Balança Comercial

A balança comercial, resumidamente, diz respeito ao valor da diferença entre o que um país exporta e importa.

A balança comercial diz respeito a um termo econômico. Ele se define como as importações e exportações respectivas entre nações. Basicamente uma balança comercial favorável é quando um país exporta muito mais do que importa. Sendo assim, uma balança comercial desfavorável diz respeito a um país que compra muito mais do que vende. Isso ocasiona uma alternância nos valores de acordo com o fluxo de transação entre os países. Por esse motivo, uma balança favorável traz diversas vantagens para um determinado país. Além de atrair mercado estrangeiro, aumenta a receita, diminui o valor de câmbio e gera emprego interno.

balança comercial
(Imagem: Reprodução)

Compreendendo exportação e importação

Antes de entender mais profundamente sobre o que é esse termo, é preciso compreender o conceito de exportação e importação. As exportações tratam de bens, serviços e produtos produzidos dentro de um país. Após a sua confecção, ele será vendido para o exterior, sendo enviados para clientes de outras nações compradoras. As importações, por outro lado, são gastos de uma determinada nação com bens, produtos e serviços. Geralmente (mas não é regra), um país só importa aquilo que não produz internamente.

Definindo-se os conceitos de importação e exportação, tem-se o que já era constatado. A balança comercial, portanto, é delimitada como a diferença entre o total de exportação em relação às importações. Isso será cabível de análise sob a variável de compra e venda de cada nação.

O superávit comercial: entendendo o termo que sucede a balança comercial

O superávit comercial será alcançado em um momento crucial da economia. Ele reflete o valor das exportações sendo maiores que os gastos com a importação. Ou seja, quando um país vende muito mais do que compra, diz-se que ele está sob superávit comercial. Quando ocorre o contrário – o que é muito comum entre os países subdesenvolvidos – diz-se que atingiu-se um déficit comercial. Há ainda uma terceira situação. Pode ocorrer também de haver estabilidade; um equilíbrio comercial. As cifras das exportações serem, variavelmente sutis, iguais às de importação.

Importância da balança comercial positiva ou estável

Importante antes é salientar os fatores que podem afetar esse sonho de um superávit comercial. Estão entre eles:

  • Os gastos com logísticas estratégicas para envio de produtos ao exterior;
  • Políticas e burocracias adotadas por outros países quanto a produtos exportados;
  • Renda per capita da população que reside na nação que compra do exterior;
  • Poder de compra da população;
  • Gastos preferenciais dos mesmos;
  • Taxa de câmbio flutuante;
  • Alta compra de moeda estrangeira;
  • Investimento populacional da compra adquirida nacionalmente para gastos pessoais no exterior;

É fundamental para toda a nação um superávit comercial. Apesar de nem sempre ser possível, o equilíbrio precisa sempre vigorar. Dessa maneira, é possível que se estabeleça um fluxo estável sobre o que entra e sai de um país. Proveniente dos recursos que se exporta, é possível equilibrar contas investindo nas importações. Além de estabelecer uma economia externa estável, o comércio interno tende a crescer. Afinal, contendo gastos menores com importações, é possível investir no produtor nacional, estimulando a economia.

Referências

ADVFN/BR – em: Link para o conteúdo

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [Espcex (Aman)] “Desde 2007, o saldo comercial brasileiro vem apresentando tendência de queda, puxada pelo mau comportamento do setor industrial, e em consequência da perda da competitividade da economia brasileira”

(Fonte: oglobo.globo.com/opniao/comercioexterior – Consulta em 26/03/2015).

A perda sistêmica de competitividade da indústria nacional e a consequente queda de sua participação na formação da riqueza nacional estão associadas, dentre outros:

I. aos elevados custos de deslocamento dos produtos de exportação, em virtude do predomínio das rodovias e da precária integração entre os modais de transporte

II. à grande dispersão espacial da indústria brasileira em regiões historicamente periféricas.

III. à baixa taxa de inovação da indústria brasileira, aliada ao fato de essa inovação estar mais relacionada à aquisição de máquinas e equipamentos do que ao desenvolvimento de novos produtos.

IV. aos inúmeros acordos bilaterais assinados pelo País, restringindo o número de seus parceiros comerciais no mercado externo.

V. à fraca mecanização das operações portuárias de embarque e desembarque e à intricada burocracia nos portos, provocando atrasos e congestionamentos nas exportações.

Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmativas corretas.

a) I, II e IV

b) II, IV e V

c) I, III e V

d) I, II e III

e) III, IV e V

02. [FGV] As commodities representaram 71% do valor exportado pelo Brasil de janeiro a maio. Nos cinco primeiros meses do ano passado essa participação era de 67%. As vendas ao exterior desses produtos avançaram 39,1%, muito mais que as dos manufaturados, 15,1%. Os cálculos são da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), obedecendo a critérios diferentes dos seguidos pelo Ministério do Desenvolvimento, já que incluem commodities classificadas como semi-manufaturados e mesmo alguns produtos considerados manufaturados pelas estatísticas oficiais. Entre esses itens estão açúcar refinado, combustíveis, café solúvel e alumínio em barras.

Disponível em: http://www.iedi.org.br/artigos/imprensa/2011/iedi_na_imprensa_20110629_commodities_ja_representam_71_das_exportacoes_do_pais.html


A reportagem revela uma mudança gradual no perfil das exportações brasileiras. Sobre esse tema, é correto afirmar:

a) Apesar do aumento da participação das commodities na pauta de exportações, o Brasil apresenta superavit na balança comercial dos produtos manufaturados.

b) O aumento da exportação brasileira de commodities, mencionado na reportagem, está fortemente baseado no crescimento da demanda asiática.

c) Nos últimos anos, o Brasil vem aumentando exponencialmente a sua participação no comércio de produtos de alta e média intensidade tecnológica.

d) A mudança revelada pela reportagem resulta da maior diversificação do setor produtivo brasileiro.

e) O câmbio valorizado foi um dos fatores que contribuíram para o aumento das vendas externas, tanto de commodities como de manufaturados.

01. [C]

02. [D]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO