Pteridófitas

Vegetais vasculares que não possuem semente e não produzem flores, sua reprodução é assexuada e são consideradas as primeiras plantas da Terra.

1. Introdução

Pteridófitas são plantas sem sementes que não produzem flores (criptógamas) e possuem um sistema vascular composto por tubos por onde percorrem a seiva. Pteridófitas como as samambaias e as avencas, são muito utilizadas como plantas ornamentais e na produção de xaxim.

Samabaia, um exemplo planta dos grupo das de pteridófitas. Foto: Getty Images
Samabaia, um exemplo de planta dos grupo das de pteridófitas. Foto: Getty Images

“O aparecimento dos tecidos condutores, o revestimento das partes aéreas por material impermeabilizante e o desenvolvimento de raízes e de folhas com estômatos, permitiram às pteridófitas ocupar e dominar os espaços emersos por mais de uma centena de milhões de anos. (OLIVEIRA, 1996, p. 201)”

Entre 10.500 e 11.300 espécies de pteridófitas são conhecidas em todo o mundo, das quais, cerca de 2.000 ocorrem em zonas temperadas e 80% concentra-se nas regiões tropicais. Cerca de 3.000 espécies podem ser encontradas na América do Sul, dentre as quais, aproximadamente 1.300 no Brasil.

2. Caraterísticas

As pteridófitas são consideradas as primeiras plantas terrestres, mas algumas podem ser epífitas (vivem sobre outra planta) ou aquáticas. São formadas por raiz, caule e folhas. A função da raiz é a absorção de água e de nutrientes, já suas folhas que lembram penas ou asas, são responsáveis pela fotossíntese.

Estas plantas habitam ambientes úmidos e são largamente encontradas em florestas tropicais. Do caule (rizoma), responsável pelo transporte de nutrientes, surgem folhas aéreas. O desenvolvimento do caule é subterrâneo e, em algumas delas, ele pode nascer sobre o tronco de uma outra planta (epífitas), não caracterizando, porém, parasitismo, já que as epífitas utilizam a planta hospedeira somente para conseguir luz solar e umidade mais facilmente. O seu eficiente sistema vascular possibilita rapidez no transporte de nutrientes e o desenvolvimento de plantas de porte médio a alto.

2.1 Reprodução

“‘O termo criptógama’ (do grego kriptos, escondido, e gamos, casamento) significa ‘órgãos reprodutivos escondidos, não evidentes'”. (AMABIS E MARTHO, 2006, p. 111)

A reprodução nas pteridófitas pode ser assexuada e sexuada. A característica reprodutiva principal é a alternância de gerações, formada por uma fase gametofítica e outra esporofítica, sem produção de flores, onde a fase duradoura é a diplóide ou esporofítica. O vento dissipa os esporos maduros que germinam em contato com a água formando outra estrutura, o prótalo. O prótalo é um gametófito que origina os elementos masculinos e femininos. A fecundação depende do transporte da oosfera através da água para que ocorra a fase da reprodução sexuada.

Ciclo reprodutivo das pteridófitas. Ilustração: Reprodução
Ciclo reprodutivo das pteridófitas. Ilustração: Reprodução

“Em todas as Pteridófitas, após haver fecundação, o ovo resultante (zigoto) germina e produz um nova planta igual à de origem.” (FERRI, 1981, p. 118)

O gametófito nas pteridófitas morre após a produção de gametas e a fecundação, enquanto o esporófito permanece vivo após a produção de esporos.

Referências

AMABIS, Jose Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos organismos 2. Ed. Moderna, 2006, p. 109-119.
FERRI, Mário Guimarães. Botânica: Morfologia externa das plantas: organografia.
NBL Editora, 1981, págs. 112 – 120.
OLIVEIRA, Eurico Cabral de. Introdução à Biologia Vegetal. Vol. 07,EdUSP, 1996, págs. 189 – 201.
PACIENCIA, Mateus Luis B. Diversidade de pteridófitas em gradientes de altitude na Mata Atlântica do Estado do Paraná, Brasil. Tese de Doutorado, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, 2008.

Larissa Aras
Por Larissa Aras

Graduada em Ciências Biomédicas (EBMSP) e Especialista em Gestão da Segurança de Alimentos (SENAC)

Como referenciar este conteúdo

Aras, Larissa. Pteridófitas. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/biologia/pteridofitas. Acesso em: 21 de November de 2021.

Teste seu conhecimento

1. [FUVEST/1998] O seguinte esquema representa o ciclo de vida da samambaia.

faseesporofica

A letra A representa a célula haplóide que faz a transição da fase esporofítica para a fase gametofítica; a letra B representa a célula diplóide que faz a transição da fase gametofítica para a fase esporofítica.

a) Descreva resumidamente a aparência das plantas que representam a fase esporofítica e a fase gametofítica.

b) Quais são os nomes das células representadas pelas letras A e B?

2. [UFPR/2006] O esquema abaixo representa o ciclo reprodutivo de uma pteridófita (samambaia):

oosfera
Nesse ciclo reprodutivo, a meiose ocorre:

a) no esporófito, para a formação dos esporos.
b) no gametófito, para a formação de gametas.
c) logo após a fecundação.
d) durante o desenvolvimento do zigoto.
e) durante a germinação dos esporos.

1A. A fase esporofítica, vascular, é a planta completa, com raiz, caule e folhas. O caule, em geral, é subterrâneo (rizoma). As folhas costumam ser compostas, com folíolos que, quando férteis, apresentam soros em sua face ventral. A fase gametofítica, ou protalo, é uma pequena lâmina verde, avascular, com rizóides e portadora de órgãos produtores de gametas (arquegônios e anterídios).

 1B. A célula A é o esporo; a célula B é o zigoto.

2. [A]

Nas pteridófitas a meiose ocorre na fase esporofítica.

Compartilhe

TOPO