Biomas Terrestres

Cada bioma apresenta características variadas quanto a vegetação, temperatura e localização.

Os biomas são, basicamente, os conjuntos de vida existentes na Terra.

“Biomas são as maiores unidades constituintes da biosfera, em que há vida, na Terra.” (SILVA, 2013, p. 195)

Dentro de um mesmo bioma podem ocorrer vários ecossistemas, que são complexos dinâmicos (plantas, animais, microrganismos, etc.), que permitem que a vida se perpetue a partir da formação de um sistema estável. Existem diversos biomas terrestres como pode ser visto no mapa abaixo.

Mapa de localização dos biomas terrestres. Ilustração: Reprodução
Mapa de localização dos biomas terrestres. Ilustração: Reprodução

Confira abaixo uma explicação sobre cada um dos diferentes biomas da Terra.

1. Tundra

tundra-bioma
Foto: Getty Images

Na Tundra não há uma alta taxa de ocupação humana, justamente devido às condições climáticas destas regiões. A Tundra é considerada o bioma mais seco e frio que existe no mundo. As temperaturas são extremamente baixas e não há uma elevada insolação. As chuvas também são fenômenos raros nestas regiões. Os solos são congelados, chamados de permafrost, e a vegetação que se desenvolve é adaptada ao tipo de solo. Este tipo de bioma ocorre nas latitudes com maior distância desde o equador, ou seja, nas proximidades do Polo Norte.

“Nesse bioma, os invernos são muito longos e o frio é intenso (as temperaturas ficam em torno de -30ºC). Por isso, os animais que não migram vivem essa parte do ano escondidos em tocas abaixo da superfície.” (TAMDJIAN, 2012, p. 225)

Quando a temperatura da Tundra aumenta um pouco, parte do gelo derrete, e uma nova vegetação pode se desenvolver naquele período. O verão é muito curto, apenas dois meses, mas neste tempo a vegetação torna-se visível, uma mistura de musgos e líquens. Não se desenvolvem outros tipos de formação vegetal, pois mesmo no verão o frio continua intenso. Os musgos da Tundra são plantas de cor verde, os quais cobrem os solos daquele bioma nos períodos de temperaturas menos intensas. Já os líquens são uma espécie resultante da associação entre algas pequenas com fungos.

O permafrost é o solo típico da região da Tundra. É um solo permanentemente congelado, compreendido logo abaixo da superfície, no subsolo. Apesar da existência deste tipo de solo, no verão é possível ver pastagens alimentando os animais que vivem na Tundra. Este solo impede o desenvolvimento de plantas de maior porte, pois as raízes não conseguem penetrar mais profundamente. Assim, os animais precisam sobreviver com aquilo que cresce nos verões, ou migrar para outras regiões. Durante o inverno mais intenso, boa parte dos animais entra em hibernação. Durante o verão eles alimentam-se em demasia, criando uma grande camada de gordura corporal, a qual os manterá vivos durante a hibernação.

2. Taiga

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A Taiga recebe também os nomes de floresta boreal e coníferas. Esse tipo de bioma está presente nas latitudes acima de 45º, especialmente na América do Norte, na Europa e também na Ásia. O Canadá e a Rússia tem a maior parte de seus territórios compreendidos pela Taiga. Dentre os biomas terrestres, este é o maior em extensão. Embora seja vasto, sua biodiversidade não é tão expressiva.

“Em função do clima rigoroso, nela não há tanta biodiversidade de vegetação como em outras áreas do planeta.” (SILVA, 2013, p. 198)

As árvores comuns neste bioma são chamadas de coníferas, pois seu formato se assemelha ao de um cone. Os bosques apresentam árvores com mais de 40 metros de altura, e com uma aparência bastante homogênea. Os solos possuem cobertura de folhas, as quais pelo frio demoram para se decompor. Da mesma forma como ocorre na Tundra, é no período do verão que a vegetação aparece com maior intensidade, embora o período de temperaturas mais elevadas seja também curto.

Vários animais migram para a Taiga para reprodução nos verões, renovando o ciclo da vida.

3. Floresta Temperada

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

As Florestas Temperadas são típicas de regiões com clima temperado. As estações são bem definidas: inverno frio, primavera chuvosa, verão quente e outono mais ameno. Justamente devido às estações definidas, este bioma apresenta maior biodiversidade. Além de árvores coníferas, este bioma possui outras variedades de espécies arbóreas, além de arbustos e gramíneas. As florestas temperadas podem ser também chamadas de florestas caducifólias. As folhas neste bioma tem vida mais longa, caindo todos os anos no outono e inverno, que são as estações mais frias e secas. As florestas temperadas são conhecidas pela coloração das árvores antes de as folhas caírem, adquirindo uma tonalidade vermelha, amarela e laranja.

Embora tenham sido amplamente devastadas, essas florestas originalmente cobriam territórios da Europa Central e Ocidental, partes dos Estados Unidos, do sudeste da Ásia, e uma parcela do Japão.

4. Campos ou Pradarias

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A imagem acima é do campo sulino, no Brasil. Os campos ou Pradarias são biomas característicos de regiões temperadas. São vastas regiões de gramíneas, e de topografia aplainada, com algumas ondulações. Por suas características, são habitualmente utilizadas para pastagens. Não há significativa presença de árvores de grande porte.

“Essa vegetação nasce onde há pouca umidade para o crescimento de árvores – seja qual for a temperatura média –, havendo condições para que se desenvolva somente um tapete de gramíneas que se estende por milhares de quilômetros.” (TAMDJIAN, 2012, p. 232)

Nas regiões de clima mais frio, como no caso do Hemisfério Norte, as pradarias ficam por um tempo cobertas por gelo durante os invernos. Portanto, é uma vegetação que se adaptou com aquele clima. No Brasil, os campos são mais presentes no Rio Grande do Sul, conhecidos como pampas. Especificamente nos campos sulinos, o clima é caracterizado por altas temperaturas no período do verão, e frio intenso no inverno, inclusive com a presença de geadas e neve.

5. Floresta Tropicais

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Esse tipo de floresta também conhecida como floresta equatorial apresenta uma rica biodiversidade. Composta por dois estratos vegetais: Inferior (grama, musgos, ervas, e outras plantas que se desenvolvem próximas ao solo) e Superior (grandes árvores, muitas das quais com mais de 20 metros de altura, formando uma cobertura para os extratos mais baixos). Essas florestas são predominantes em regiões com altos índices pluviométricos, além das elevadas temperaturas. As florestas equatoriais podem ser chamadas também de floresta pluvial. A maior floresta equatorial do mundo é a Amazônica, na América do Sul. As folhas largas das copas das árvores dificultam a chegada dos raios solares até os estratos inferiores, formando solos profundos e úmidos, com abundante presença de húmus. As florestas equatoriais abrigam uma ampla diversidade de fauna e flora. E recebem esta nomenclatura devido à incidência na região equatorial.

6. Savanas

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

As savanas são formações que ocorrem em regiões de clima tropical. A vegetação é normalmente composta por gramíneas, arbustos e árvores. No Brasil, este bioma é conhecido como Cerrado, embora tenha suas particularidades em relação ao bioma nos demais lugares do mundo. Neste bioma o clima é bem marcado por duas estações: verão chuvoso e inverno seco. Durante o período das chuvas, a vegetação se desenvolve, mas durante a seca, ela irrompe seu crescimento, por isso não se apresentam vegetações de grande porte neste bioma. Essa oscilação climática faz com que os arbustos cresçam de forma distorcida.

7. Desertos

Foto: Getty Images
Deserto do Saara. Foto: Getty Images

Os desertos são biomas caracterizados pela falta de água, bem como pelos climas extremos, calor intenso durante o dia e frio intenso durante as noites. Essa diferença entre as temperaturas nos desertos é chamada de amplitude térmica. Isso ocorre, pois assim como as rochas e a areia se aquecem depressa com o calor do sol, elas também perdem calor demasiadamente depressa, esfriando a temperatura do ambiente. Isso ocorre porque há escassez de vapor d’água na atmosfera para permitir que o calor seja em parte retido. Essas condições tornam a vida nos desertos difícil, mas não a impedem.

Além do deserto do Saara, que é o maior e mais conhecido do mundo, na América do Sul há o deserto do Atacama, o qual fica no norte do Chile. O Atacama é considerado o mais seco e árido deserto do mundo.

Foto: Reprodução
Deserto do Atacama. Foto: Reprodução

Portanto, como foi possível perceber, há uma vasta diversidade de biomas terrestres, os quais são consequências de fatores internos e externos. Essas formações não são atuais, embora estejam em constante transformação, mas derivam da dinâmica da natureza ao longo de bilhões de anos.

Referências

SILVA, Edilson Adão Cândido da (Org.). Geografia em rede. 1º ano. São Paulo: FTD, 2013.
TAMDJIAN, James Onnig (Org.). Geografia: estudos para compreensão do espaço – como funciona o mundo. 6º ano. São Paulo: FTD, 2012.

Luana Caroline
Por Luana Caroline

Graduada em Geografia (UNIOESTE), Especialista em Neuropedagogia (FAU) e Mestre em Geografia (UNIOESTE)

Teste seu conhecimento

1. [UFPR/2011] O território brasileiro possui diversos biomas, entre os quais se destacam a Floresta Amazônica, o Cerrado e a Mata Atlântica. Sobre esses biomas, é correto afirmar:

a) O cerrado, que se localiza na região central do Brasil, tem como característica a formação em solos pobres e arenosos e, em consequência, é pouco ameaçado pela expansão agrícola.
b) A Floresta Amazônica, formação localizada notadamente no norte do Brasil, tende a desaparecer nas próximas décadas, haja vista que o desmatamento e as queimadas têm seus índices elevados ano a ano, evidenciando a ausência de políticas públicas voltadas à conservação daquela floresta.
c) A Mata Atlântica, formação que se estendia desde o litoral nordestino ao Rio Grande Sul, onde se localiza boa parte dos maiores centros brasileiros, foi o bioma mais desmatado do país, motivo pelo qual seus remanescentes foram transformados em unidades de conservação, o que lhe garante a maior extensão em áreas preservadas do Brasil.
d) Uma característica comum entre esses três biomas é que todos apresentam elevada biodiversidade e presença de espécies endêmicas, evidenciando que todos precisam ser igualmente preservados.
e) No Norte do Brasil, a urbanização excessiva das cidades tem como consequência o desmatamento e as queimadas, comprometendo a conservação da floresta, fato que frequentemente ganha grande dimensão na imprensa.

2. [UFPI] Sobre o bioma que compreende o Cerrado brasileiro, é correto afirmar que:

a) é encontrado nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, por conta das densas redes hidrográficas regionais.
b) tem vegetação arbustiva, caducifólia com raízes profundas, galhos retorcidos e casca grossa.
c) cobre 2 milhões de km2 do território nacional, sendo 80% inexplorados.
d) apresenta duas espécies vegetais dominantes, o buritizeiro e o pequizeiro, não exploradas economicamente.
e) tem solos de pouca profundidade o que facilita a infiltração das águas que corrigem a acidez dos solos.

1. [D]

Ambos os biomas são constituídos por ampla biodiversidade, e assim torna-se importante preservá-los, evitando o desequilíbrio dos ecossistemas.

2. [B]

A vegetação do cerrado brasileiro é composta por arbustos com galhos retorcidos, e com raízes profundas. Esses fatores se devem à baixa fertilidade dos solos, por serem pobres em minerais e compostos por excesso de alumínio.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO