Conflitos pela água

Os conflitos pela água se estendem por diversas partes do mundo, concentrando-se, majoritariamente, nas regiões da África e Oriente Médio.

Com o crescimento populacional, os conflitos pela água aumentaram significativamente. A expansão da agricultura moderna provocou um novo jeito de consumir a água, tornando-se mais abrangente, intensa e ampla.

Por outro lado, com o passar dos anos, o uso não sustentável dos recursos naturais e a poluição provocaram a diminuição dos recursos hídricos no mundo. Em diversas regiões, crises políticas e tensões governamentais causadas pela escassez de água tornaram-se realidade.

conflitos pela água
(Imagem: Reprodução)

Importância da água

A água é um recurso natural indispensável. Além de ser a base para a vida dos seres vivos, é também considerada como estratégica, uma vez que sua importância social é imensa.

Além disso, o fato de a água não ser igualmente distribuída no mundo, acaba que locais mais abundantes com o recurso sejam privilegiados.

E por causa desta desproporcional distribuição, a água sempre foi envolta de disputas por nações. Os conflitos pela água remetem há séculos, mas o ápice das disputas se deu no século XXI.

Os conflitos pela água no mundo

O Oriente Médio e a África são dois dos lugares em que mais ocorrem conflitos pela água. O Oriente Médio, principalmente, acumula casos geralmente sob motivação de uma grande tensão político-territorial.

O caso da Palestina

No território atual da Palestina, a população muçulmana é privada por Israel de ter acesso às fontes hídricas. Esse é um dos motivos para a continuidade às instabilidades entre as duas nações.

Tensões entre Turquia, Iraque e Síria

Uma instabilidade geopolítica que vigora atualmente por conta de conflitos pela água é entre Turquia, Síria e Iraque. Os rios Tigre e Eufrates são o grande ponto central do conflito, já que abastecem tanto sírios, como também iraquianos..

O caso envolve as nascentes dos rios, que tem origem turca. No ano de 2009, uma forte seca acabou atingindo a região, diminuindo o fluxo das águas e acabou provocando ainda mais tensão entre as três nações.

Moral da história, o Iraque acusou Síria e Turquia de utilizarem os recursos hídricos acima do combinado, o que acabou causando uma falta de água crítica em território iraquiano.

Problema semelhante na África

Problemas semelhantes ao supracitado acaba acometendo o continente africano. O Rio Nilo acaba passando por uma disputa entre Egito, Sudão e Etiópia, ao passo que Botswana, Angola e Namíbia disputam a bacia de Okavango.

Dessa forma, os conflitos pela água surgem pela disputa do controle de nascentes e dos grandes rios que atravessam as nações. A solução para o problema ainda é distante, e a previsão para os próximos anos é de intensificação emergencial, que faça necessária interferência das comunidades internacionais.

O grande problema fere a questão que nações imperialistas invadam o território, exigindo custeio e exportação de água a um custo aplicado, segundo exigência.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO