Relações ecológicas

Na natureza, apresentam-se muitas relações ecológicas, que podem ser intraespecíficas ou interespecíficas, e também harmônicas ou desarmônicas.

Em uma mesma comunidade, os seres vivos se relacionam não somente entre si, mas também com o meio e, além disso, essa interação não acontece somente entre os indivíduos de mesma espécie, mas também entre espécies diferentes. Ao primeiro caso, damos o nome de relações intraespecíficas, enquanto ao segundo, chamamos de relações interespecíficas. Essas relações podem, ou não, ter efeitos benéficos para os indivíduos. Quando ambos os indivíduos dessa relação são beneficiados, ou apenas um, mas sem causar prejuízos ao outro, chamamos de relações harmônicas. Quando se trata de uma relação desarmônica, estamos falando de uma relação em que há prejuízos para, pelo menos, um dos indivíduos envolvidos.

Relações harmônicas

As relações harmônicas, como mencionamos anteriormente, oferece benefícios para um, ou para ambos os indivíduos, sem que haja danos para qualquer um deles. Essas relações podem ocorrer de forma intraespecífica, ou seja, entre a mesma espécie, como é o caso das abelhas e dos cupins que, em sociedade, dividem seu trabalho entre os indivíduos, ou em colônia, quando há a associação anatômica entre os indivíduos que, a partir de sua união, desempenham funções específicas, como é o caso dos corais.

No caso das relações harmônicas interespecíficas, podemos categorizar em quatro tipos: mutualismo, protocooperação, inquilismo e comensalismo. No caso do mutualismo, ambas espécies se associam e se beneficiam, porém a relação é imprescindível para que ambas sobrevivam, como é o caso dos líquens, que são associações de fungos e algas. Já para a protocooperação, ambas as espécies têm benefícios, porém sem que isso gere dependência ou união entre elas. Um exemplo é a relação entre os caranguejos-eremita e as anêmonas-do-mar. O inquilismo, por sua vez, é a relação em que um dos indivíduos fornece proteção ou moradia ao outro sem que haja prejuízos para si, como o caso das orquídeas epífetas. Por fim, o comensalismo é a relação em que um dos indivíduos se alimenta dos restos alimentares do outro, fornecendo benefícios, portanto, à apenas uma das espécies sem que haja prejuízo para a outra.

Relações desarmônicas

Quando há relações desarmônicas intraespecíficas, estamos falando do canibalismo e da competição. No caso do canibalismo, o indivíduo se alimenta do outro de sua espécie, sendo o que serve de alimento, normalmente, mas frágil e menos capaz. Na competição, pode haver competição por território, além de parceiros para reprodução, alimentos, entre outros motivos.

Para as relações interespecíficas, há o amensalismo, a herbivoria, o predatismo, o parasitismo e a competição. No caso do amensalismo, nos referimos ao desenvolvimento ou nascimento de indivíduos de uma determinada espécie em decorrência da secreção de substâncias tóxicas que são produzidas pela outra espécie. Como exemplo, podemos citar a secreção antibiótica dos Penicillium. Já a herbivoria consiste em herbívoros que se alimentam de partes ou de plantas inteiras, como é o caso do boi que se alimenta do capim. O predatismo é a captura e morte para alimentação do indivíduo da espécie A para que B sobreviva. Como exemplo, podemos citar leões que capturam gazelas na mata para alimentar-se. O parasitismo, por sua vez, consiste na alimentação, por parte do parasita, de seu hospedeiro. Apesar de nem sempre levar à óbito, pode causar prejuízos à saúde do hospedeiro. Como exemplo, citamos o carrapato e as lombrigas. Por fim, temos a competição, que envolve a disputa por recursos em nichos ecológicos semelhantes por parte de espécies diferentes.

Imagem: Reprodução

Referências

Bio – Sônia Lopes, Sérgio Rosso

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [PUCCAMP] Considere as afirmações abaixo relativas a fatores de crescimento populacional.

I. A competição intraespecífica interfere na densidade da população.

II. A competição interespecífica não influi no crescimento das populações.

III. Um dos fatores limitantes do crescimento populacional é a disponibilidade de alimentos, que diminui quando a densidade da população aumenta.

IV. Fatores climáticos influem no crescimento da população independentemente de sua densidade.

São verdadeiras apenas:

a) I e II.

b) I e IV.

c) II e III.

d) I, III e IV.

e) II, III e IV.

 

02. [Cesgranrio] Se duas espécies diferentes ocuparem num mesmo ecossistema o mesmo nicho ecológico, é provável que:

a) se estabeleça entre elas uma relação harmônica.

b) se estabeleça uma competição interespecífica.

c) se estabeleça uma competição intraespecífica.

d) uma das espécies seja produtora e a outra, consumidora.

e) uma das espécies ocupe um nível trófico elevado.

 

01. [D]

02. [B]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO