Energia Nuclear

Apesar de auxiliar no aumento da produção de energia esse meio é considerado muito perigoso.

1. Você sabe o que significa este símbolo?

Ilustração: Getty Images
Ilustração: Getty Images

O símbolo representado acima indica “energia nuclear”. Este símbolo é utilizado para alertar sobre a presença de substâncias que emitem radiação. A presença humana em locais com emissão de radiação nuclear é controlada, e este símbolo é comumente utilizado como forma de precaver e atentar para os riscos.

Publicidade

2. Sobre a energia

Tudo o que existe é feito de energia, e em todas as ações humanas há um gasto energético. Para desenvolver melhor suas atividades, as civilizações foram criando, ao longo dos anos, formas diferenciadas para a produção e o uso da energia. Existem diversos modos de obter energia, como os recursos fósseis (carvão, petróleo, etc.), as fontes renováveis (ventos, água, sol, etc.), dentre outros. Há um tipo de energia que causa diversas discussões, por representar riscos para os ecossistemas terrestres, que é a energia nuclear.

3. Mas, o que é Energia Nuclear?

A energia nuclear foi descoberta por cientistas na década de 1920.

“A maioria dos núcleos dos átomos na natureza é estável, graças a uma energia armazenada que mantém suas partículas unidas. Porém, alguns elementos como o urânio e o tório têm núcleos instáveis – suas partículas podem facilmente se desprender, de forma espontânea, liberando energia em forma de ondas ou partículas.” (GREENPEACE, 201, p. 04)

Para que essa energia pudesse ser utilizada, os cientistas encontraram maneiras de acelerar a liberação energética, a partir da fissão nuclear. A imagem abaixo representa a formação de energia nuclear a partir do urânio. A energia gerada pode ser utilizada em Usinas Nucleares ou mesmo em bombas atômicas.

Ilustração:  Gazeta do Povo
Ilustração: Gazeta do Povo

A fissão nuclear é, portanto, a divisão dos átomos de metais pesados, como o urânio.

Ela é uma “reação nuclear que ocorre quando um átomo de metal pesado é bombardeado por nêutrons. O núcleo do átomo bombardeado se divide em duas partes e libera novos nêutrons, que bombardeiam outros núcleos e provocam uma reação em cadeia, liberando grande quantidade de energia.” (LUCCI, 2010, p. 203)

Publicidade

Portanto, enquanto houver esses metais pesados, a energia nuclear continuará existindo. A produção deste tipo de energia é realizada em usinas específicas. O sucesso deste tipo de recurso energético se deve a capacidade de produção energética dos elementos utilizados. O Urânio U-235, por exemplo, é capaz de produzir 80 mil vezes mais energia do que o carvão (LUCCI, 2010). Com a maior produção energética, maiores são os lucros para os empreendimentos que se utilizam deste tipo de energia.

4. Usinas Nucleares

As usinas nucleares são conhecidas como Usina Termonuclear.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Nas usinas, o objetivo é o controle das reações nucleares, possibilitando que a energia seja liberada de forma gradual como calor. O calor produzido é utilizado para ferver as águas, produzindo vapor. Esse vapor é o responsável pelo funcionamento dos turbogeradores convencionais (PARANÁ, 2014). A energia nuclear é uma das alternativas possíveis para produção de eletricidade. Sua vantagem está na abundância e capacidade de geração de energia. Por outro lado, existem diversos problemas relacionados ao uso deste tipo de recurso energético, um deles é o risco de contaminação humana e ambiental. Outro problema que tem relação com a energia nuclear é o uso deste recurso para produção de bombas atômicas, e o uso inadequado destes artefatos por grupos paramilitares e terroristas (LUCCI, 2010).

Publicidade

5. O problema da radioatividade

Há uma preocupação grande com o destino dado ao lixo nuclear, já que o material radioativo é muito tóxico.

“Não existem dados exatos sobre a quantidade de lixo radioativo já produzido até hoje. Em geral, o público desconhece o perigo associado a esses dejetos e qual é seu destino, mas calcula-se que, anualmente, são acumuladas no mundo cerca de 12 mil toneladas de rejeitos radioativos de alta atividade.” (GREENPEACE, 2014, p. 06)

A massiva produção de lixo radioativo gera um problema sobre qual a destinação destes materiais. Devido aos riscos que existem, os países que fazem uso deste recurso não conseguem chegar a um consenso sobre uma destinação ao lixo nuclear. Para que este tipo de lixo deixe de ser perigoso, é necessário que seja armazenado em locais apropriados durante séculos.

Algumas tragédias com material radioativo ficaram conhecidas mundialmente, como o acidente que ocorreu na Ucrânia (antiga URSS) em 1986. Este acidente ocorreu na Usina Nuclear de Chernobyl, quando funcionários realizavam testes nos reatores, momento em que houve uma explosão. Houve uma liberação letal de material radioativo que atingiu diversas regiões, inclusive para a Polônia e a Escandinávia.

As proporções e consequências da exploração foram muito sérias, deixando inúmeros mortos. As pessoas precisaram abandonar suas casas. Nos anos que se seguiram ao acontecido, o número de registros de pessoas com doenças como câncer, problemas respiratórios, digestivos, reprodutivos, neurológicos, psicológicos, dentre outros, aumentou desastrosamente. Não há um número exato de pessoas afetadas, mas calcula-se que foram em média de 5 até 8 milhões (GREENPEACE, 2014).

Nas regiões afetadas, muitas áreas continuam impossibilitadas de produzir alimentos, devido aos riscos de contaminação. E ainda muitas crianças nascem com problemas genéticos, sendo que muitas falecem precocemente. O índice de câncer na população também é um dado alarmante. As mortes por câncer chegam a 93 mil todos os anos (GREENPEACE, 2014).

Assim, por maiores e mais conhecidos que sejam os riscos, o uso da energia nuclear não é abandonado, pois gera lucratividade. Como a produção humana necessita cada vez mais fontes de energia, as alternativas energéticas são sempre bem consideradas, muito embora produzam problemas de ordem ambiental, e mesmo social.

6. Energia nuclear no Brasil

O Brasil é um dos países que fazem uso da energia nuclear. Além disso, o Brasil também se destaca como produtor deste tipo de energia, dominando todo processo de fabricação. Embora a energia nuclear represente apenas uma pequena parcela da energia utilizada no Brasil, é perceptível que os investimentos nesta área têm crescido significativamente.

As usinas nucleares no Brasil são: Angra 1 (1985) e Angra 2 (2001). Atualmente está em construção a 3ª usina, que será uma replica de Angra 2. A presença das usinas é motivo de diversos debates, principalmente sobre os riscos que elas representam. Estas usinas foram planejadas em um acordo feito com a Alemanha no ano de 1975. Este previa a construção de vários reatores nucleares. Destes, a maioria dos projetos foram abandonados (SILVA, 2013).

Referências

GREENPEACE. Brasil. Verdades e Perigos da Energia Nuclear. Disponível em: greenpeace.org
LUCCI, Elian Alabi (Org.) Território e sociedade no mundo globalizado: Geografia. Ensino Médio. V. 02. São Paulo: Saraiva, 2010.
PARANÁ. Governo do Estado. Secretaria da Educação. Dia a Dia Educação. Energia Nuclear. Disponível em: ciencias.seed.pr.gov.br
SILVA, Angela Corrêa da. Geografia: contextos e redes. V. 02. São Paulo: Moderna, 2013.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Mestre em Geografia (UNIOESTE); Licenciada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (ALFA-UMUARAMA) e Educação Profissional e Tecnológica (FACULDADE SÃO BRAZ).

Como referenciar este conteúdo

Künast Polon, Luana Caroline. Energia Nuclear. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/geografia/energia-nuclear. Acesso em: 22 de July de 2024.

Teste seu conhecimento

1. [ENEM/2004] O debate em torno do uso da energia nuclear para produção de eletricidade permanece atual. Em um encontro internacional para a discussão desse tema, foram colocados os seguintes argumentos:
I. Uma grande vantagem das usinas nucleares é o fato de não contribuírem para o aumento do efeito estufa, uma vez que o urânio, utilizado como “combustível”, não é queimado, mas sofre fissão.
II. Ainda que sejam raros os acidentes com usinas nucleares, seus efeitos podem ser tão graves que essa alternativa de geração de eletricidade não nos permite ficar tranquilos.
A respeito desses argumentos, pode-se afirmar que:

A) o primeiro é válido e o segundo não é, já que nunca ocorreram acidentes com usinas nucleares.
B) o segundo é válido e o primeiro não é, pois de fato há queima de combustível na geração nuclear de eletricidade.
C) o segundo é válido e o primeiro é irrelevante, pois nenhuma forma de gerar eletricidade produz gases do efeito estufa.
D) ambos são válidos para se compararem vantagens e riscos na opção por essa forma de geração de energia.
E) ambos são irrelevantes, pois a opção pela energia nuclear está se tornando uma necessidade inquestionável.

1. [D]

Os argumentos são bons para comparação sobre as vantagens e os riscos. Apesar disso, alguns acidentes de grandes proporções já ocorridos, levantam as discussões sobre os problemas sociais e ambientais deste tipo de recurso energético.

Compartilhe

TOPO