Desenvolvimento Sustentável

O crescimento econômico tornou-se um obstáculo para o desenvolvimento sustentável, sendo necessária uma revisão das práticas humanas para que a sustentabilidade se torne possível.

1. Despertando para a consciência ecológica

Muito embora seja alvo de diversas críticas, o conceito de “desenvolvimento sustentável” surge a partir do despertar para consciência ambiental. Apesar das discussões sobre a questão ambiental serem mais antigas, apenas após a Segunda Guerra Mundial é que os debates começam a tomar forma. A partir da década de 1960 intensificam-se os encontros e as pesquisas científicas sobre o assunto em diversos lugares do mundo.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

“Diante de diversas catástrofes ambientais, pessoas e instituições começaram a perceber que a natureza não suportaria por muito tempo as inumeráveis agressões causadas pelas atividades humanas” (LUCCI, 2010, p. 242).

No Brasil, as discussões acerca das questões ambientais intensificam-se e são difundidas a partir da década de 1970, quando surgem os primeiros movimentos ecológicos no país. O problema do desenvolvimento surge a partir do momento em que este é visto estritamente no sentido financeiro, sem que sejam levados em consideração os aspectos como: qualidade de vida das atuais e futuras gerações; degradação dos recursos naturais, sejam eles renováveis ou não; consequências ambientais derivadas do modo de vida acelerado contemporâneo, etc.

2. Como surge o conceito de Desenvolvimento Sustentável?

No ano de 1987 foi elaborado o documento intitulado “Nosso Futuro Comum”, também chamado de “Relatório Brundtland”, o qual foi responsável pela integração das propostas sobre o desenvolvimento sustentável. A ideia não deveria ficar apenas na teoria, mas se tornar uma nova forma de desenvolvimento.

“A viabilização do desenvolvimento sob essa ótica exige o estabelecimento de políticas governamentais e de ações empresariais e da sociedade civil; exige a elevação do nível de vida de parte significativa da população que vive em condições subumanas; exige, por fim, a modificação dos padrões de consumo das sociedades do mundo desenvolvido, as quais devem diminuir a demanda por recursos da natureza e a produção de resíduos sólidos, líquidos e gasosos.” (LUCCI, 2010, p. 244)

São essas exigências que esbarram com o sistema capitalista, e que acabam por inviabilizar as práticas de sustentabilidade. Em um sistema, cuja lógica é a produção massiva de bens e o consumo exacerbado, a redução das demandas de consumo soa como uma afronta. Para a produção dos bens que sustentam a lógica capitalista, são necessárias as matérias-primas, as quais são retiradas massivamente do meio, degradando-o. Além disso, os bens produzidos são descartados na natureza, gerando poluição e danos ambientais. Para compreender melhor este processo, assista o documentário “A história das coisas”.

Assim, o desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento econômico capitalista são contraditórios. Não há como conciliar o modelo de crescimento atual com a sustentabilidade, sem que sejam revistas as práticas humanas. As transformações necessárias para o desenvolvimento sustentável seja viabilizado são: diminuição da pobreza, redução das desigualdades sociais e melhor distribuição da renda, modificação nas relações trabalhistas e na aplicação do dinheiro público, estímulo ao uso de fontes de energia renováveis, modificações nos padrões de produção (tanto na agricultura, quanto na indústria) e consumo, conscientização social sobre as questões ambientais, etc.

Diversos eventos de caráter mundial já discutiram o desenvolvimento sustentável, mas ainda há muito por ser feito, pois tudo ainda é muito recente e modificar hábitos é um processo complexo. A sustentabilidade, para ocorrer na prática, deveria levar em consideração três grandes aspectos: sustentabilidade ambiental, sustentabilidade econômica e sustentabilidade sócio-política. Os eventos de maior expressividade já realizados, bem como os documentos produzidos a partir destes, podem ser conhecidos no site da Rio+20.

Referências

LUCCI, Elian Alabi (Org.). Território e sociedade no mundo globalizado: Geografia. Ensino Médio. V. 01. São Paulo: Saraiva, 2010.
SILVA, Angela Corrêa da (Org.). Geografia: contextos e redes. 1ª Ed. São Paulo: Moderna, 2013.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [UPE/2014] Ao fazer o estudo bibliográfico sobre um determinado assunto do conteúdo programático do vestibular da Universidade de Pernambuco (UPE), um vestibulando encontrou e anotou a seguinte definição: “É aquele que satisfaz as necessidades presentes sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades.”
Trata-se da definição CORRETA de:

a) Crescimento neomalthusiano ambiental.
b) Desenvolvimento sustentável.
c) Ecodesenvolvimento neoliberal.
d) Desenvolvimento ambiental.
e) Ecodesenvolvimento darwinista.

2. [IFS/2014] Como ficou conhecida a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável ocorrida em 2012, que contribuiu para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas?

a) Mundo sustentável.
b) Rio para Todos.
c) Rio + 20.
d) Rio Sustentável.
e) Rio + Meio Ambiente.

 

3. [UNIRIO/2000] A ideia de DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL tem sido cada vez mais discutida junto às questões que se referem ao crescimento econômico. De acordo com este conceito considera-se que:

a) O meio ambiente é fundamental para a vida humana e, portanto, deve ser intocável.
b) Os países subdesenvolvidos são os únicos que praticam esta ideia, pois, por sua baixa industrialização preservam melhor o seu meio ambiente do que os países ricos.
c) Ocorre uma oposição entre desenvolvimento e proteção ao meio ambiente, e, portanto, é inevitável que os riscos ambientais sustentem o crescimento econômico dos povos.
d) Se deve buscar uma forma de progresso socioeconômico que não comprometa o meio ambiente sem que, com isso, deixemos de utilizar os recursos nele disponíveis.
e) São as riquezas acumuladas nos países ricos em prejuízo das antigas colônias, durante a expansão colonial, que devem, hoje, sustentar o crescimento econômico dos povos.

1. [B]

A definição de Desenvolvimento Sustentável é possibilitar a satisfação das necessidades humanas atuais, sem, no entanto, comprometer as gerações futuras.

2. [C]

No ano de 2012, ocorreu no Brasil a Conferência que ficou conhecida como “Rio + 20”. O evento recebeu essa nomeação pois constituiu-se em uma espécie de continuidade da Declaração sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, ocorrida em 1992, completando, portanto, 20 anos.

3. [D]

Para que a vida humana se perpetue, são necessários os usos dos recursos naturais. Mas, dentro de uma lógica de sustentabilidade, o uso destes recursos precisa ser repensado. O desenvolvimento não deve ser estritamente econômico, mas também social.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO