Economia Planificada

Economia planificada se refere a uma nação seguir um plano econômico, e não as condições do mercado vigente.

Economia planificada é a nominação dada a um sistema que coordena a organização econômica por meio de um plano pré-estabelecido. Ou seja, as estratégias econômicas de um país não se darão conforme as alterações do mercado, mas sim por um plano estatal.

Publicidade

Elaborado, coordenado e liderado pelo Estado, o plano refletirá uma ideia, geralmente, de correções a curto prazo. Envolverá, assim, medidas pontuais, de rápido processo e de maneira ordenada.

Comumente este plano é esquematizado por autoridades, técnicos e economistas envolvidos no governo. Dessa forma, todas as estratégias econômicas serão coordenadas pelo Estado.

O resultado visto é um processo programado para um determinado período de tempo, que sofrerá ajustes conforme resultados. À economia planificada, geralmente, dá-se um período de cinco anos de prática.

Denominada como Plano Quinquenal, esta estratégia visa um modelo econômico do Estado como condutor da economia de um país.

A economia planificada está diretamente relacionada aos meios de produção de um país estatizados. Sendo assim, o Estado deverá ser o proprietário mor das empresas mais importantes do país. Isso envolve bancos, empresas de infra-estrutura, meios de transporte, setor energético e demais.

economia planificada
(Imagem: Reprodução)

Características da Economia Planificada

Por meio da economia planificada, será de responsabilidade do governo a centralização e o controle das decisões do âmbito econômico e financeiro.

Publicidade

Os preços não obedecerão a lei de oferta e procura, como percebido na economia de mercado. Os valores dos produtos serão respectivos a uma definição do governo.

Assim, é possível elencar algumas características que envolvem a economia planificada, tais como:

  • A economia planificada é o sistema inversamente proporcional à economia de mercado, defendida pelo liberalismo;
  • O plano econômico estabelecido é ainda responsável pelas decisões de onde e quando os produtos serão/poderão ser vendidos;
  • Mão de obra e emprego são igualmente coordenados pelo plano;
  • Não existe mercado de capitais, venda e giro mercadológico (especulações, bolsa de valores, compra e venda de ações);

Experiências de economias planificadas

Atualmente existem pouquíssimos países que exercem a economia planificada em seus Estados. Vietnã, Cuba e Coreia do Norte são exemplos atuais do sistema pouco usufruído em um mundo que usufrui do capitalismo de forma majoritária.

Publicidade

No entanto, apesar de utilizarem um sistema de economia planificada, o mesmo nunca foi introduzido, inteiramente, em uma nação. Mesmo as nações comunistas, como União Soviética, Iugoslávia e etc utilizaram definitivamente o sistema.

Nunca foram assumidos tais conceitos e características. Marcas de produtos nunca forma adotados, o máximo de diferenciação era de acordo com produtos sendo diferenciados pelas fábricas de manufatura.

A grande consequência da economia planificada diz respeito a oferta e a procura de um produto. Caso exista a falta deste, o produto não terá aumento de preço. Ao mesmo tempo, um produto que não tenha a mesma procura terá o preço similar ao de alta procura.

Curiosidade do sistema

Um aspecto de destaque da economia planificada é a ausência de um mercado de trabalho. Por funcionar semelhante à economia de produtos manufaturados (oferta e procura de trabalho), ele será igualmente coordenado pelo estado.

Ou seja, o plano econômico pré-estabelecido levará em conta o número de trabalhadores de um dado setor e observará o aumento ou não de empregos. Quando este trabalhador não está alocado no mercado, ele receberá um auxílio de pleno emprego, até que consiga se recolocar no mercado de trabalho.+9-6

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Economia Planificada. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/geografia/economia-planificada. Acesso em: 22 de July de 2024.

Teste seu conhecimento

01. [FRB-BA]

O mundo moderno, dominado pela sociedade de consumo, tem na indústria o mais importante dos setores da sua economia: ela provoca o desenvolvimento de atividades que lhe são complementares, como fornecedores de matérias-primas e de energia, fornecendo oportunidade de emprego à mão de obra, forçando a sua qualificação, produzem capitais e estimulam o desenvolvimento do comércio, dos transportes e dos serviços.

(ANDRADE, M. C. Geografia econômica. 12. ed. São Paulo: Atlas, 1998.).

A indústria é vital para colocar os países na vanguarda do processo de desenvolvimento econômico. Sobre a evolução da indústria, é correto afirmar:

a) O artesanato que antecedeu à manufatura teve como principal característica um trabalhador altamente especializado.

b) A invenção da máquina a vapor está vinculada à primeira fase da Revolução Industrial que teve como principal base energética o petróleo.

c) A doutrina liberal predominou na segunda fase da Revolução Industrial, tendo sido implantada, na Inglaterra, pelo seu criador Henry Ford.

d) Os Tigres Asiáticos, países de industrialização tardia, se desenvolveram a partir de uma política agressiva, voltada para o mercado interno.

e) A reengenharia e o just in time são elementos da terceira fase da Revolução Industrial que teve seu modelo derivado do Toyotismo.

 

02. [UERJ]

Tirinha de Calvin e Haroldo

A história em quadrinhos apresenta uma característica fundamental do modo de produção capitalista na atualidade e uma política estatal em curso em muitos países desenvolvidos.
Essa característica e essa política estão indicadas em:

a) liberdade de comércio – ações afirmativas para grupos sociais menos favorecidos

b) sociedade de classe – sistemas de garantias trabalhistas para a mão de obra sindicalizada

c) economia de mercado – programas de apoio aos setores econômicos pouco competitivos

d) trabalho assalariado – campanhas de estímulo à responsabilidade social do empresariado

01. [E]

02. [C]

Compartilhe

TOPO