ser vantajosas, mas também podem apresentar inconvenientes. A administração, em geral, é difícil, pois equilibrar o interesse de todos os participantes é quase impossível.” (COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE, 2014, s/p.)

As decisões tomadas pelo grupo são de extrema relevância, já que se tratam dos países de maior influência mundial. Assim, aquilo que for definido por estes, pode ter repercussão aos demais países.

Com a nova configuração do espaço mundial, diante da globalização, novos países emergiram economicamente, e também possuem representatividade nas decisões mundiais. Neste contexto, vê-se a criação do G20, o qual é um grupo formado por 20 países em desenvolvimento. Este grupo foi criado em 2003, na Suíça. Dentre as principais pautas do grupo, está a questão da agricultura. A existência deste grupo mostra que o poder mundial não se encontra estritamente com os grupos considerados mais desenvolvidos, mas que a união dos países em desenvolvimento também possui expressiva representatividade nas decisões mundiais. O G20 surge em um momento de crítica em relação ao G8, já que os demais países consideravam incoerente essa monopolização do poder sobre as decisões mundiais.

Referências

COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE. Blocos econômicos – saiba como funcionam o Nafta, Mercosul e União Europeia. Disponível em: aridesa.com.br
LUCCI, Elian Alabi (Org.). Geografia: homem e espaço. 8º ano. 25ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Mestre em Geografia (UNIOESTE); Licenciada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (ALFA-UMUARAMA) e Educação Profissional e Tecnológica (FACULDADE SÃO BRAZ).

Como referenciar este conteúdo

Künast Polon, Luana Caroline. G8. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/geografia/g8. Acesso em: 09 de October de 2021.

Teste seu conhecimento

1. [ENEM/2010] O G-20 é o grupo que reúne os países do G-7, os mais industrializados do mundo (EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), a União Europeia e os principais emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Coreia do Sul, Indonésia, México e Turquia). Esse grupo de países vem ganhando força nos fóruns internacionais de decisão e consulta. (ALLAN, R. Crise global. Disponível em: http://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br, acesso em 31.jul.2010). Entre os países emergentes que formam o G-20, estão os chamados BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), termo criado em 2001 para referir-se aos países que:

a) apresentam características econômicas promissoras para as próximas décadas.
b) possuem base tecnológica mais elevada
c) apresentam índices de igualdade social e econômica mais acentuados.
d) apresentam diversidade ambiental suficiente para impulsionar a economia global.
e) possuem similaridades culturais capazes de alavancar a economia mundial.

1. [A]

São países que apresentam características promissoras para as próximas décadas, ou seja, considerados como emergentes. Eles representam uma transformação no cenário econômico mundial, progredindo tanto nas questões econômicas, como nas sociais. Eles estão ganhando espaço nas decisões mundiais.

Compartilhe

TOPO