Basquetebol

O basquetebol é um dos esportes mais conhecidos atualmente. Sua história remete a um período conturbado nos Estados Unidos e seu modo de jogar mudou bastante desde então.

Basquetebol

O basquetebol é um esporte bastante disseminado e reconhecido internacionalmente. No Brasil, apesar de ser uma prática esportiva que não é tão forte como o futebol, é bastante apreciado não apenas no campo profissional mas também em escolas ou mesmo no streetball (basquete de rua).

Esse esporte é jogado por duas equipes adversárias, compostas por 5 jogadores cada uma. O objetivo é marcar pontos na cesta do campo do oponente e impedir que a outra equipe faça o mesmo. Vence, assim, o time que conquistar mais pontos no fim do tempo de jogo. A seguir, vamos nos aprofundar sobre essa modalidade de esporte.

Regras

Com a institucionalização, a racionalização e a profissionalização das práticas esportivas, os esportes passaram a conter regras específicas e uniformes de funcionamento. Dessa forma, o basquetebol possui regras padronizadas que são utilizadas em jogos oficiais.

O tempo

Um jogo de basquetebol consiste de 4 períodos que duram 10 minutos cada. A primeira partida se inicia no momento em que a bola deixa as mãos do árbitro e é lançada para o alto. Os demais períodos do jogo começam com o jogador que faz a reposição lateral.

Existem pelo menos três intervalos no jogo: dois de 2 minutos (um entre o primeiro e o segundo período e outro entre o terceiro e o quarto período) e um de 15 minutos na metade da partida, ou seja, entre o terceiro e o quarto período. Além disso, a partir da metade do jogo, as equipes trocam o lado da cesta.

Em caso de empate no fim do quarto período, são feitos períodos extras de 5 minutos cada, até uma das equipes conseguir o desempate. Nesses períodos extras, os times permanecem no lado da cesta que estiveram no último período.

A bola

É permitido o uso apenas das mãos para manejar a bola. Desse modo, é proibido chutar ou bloquear a bola com partes dos membros inferiores. Apesar disso, se a bola tocar, por acidente, na perna ou nos pés, não é considerada uma falta.

Quando o árbitro lança a bola ao alto, um jogador de cada equipe está disposto em lados opostos e saltam, tentando dar um tapa na bola, com o objetivo de jogá-la para sua equipe. Nesse movimento, nenhum dos jogadores pode segurar ou dominar a bola.

Na marcação de pontos, uma bola é considerada dentro da cesta quando ela passa por cima dela e permanece ou atravessa-a por completo. Existem ainda os pontos-contra, quando um jogador acidentalmente marca uma cesta em sua própria equipe. Isso dá ao oponente 2 pontos.

Existe ainda uma série de regras que controlam as possibilidades dentro do jogo. Algumas delas podem incluir os fundamentos do basquetebol, e também regular as medidas da quadra e a posição dos jogadores. Veremos mais profundamente sobre esses temas a seguir.

Fundamentos

O basquetebol é fundamentado por alguns movimentos e técnicas essenciais para a sua prática. Podemos elencar, por exemplo, o passe, os giros, a defesa, o arremesso, o drible e a finta.

  • Passe: o passe é o ato de troca, jogando a bola em direção ao companheiro de equipe. Há várias técnicas de passe, como o lateral, ponte aérea e por trás das costas;
  • Giros: pode ser utilizado como uma forma de enganar o adversário, indo em uma direção e girando para outra após atrair o oponente;
  • Defesa: na defesa, o jogador não deve permitir que o adversário lhe ultrapasse, cuidando das marcações individuais, bloqueando os arremessos e ajudando o companheiro quando este for ultrapassado;
  • Arremesso: o arremesso é a ação que vai permitir a equipe marcar pontuações com o acerto da bola dentro do cesto. Pode ser considerado o ponto final de toda uma jogada;
  • Drible: há várias técnicas para fazer o drible, que consiste em se movimentar pela quadra quicando a bola no solo com apenas uma mão. Não é permitido driblar com duas mãos;
  • Finta: é uma tática para enganar o adversário, demonstrando uma intenção falsa de movimento e confundindo o oponente.

A boa prática do basquetebol requere o desenvolvimento dessas diversas técnicas e o trabalho em equipe. Assim, o treino e o desenvolvimento de estratégias para aproveitar os fundamentos do esporte com o objetivo de conquistar a vitória são necessários.

Quadra e jogadores

iStock

Os jogos oficiais são regulamentados por regras específicas do esporte. Nesse contexto, as medidas e o formato da quadra devem seguir os padrões dessas recomendações. Além disso, as posições dos jogadores na quadra também seguem esses parâmetros, descritos a seguir.

Quadra

  • Linha lateral: é a maior linha da quadra e deve medir 28 m;
  • Linha final: é a linha que delimita a quadra por largura, medindo 15 m;
  • Linha central: essa linha divide a quadra na metade, ficando paralela à linha final. Ela ainda deve se estender 0,15 m para além da linha lateral;
  • Círculo central: é um círculo com um raio de 1,80 m marcado no centro da quadra;
  • Área da cesta de campo de 3 pontos: são duas áreas posicionadas de cada lado da quadra, composta por duas linhas paralelas a 0,90 m das linhas laterais e um arco com um raio de 6,75 m;
  • Área restritiva: são campos retangulares limitados pelas linhas finais, medindo 5,8 m de comprimento e 4,9 m de largura;
  • Semicírculo de lance livre: o semicírculo de cada área oposta mede um raio de 1,80 m, com limite na área restritiva de cada campo;
  • Semicírculo sem carga: este semicírculo fica dentro da área restritiva, medindo um raio de 1,25 m a partir do centro do cesto;
  • O cesto: o centro do cesto fica posicionado a 1,575 m a partir da linha final.

Jogadores e suas posições

Uma equipe inteira pode conter no máximo 12 membros, incluindo o capitão. Em jogo, são apenas 5 indivíduos que podem participar, podendo ser substituídos. Além disso, são permitidos a presença do técnico, de um assistente de técnico e mais 7 acompanhantes (médico, fisioterapeuta, estatístico e outros profissionais).

Em quadra, cada um dos 5 jogadores recebe nomes e funções específicas. O primeiro, chamado de armador, é aquele que direciona e auxilia os demais a estarem na melhor posição para marcar pontos, sendo considerado o “cérebro” da equipe.

O segundo é a escolta ou armador-lançador, que faz uma função auxiliar ou substituta do armador, sendo muitas vezes o jogador mais veloz da equipe.

Em terceiro lugar há o ala/lateral, importante na defesa e também posicionado mais próximo à cesta. Em quarto, o ala/pivô, geralmente o jogador mais forte da equipe, que se move quase sempre perto da cesta.
Por último, o pivô ou centro, que desempenha um papel tanto defensivo como ofensivo. Ele tenta marcar pontos perto da cesta e também bloqueia lançamentos, além de geralmente ser o mais alto da equipe.

Na quadra e nas narrações, os jogadores são chamados também apenas por seus respectivos números. A dinâmica do jogo depende das estratégias e do desempenho das funções de cada jogador em sua posição.

História do basquetebol no Brasil e no mundo

Fotografia do jogo entre Brasil e Chile (1952)
Fotografia de uma partida de basquetebol entre Brasil e Chile (1952).

O basquetebol surgiu na década de 1890, nos Estados Unidos, em um contexto de instabilidade política, social e cultural. Os conflitos raciais eram uma das grandes causas desse momento turbulento, marcado pelas desigualdades de oportunidades e violências sofridas pela população negra e trabalhadora.

O esporte surgiu para suprir a necessidade de recreação dos jovens da Associação Cristã de Moços. Procurava-se uma atividade que fosse interessante e possível de ser feita no inverno, em ambiente fechado. James Naismith se incumbiu da tarefa, tentando criar um esporte competitivo que atraísse jovens norte-americanos.

Nas primeiras tentativas, o basquetebol foi praticado por dois times compostos cada um de nove jogadores e com um conjunto de 13 regras. Naismith acreditava que o esporte traria uma melhora física e espiritual aos jogadores, além de uma oportunidade de atenuar a desordem social.

A primeira cesta do esporte tinha um fundo onde a bola não atravessava. Com o passar dos jogos, esse fundo acabou se rompendo e, assim, surgiu a ideia de cortar o fundo dos cestos. Dessa forma, a continuação do jogo foi facilitada.

Incialmente, o basquetebol era praticado em escolas e clubes de classes médias e altas. Entretanto, o esporte começou a se difundir em grupos populares de maneira informal. Na década de 1950, o basquetebol norte-americano passou por uma democratização maior do esporte e se transformou.

O jogo passou a ficar mais dinâmico, o que favoreceu a espetacularização do esporte e permitiu sua difusão ao público. Com isso, a mídia passa a exercer a transmissão dos jogos e a atrair investidores.

No Brasil, o esporte veio com o professor norte-americano Augusto Shaw. Inicialmente, o estilo foi melhor recebido entre o público feminino, o que fez com que homens ficassem receosos de se engajarem.

Com a insistência de Shaw, o basquetebol passou a ser difundido. As primeiras regras foram traduzidas em 1915 para o português. Nesse mesmo ano é realizado um torneio na América do Sul. E em 1933 é criada, no Rio de Janeiro, a Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

As primeiras regras do esporte permitiam a participação de até 40 pessoas dentro da quadra. Em 1892, esse número foi reduzido a 7 ou 5 e, em 1897, foi determinado o número de 5.

Também ocorreram mudanças em relação ao tempo. O jogo inicialmente tinha a duração de 30 minutos e um intervalo de 5 minutos. Em 1980, foi adotado 40 minutos com 10 minutos de descanso. Em 2000, a partida passou a ser composta por 4 períodos de 10 minutos, com intervalos específicos.

Além dessas regras, uma série de outras foram acrescentadas e desenvolvidas. Como o esporte é ativo e contemporâneo, elas ainda continuam se adaptando e evoluindo.

Assim, entender a história do basquetebol é importante para compreender seu contexto e importância. Atualmente ele é um dos esportes mais apreciados mundialmente, e é praticado em jogos informais, de rua e em competições profissionais.

Referências

Basquetebol. Aspectos históricos e funcionais – José Eduardo Costa de Oliveira;

A evolução das regras do Basquetebol – Marlene Feriato;

A história do Basquetebol vista sob outra ótica – Edson Hirata e Fernando Augusto Starepravo;

Basquetebol – Fundamentos, práticas e valores – Rogério Weneck;

Os estudos sociais sobre o basquetebol no Brasil: uma abordagem inicial – Felipe Mellini;

Considerações histórico-sociológicas acerca do basquete de rua e suas possíveis relações com a educação física escolar – Felipe Canan e Rogério Vaz da Silva;

Regras oficiais de Basquetebol – Confederação Brasileira de Basketball;

Jogadores e posições – NBA.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [Prefeitura Municipal de Octacílio Costa]

Cada equipe de basquetebol dever ter em quadra:
a) Cinco jogadores
b) Sete jogadores
c) Oito jogadores
d) Nove jogadores

Resposta: A

Justificativa: Apesar de na história do basquetebol já haver um número maior permitido de jogadores na quadra, as regras atuais regulamentam o número de 5 jogadores.

2. [IFCE]

São fundamentos básicos do basquetebol:
A. saque, manchete, toque, ataque e bloqueio.
B. passe, drible, arremesso, lance-livre e rebote.
C. passe, recepção, empunhadura, arremesso, finta e drible.
D. passe, drible, arremesso e toque.
E. passe, toque, drible, arremesso, rebote e lance-livre.

Resposta: B

Justificativa: as demais alternativas apontam fundamentos que não são do basquetebol, como saque, manchete, empunhadura e toque.

3. [UEM]

Marque o que for correto sobre o basquete no contexto brasileiro.
01) Apesar de ter contribuído diretamente para a criação e para o desenvolvimento de várias modalidades esportivas no mundo todo, a Associação Cristã de Moços (ACM) não interveio no processo de implementação e consolidação do basquete no Brasil.
02) O Brasil foi um dos primeiros países a conhecer o basquete, situação propiciada pela vinda de um professor norte-americano (conhecedor da modalidade recém-criada), convidado para lecionar no Mackenzie College, em São Paulo.
04) A imediata aceitação do basquete por mulheres, no Mackenzie College, em São Paulo, dificultou a difusão da modalidade entre os rapazes, fortalecendo a ideia do machismo tão presente à época.
08) A prática do futebol por homens e sua grande aceitação foram elementos essenciais que os motivaram a buscar paralelamente outras modalidades de esporte coletivo, a exemplo do basquete.
16) Apesar de ser esporte competitivo pautado no desenvolvimento da aptidão física e da técnica corporal refinada, o basquete, no contexto brasileiro, pode ser trabalhado numa dimensão formativa, valorizando-se sua prática como forma de lazer e promoção da saúde.

Resposta: 22 (02+04+16)

Justificativa: As demais alternativas estão incorretas pois: a Associação Cristã de Moços (ACM) foi diretamente importante na disseminação do Basquetebol no Brasil, que acabou sendo um dos primeiros países a recepcionar o esporte por meio do professor norte-americano Augusto Shaw. Além disso, a prática foi inicialmente aceita por mulheres, o que inicialmente levou a um receio do público masculino em se engajar nessa modalidade esportiva.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO