Crosta Terrestre

A crosta terrestre é composta por uma junção de rochas e sofre constantes modificações ao longo do tempo.

O planeta Terra é formado por camadas, e dentre elas está a crosta. A crosta terrestre também é chamada de Litosfera.

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

A crosta terrestre é formada por rochas diversas (granito, calcário, mármore, argila, etc.). Essas rochas são formadas a partir de agregados de minerais solidificados ao longo do tempo. As rochas são classificadas em: magmáticas (plutônicas e vulcânicas), sedimentares e metamórficas. Todos os tipos de rochas estão presentes na crosta terrestre.

As rochas magmáticas plutônicas ocorrem com a consolidação do magma ainda no interior da litosfera, sem contato com a atmosfera. Já as rochas magmáticas vulcânicas são aquelas que consolidam a partir do extravasamento do magma, ou seja, em contato com o meio externo. As rochas sedimentares são formadas por sedimentos derivados de outros tipos de rochas, se compactando ao longo dos anos. E as rochas metamórficas são formadas a partir de outras rochas, quando em contato com altas pressões e temperaturas.

A crosta é dividida em: crosta oceânica ou marítima e crosta continental. A crosta oceânica (altitudes entre 5 e 10 km) está presente nos fundos das bacias oceânicas. Apesar de também constituir a crosta terrestre, a composição da crosta oceânica é diferente da crosta continental. A crosta oceânica está submersa pelos oceanos, e é composta por cadeias montanhosas, fossas oceânicas e em alguns casos até planaltos. Já a crosta continental (de 30 até 80 km) é menos densa do que a crosta oceânica, e se encontra nas zonas de baixa profundidade, bem como os continentes.

Crostas oceânica e continental. Ilustração: Reprodução
Crostas oceânica e continental. Ilustração: Reprodução

1. Movimentos da crosta

As constatações sobre os movimentos da crosta foram baseadas nas pesquisas de Alfred Wegener, o qual em 1912 elaborou a Teoria da Deriva Continental. Essa teoria defendeu a hipótese de que a crosta terrestre possui descontinuidades e é fragmentada em diversos blocos.

“Cada bloco corresponde a uma placa tectônica, que se desloca pelos movimentos de convecção do magma. A deriva dos continentes, a formação das cordilheiras montanhosas e de outras formas de relevo, os terremotos e os tsunamis passaram a ser compreendidos melhor pela Teoria da Tectônica de Placas.” (LUCCI, 2010, p. 66)

Quando a Terra se formou, havia um único continente, chamado de Pangeia. O movimento das placas tectônicas ocasionou a formação dos continentes que conhecemos hoje. As formas de relevo são originadas a partir do movimento destas placas. Nas zonas de divergência entre as placas há um afastamento entre essas, enquanto nas zonas de convergência há o contato entre as placas, as quais causam pressão uma nas outras.

A crosta é a mais fina das camadas da Terra, e é nela que se tornam visíveis as transformações no relevo. A crosta sofre transformações constantes, tanto pelos agentes externos, quanto pelos agentes internos. Os agentes externos (exógenos) modeladores do relevo são constituídos pelos ventos, chuvas e o clima. Já os agentes internos (endógenos) são o tectonismo e o vulcanismo.

Referências

LUCCI, Elian Alabi (Org.). Território e Sociedade no mundo globalizado: Ensino Médio. V. 01. 1ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
LUCCI, Elian Alabi (Org.). Geografia: homem e espaço. 6º ano. São Paulo: Saraiva, 2012.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [UFJF/2009] Leia o fragmento de texto a seguir:
“Tais mudanças nas partes superficiais do globo pareciam, para mim, improváveis de acontecer se a Terra fosse sólida até o centro. Desse modo, imaginei que as partes internas poderiam ser um fluido mais denso e de densidade específica maior que qualquer outro sólido que conhecemos, que assim se poderia nadar nele ou sobre aquele fluido. Desse modo, a superfície da Terra seria uma casca capaz de ser quebrada e desordenada pelos movimentos violentos do fluido sobre o qual repousa.” (Benjamin Franklin, 1782, em uma carta para o geólogo francês Abbé J. L. Giraud-Soulavie in PRESS, frank et al. Para entender a Terra. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006).

Sobre a estrutura interna da Terra, pode-se AFIRMAR que:

a) A crosta é uma camada única constituída de uma placa tectônica, dividida em duas seções.
b) A litosfera é a camada mais densa e se mantém em movimento devido às correntes convectivas.
c) As camadas da Terra são separadas umas das outras por áreas denominadas descontinuidade.
d) Ela é formada por camadas alternadas, de densidades semelhantes, que diminuem da superfície para o centro.
e) O núcleo divide-se em duas partes: superior e inferior e seu material é o magma.

2. [UTFPR/2010] Verifique a figura a seguir e identifique as camadas da Terra que ela representa e, na sequência, identifique qual das alternativas traz a associação correta dessas camadas.

(A) I – Núcleo interno, II – Núcleo externo, III – Manto e IV – Crosta.
(B) I – Núcleo externo, II – Núcleo interno, III – Manto e IV – Crosta.
(C) I – Crosta, II – Núcleo externo, III – Manto e IV – Núcleo interno.
(D) I – Núcleo interno, II – Manto, III – Núcleo externo e IV – Crosta.
(E) I – Crosta, II – Manto, III – Núcleo externo e IV – Núcleo Interno.

1. [C]

As camadas da Terra são divididas por descontinuidades. Estas camadas são denominadas de: Mohorovicic (entre a crosta e o manto) e Wiechert-Gutenberg (entre o manto e o núcleo).

2. [D]

Conforme a imagem, a ordem das camadas é I constituído pelo núcleo, II representando o manto, III composto pelo núcleo externo e IV representando a crosta terrestre.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO