Transporte Ativo e Passivo

O Transporte Ativo e Passivo abrange o modo em que a membrana permeia substâncias com ou sem gasto de energia, respectivamente.

Determina-se o que é transporte ativo e passivo a partir da observação da permeabilidade de uma membrana. Quando há gasto de energia envolvendo, dizemos que se trata de um transporte ativo. Enquanto isso, quando não há gasto, chamamos de transporte passivo.

Os dois tipos de transporte acontecem na membrana plasmática. Essa estrutura tem sua formação delimitada em duas camadas de fosfolipídeos.

Através destas camadas mencionadas, notam-se proteínas que cobrem toda essa bicamada. Funcionando, em muitos dos casos, como poros, elas também atuam como receptoras.

Transporte Ativo e Passivo
Exemplo de transporte ativo. (Imagem: Reprodução)

Assim, a membrana plasmática assume função e capacidade de permitir o que entrará e sairá da célula. Ela garante, portanto, que o meio intracelular tenha uma manutenção adequada e equilíbrio de substâncias.

É por causa da manutenção do meio intracelular que o transporte ativo e passivo surgirá. Para garantir que diferentes substâncias adentrem e saiam, este é classificado nos dois grupos supracitados.

Transporte Ativo e Passivo: diferenças

Cada um dos tipos de transporte, seja ativo ou passivo, apresentará as suas respectivas características. Como já mencionado, o transporte ativo envolve gasto de energia, enquanto o transporte passivo, não.

Transporte Passivo

O transporte passivo não envolve gasto de energia, pois ocorre a favor do gradiente de concentração. Assim, ele coordena substâncias, direcionando-as de um meio de maior concentração para um de menor concentração.

Dessa forma, o transporte passivo pode ser dividido em três diferentes tipos:

  • Difusão Simples: As proteínas de transporte precisam ser lipossolúveis. Assim, devem apresentar afinidade aos fosfolipídeos, para que consigam atravessar a bicamada.
  • Difusão Facilitada: Ocorre por meio das proteínas denominadas permeases. Elas se ligam a substâncias sem afinidade com os fosfolipídeos. Ao ligarem-se, a difusão é facilitada a favor do gradiente de concentração.
  • Osmose: Ocorre quando há a movimentação da água. A osmose ocorre entre dois meios aquosos, onde uma membrana semipermeável os dividirá. A água irá do meio menos concentrado para o mais concentrado, até que haja equilíbrio.

Transporte Ativo

O transporte ativo proporciona gasto de energia, uma vez que vai contra o gradiente de concentração. Diferentemente do transporte passivo, a movimentação não é espontânea, sendo necessária energia para ativar o ciclo.

Assim, o transporte ativo é dividido em:

  • Transporte ativo primário: ocorre pela quebra de ATP. Neste momento, há liberação de energia a ser utilizada pelas proteínas de transporte. Elas, então, carregarão moléculas através de um gradiente de concentração contrário.
  • Transporte ativo secundário: modifica as concentrações observadas nas moléculas transportadas, dividindo-as em dois lados da membrana. Nisso, esse tipo de transporte ativo movimentará as partículas a partir dos diferentes graus de concentração. Este, inclusive, estabelecido pelo transporte ativo primário.
  • Endocitose: abrange o transporte de um grande número de moléculas para o meio intracelular. Isso acontece graças ao englobamento de partículas, seja através da fagocitose ou da pinocitose.
  • Exocitose: abrange o transporte de um grande número de moléculas para o meio extra-celular.

Assim, transporte ativo e passivo abrange formas diferentes de células/moléculas deixarem ou adentrarem as células. De modo bastante básico, estas funções serão responsáveis por manter as células saudáveis e nutridas.

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [UFPA] Em certas condições, uma célula vegetal pode sofrer o fenômeno da plasmólise. Isso acontece porque:

a) Em meio hipotônico, a célula perde água.

b) Em meio hipertônico, a célula absorve água.

c) Em meio hipotônico, a célula absorve água.

d) Em meio hipertônico, a célula perde água.

e) Em meio isotônico, a célula perde eletrólitos.

 

02. [Unifesp] O uso de vinagre e sal de cozinha em uma salada de alface, além de conferir mais sabor, serve também para eliminar micro-organismos causadores de doenças, como as amebas. O inconveniente do uso desse tempero é que, depois de algum tempo, as folhas murcham e perdem parte de sua textura. Esses fenômenos ocorrem porque

a) as amebas morrem ao perderem água rapidamente por osmose. Já as células da alface possuem um envoltório que mantém sua forma mesmo quando perdem água por osmose e, por isso, murcham mais lentamente.

b) tanto as amebas quanto as células da alface não possuem barreiras para a perda de água por difusão simples. Ocorre que, no caso da alface, trata-se de um tecido e não de um único organismo e, portanto, a desidratação é notada mais tardiamente.

c) as amebas morrem ao perderem água por osmose, um processo mais rápido. Em contrapartida, as células da alface perdem água por difusão facilitada, um processo mais lento e, por isso, percebido mais tardiamente.

d) o vinagre, por ser ácido, destrói a membrana plasmática das amebas, provocando sua morte. No caso da alface, o envoltório das células não é afetado pelo vinagre, mas perde água por difusão simples, provocada pela presença do sal.

e) nas amebas, a bomba de sódio atua fortemente capturando esse íon presente no sal, provocando a entrada excessiva de água e causando a morte desses organismos. As células da alface não possuem tal bomba e murcham por perda de água por osmose.

01. [D]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO