Cerrado

Considerado como a "savana brasileira", o Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul e está em constante ameaça

Conhecendo o Cerrado

O Bioma Cerrado é encontrado na parte mais central do País, incluindo os estados de Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal.

Imagem: Reprodução

Está presente também em pequenas porções dos estados do Paraná, no sul do Brasil, e de Rondônia, na região Norte.

É o segundo maior bioma do Brasil é cobre uma área de 204 milhões de hectares.

Embora atualmente se reconheça a riqueza presente no Cerrado podemos afirmar que nem sempre foi assim.

Pelo contrário, por localizar-se nos sertões brasileiros e pelo aspecto retorcido de sua vegetação, este ecossistema foi sendo sistematicamente alterado.

O cerrado apresenta árvores baixas, inclinadas e tortuosas, com ramificações retorcidas, geralmente com evidências de queimadas e presença de grande quantidade de gramíneas no sub-bosque.

Imagem: Reprodução

Estas características se devem especialmente às condições dos solos que se mostram pobres em nutrientes como fósforo, cálcio, magnésio, potássio e matéria orgânica.

As raízes das plantas se mostram longas para que alcancem os lençóis freáticos, pois nos períodos de seca, entre maio e setembro, os índices de chuva são muito baixos, dessecando o solo em sua porção superficial.

Em função deste balanço hídrico muitas plantas perdem boa parte de suas folhas nesses períodos.

Conhecido por savana brasileira, o cerrado ocorre em áreas de clima quente com períodos de chuva e de seca bem definidos.

São nos períodos de poucas chuvas e com temperaturas elevadas que ocorrem incêndios espontâneos, fazendo com que muitas espécies de plantas se adaptassem a este fator. Para se ter uma idéia, muitas sementes, aguardam a passagem do fogo para que possam germinar.

Conforme as condições do solo e a oferta de água , o cerrado apresenta variações denominadas:

  • Cerrado: Composto por árvores baixas e retorcidas, arbustos, subarbustos e ervas
  • Cerradão: Formação florestal com predomínio de espécies arbóreas em matas fechadas
  • Campo Cerrado: Apresenta maior ocorrência de espécies gramíneas em áreas mais abertas.

Estas variações também são intercaladas por formações de florestas (como a mata de galeria que ocorre em fundos de vale, em córregos e riachos), várzeas e campos rupestres (com afloramentos rochosos).

Flora

Ainda que pouco conhecida, a flora do Cerrado mostra-se riquíssima. As plantas lenhosas arbustivas e arbóreas apresentam modificações muito peculiares. Em geral, possuem casca corticeira, folhas grossas, raízes profundas e galhos retorcidos.

As árvores mais altas do Cerrado chegam a 15 metros de altura. Apenas nas matas ciliares as árvores ultrapassam 25 metros e possuem normalmente folhas pequenas.

Destacam-se espécies como: angico, barbatimão, aroeira, ipê, copaíba, canjarena, pau-santo, pau-terra, pau-marfim, pau-jacaré, lobeira, gravatá, ingá, pequi, pata-de-vaca, mosquitinho e jabuticaba, sem falar em uma grande variedade de gramíneas, cactos, bromélias e orquídeas.

Imagem: Reprodução

Fauna

Muitas espécies do Reino Animal possuem adaptações especiais para ocuparem os diferentes ambientes que compõem este ecossistema.

Apresentam desde colorações que os confundem com o meio, tornando-os praticamente “invisíveis”, até especiações para a busca de alimento como línguas compridas como no caso dos tamanduás, além de garras para escavarem e defenderem-se.

Compõem a fauna do Cerrado animais como a cobra coral, ema, tamanduá-de-colete, lobo-guará, tatu-canastra, galito e suçuarana.

Imagem: Reprodução

Hidrografia

o Cerrado pode ser considerado como o berço das águas do Brasil: ele contribui com oito das 12 regiões hidrográficas do País, com destaque para três: as bacias dos rios Araguaia/Tocantins, do rio São Francisco e do rio Paraná.

Isso porque é em seu território que a encontramos as fontes de uma boa quantidade da água que banha essas bacias hidrográficas.

Clima

A principal característica do clima do Bioma Cerrado é a ocorrência de duas estações: uma chuvosa (outubro a abril), quando caem mais de 90% das chuvas, e uma seca (maio a setembro), com ausência quase total de chuvas.

As temperaturas médias anuais variam de 18ºC a 27ºC, sendo que a temperatura mínimas pode chegar a 8ºC e a máxima, a 34ºC.

Ameaça e preservação

Hoje considerado o segundo bioma mais ameaçado do Brasil, o Cerrado manteve-se preservado até a década de 1960.

Desde então, tem sido crescentemente ameaçado, principalmente pela prática de queimadas constantes e o desmatamento ilegal para ceder lugar ao plantio de grandes áreas de monoculturas e aos pastos que alimenta a pecuária.

Estes impactos estão também relacionados a venda de madeira para diferentes finalidades (móveis, carvão e lenha) e para ceder espaço e loteamentos.

A caça também é uma grande preocupação pois, há relações de extrema especificidade entre diferentes espécies de animais e destas com a própria manutenção do Cerrado.

A perda da biodiversidade pode se dar também com o tráfico de animais e plantas. A retirada de animais contribui para o empobrecimento desde ecossistema, pois, estes ocupam importantes funções na natureza como por exemplo, o controle de insetos, a dispersão de de sementes e a polinização.

Também contribuem negativamente a mineração e a poluição: a contaminação de ambientes, o extrativismo descontrolado sem o manejo adequado, o turismo desordenado, a educação ambiental ausente, a falta de planejamento adequado e o desconhecimento da nossa própria biodiversidade.

Outro fator ainda, é a questão genética que tem sido cada vez mais observada. Quanto maior a variabilidade genética de uma espécie, maior sua capacidade de adaptação às mudanças do meio. Esta troca genética fica dificultada quando os fragmentos remanescentes encontram-se muito dispersos.

Assim, muitas das espécies existentes neste ecossistema irão desaparecer sem sequer terem sido catalogadas.

O Cerrado em números:
2 milhões de quilômetros quadrados (km2) – quase 24% do território nacional
320.000 nº estimado de espécies de seres vivos
160 mil nº estimado de espécies de vírus
12 mil espécies de plantas
212 espécies de mamíferos
837 espécies de aves
184 espécies de répteis
113 espécies de anfíbios
1.200 espécies de peixes
90 mil espécies de insetos
137 espécies ameaçadas

Referências

Embrapa.br

Meioambiente.pr.gov.br

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [PUC-SP]: O texto abaixo refere-se à qual formação vegetal?
“De origem bastante discutida, essa formação é característica das áreas onde o clima apresenta duas estações bem marcadas: uma seca e outra chuvosa, como no Planalto Central. Ela apresenta 2 estratos nítidos: uma arbóreo-arbustivo, onde as espécies tortuosas têm os caules geralmente revestidos de casca espessa, e outro herbáceo, geralmente dispostos em tufos”.

a) Floresta tropical

b) Caatinga

c) Formação do Pantanal

d) Mata semiúmida

e) Cerrado

 

02. [UERJ]: Determinadas práticas econômicas agravam o avanço de desertificação em áreas brasileiras como o cerrado. Além das causas naturais envolvidas, o processo de desertificação é acelerado pelas seguintes ações humanas:

a) Desmatamento e criação extensiva de gado em áreas tropicais

b) Urbanização acelerada e implantação de loteamentos sobre pastagens

c) Abertura de estradas e plantio de pastos artificiais em áreas de mata equatorial.

d) Desvio de cursos de água em projetos de irrigação e uso de pesticidas na pecuária intensiva.

 

 

01. [PUC-SP]

Resposta: E

O cerrado é o bioma típico do Planalto Central, suas árvores são tortuosas e possuem cascas espessas. É característico da região um período chuvoso (outubro a março) e um seco (abril a setembro).

 

02. [UERJ]

Resposta: A

As grandes áreas desmatadas para a criação extensiva de gado, além da agricultura, principalmente a soja, são os principais fatores responsáveis pela desertificação do cerrado, causando o desgaste dos solos e provocando grandes problemas ambientais.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO