Conferência de Estocolmo

A Conferência de Estocolmo teve importante papel para a discussão da necessidade de preservação do meio ambiente, mesmo não trazendo acordos definitivos com relação a questão.

A Conferência de Estocolmo, também conhecida pelo nome de Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, foi a primeira reunião de grande porte envolvendo chefes de estado. Foi organizada pela ONU, Organização das Nações Unidas, objetivando lidar com questões relacionadas à degradação do meio ambiente, e teve lugar entre os dias 5 e 16 de junho de 1972, em Estocolmo, na Suécia.

O evento ficou conhecido mundialmente como um marco nas tentativas de trazer melhorias para a relação entre o homem e o meio ambiente, mas também por ter dado início a uma sequência de reuniões que buscavam o equilíbrio entre a redução da degradação ambiental e o desenvolvimento econômico mundial.

Imagem: Reprodução

A história

A ausência de tecnologias que abrissem possibilidades de o ser humano realizar o controle do meio ambiente e de explorar os recursos naturais de forma mais ágil do que a natureza podia repor, acabou fazendo com que se criasse uma ideia errônea de que a natureza era uma fonte inesgotável de recursos que foram explorados sem grandes preocupações a médio e longo prazo quanto à sua disponibilidade. Algumas civilizações, inclusive, passaram por grandes problemas relacionados ao uso excessivo de alguns dos recursos da natureza durante a história, entretanto esse problema somente veio a se tornar realidade na mente das pessoas a partir do século XIX, quando a população acabou multiplicando-se de forma bastante intensa concomitantemente com a Revolução Industrial, que trouxe para o homem um aumento na capacidade tecnológica, que acabou trazendo consequências irreversíveis para o meio ambiente. Diante dessas questões, o mundo começou a presenciar o esgotamento de recursos indispensáveis à vida humana, contaminação de terras e rios, secamento de lagos e rios, inversão térmica e ilhas de calor. Isso fez com que começassem a compreender que a preservação e a colocação do tema em pauta era extremamente necessária para tentar frear os efeitos nocivos que estavam causando ao planeta. Diante disso, a ONU decidiu que se fazia necessária a realização dessa Conferência entre os chefes de estado, objetivando propor metas para conseguir diminuir o estrago e salvar o meio ambiente.

Os temas abordados durante a Conferência de Estocolmo envolveram principalmente temas relacionados à poluição atmosférica e dos recursos naturais, contando com chefes de 113 países e de mais de 400 instituições governamentais e não governamentais. Durante o evento houve muita divergência entre os países classificados como desenvolvidos e em desenvolvimento. Os países desenvolvidos, em geral, defendiam uma redução imediata no ritmo de industrialização mundial, mas os em desenvolvimento recusavam-se a admitir compromissos que pudessem, de alguma forma, limitar a capacidade de crescimento e enriquecimento, além das garantias de níveis adequados de qualidade de vida às respectivas populações. Isso porque, visivelmente, com as limitações do desenvolvimento zero, os países já desenvolvidos permaneceriam no topo, enquanto aqueles pobres e em desenvolvimento permaneceriam sem poder gerar qualquer tipo de desenvolvimento econômico, o que teria como consequência, inclusive, a continuidade na má qualidade de vida de parte da população destes que não pertenciam ao grupo dos desenvolvidos.

Diante disso, as propostas foram contestadas pelos países mais pobres, com objetivavam a construção de uma base econômica que tinha como fundamentação a industrialização. A conferência, portanto, ficou marcada pela disputa entre um desenvolvimento zero, defendido pelos países desenvolvidos, e o desenvolvimento a qualquer custo, que era defendido pelos países em desenvolvimento.

Na ocasião, portanto, não foi possível definir qualquer acordo que pudesse determinar metas concretas que deveriam ser cumpridas pelos países, entretanto foi concebido um documento político que recebeu o nome de Declaração da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, que foi adotado ainda em 6 de junho de 1972. Nesse documento, ficou reconhecido o direito humano a um meio ambiente de qualidade, permitindo, portanto, que o homem vivesse com dignidade. A conferência ainda foi de extrema importância, mesmo sem acordos firmados, para inserir a problemática como uma das prioridades para os governos dos países, objetivando a conscientização da população. De fato, toda essa situação de conscientização foi fundamental já naquela época, visto que mesmo após 45 anos da conferência e do início da consciência quanto a importância da preservação do meio ambiente, permanecemos sentindo as consequências de anos de irresponsabilidade com relação à industrialização irrefreável. Os desequilíbrios estão sendo sentidos com mais intensidade a cada dia, e ainda assim faltam cuidados que possam diminuir a destruição do meio ambiente e medidas que possam, no mínimo tentar, reestruturar esse meio.

Referências

Geografia para Ensino Médio – Demetrio Magnoli

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. A realização da Primeira Conferência Mundial do Desenvolvimento e meio Ambiente, em 1972, em Estocolmo, constituiu-se em importantíssimo evento sociopolítico voltado ao tratamento______________.”

(MENDONÇA, F. GEOGRAFIA E MEIO AMBIENTE, 8ª. ed,Contexto, 2008 S.Paulo, pág. 46)v

a) Das questões políficas entre o Norte desenvolvido e o Sul subdesenvolvido;

b) Das questões ambientais;

c) Das relações entre o Leste socialista e o Oeste capitalista;

d) Da não proliferação das armas nucleares;

e) N.D.A.

 

 

02. [UDESC] Em 1972, foi realizada a Conferência das Nações Unidas sobre o Homem e o Meio Ambiente, em Estocolmo (Suécia). Nesse encontro os chefes de Estado debateram questões sobre o meio ambiente e o desenvolvimento, reunião que ficou conhecida como a “tomada de consciência”. De lá para cá, muitas foram as preocupações ambientais que mobilizaram governos e ONG’s (Organizações Não Governamentais). Analise as proposições em relação aos eventos mais conhecidos em defesa do Meio Ambiente e da vida no Planeta, nas cinco últimas décadas.

I. A Assembleia Geral da ONU, de 1983, encarregou uma comissão para estudar o binômio desenvolvimento X meio ambiente.

II. O Relatório Brundtland, de 1987, cunhou pela primeira vez a ideia de desenvolvimento sustentável.

III. A Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento realizou-se em 1992, no Rio de Janeiro, mais conhecida como Rio-92.

IV. A Agenda XXI, elaborada durante a Rio-92, era um ambicioso programa para implantação de um modelo de desenvolvimento sustentável no mundo.

V. A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável(CNUDS), conhecida também como Rio+20 (2012), discutiu a renovação do compromisso em relação ao desenvolvimento sustentável.

 

Assinale a alternativa correta.

a) (    ) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

b) (    ) Somente as afirmativas I, II e V são verdadeiras.

c) (    ) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

d) (    ) Somente a afirmativa V é verdadeira.

e) (    ) Todas as afirmativas são verdadeiras.

01. [B]

02. [E]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO