Plâncton

O plâncton se caracteriza como os animais que vivem à mercê das correntes aquáticas, ou seja, sem capacidade de locomoção ativa.

Os organismos aquáticos podem ser divididos de acordo com sua capacidade de deslocamento na coluna de água, ou seja, seu posicionamento e locomoção. Os organismos que não apresentam formas efetivas de locomoção no ambiente aquático, ou seja, que apresentam uma movimentação passiva constituem o grupo chamado de plâncton.

Aqueles que apresentam movimentação ativa na água, isto é, que nadam e vencem as correntes, formam o grupo chamado de nécton. Já aqueles que habitam o fundo do mar, sejam fixos (sésseis), ou móveis (se locomovendo pelo fundo em contato com o solo), constituem o grupo chamado de bentos.

Focaremos, então, nos organismos que não se movem efetivamente na água, que são levados pela correnteza e que nós conhecemos com plânctons. Esse grupo de organismos apresenta uma elevada importância para a manutenção do ecossistema, pois são a base da cadeia alimentar, responsáveis por grande parte da produtividade primária.

Uma série de organismos microscópicos diferentes pode compor o plâncton, classificados de acordo com a forma de nutrição. Os organismos planctonicos que realizam fotossíntese são autótrofos. Já aqueles que não realizam fotossíntese são heterótrofos. Nos próximos parágrafos, iremos tratar com maior especificidade esses dois tipos de plânctons.

Características dos plânctons

Plânctons Bioluminescentes

Uma grande diversidade de organismos acaba constituindo o plâncton, já que essa não é uma classificação taxonômica, ou seja, não tem o objetivo de demonstrar o parentesco morfológico e evolutivo dos organismos.

O objetivo, então, é classificar todos os organismos independente de sua origem evolutiva, de acordo com seu modo de deslocamento na coluna d’água.

Flutuabilidade

Todos os organismos planctônicos apresentam uma ótima flutuabilidade, porém, tal capacidade não se deve à densidade, já que tais organismos são mais densos que a água. Se os organismos são mais densos que a água, eles deveriam afundar. Entretanto, por meio de estratégias adaptativas, esses organismos evitam sua submersão.

Dentre as principais adaptações que permitem a flutuação, podemos citar: a realização de movimentos do corpo ou de parte do corpo desses organismos, a redução do peso (que pode ser proporcionada pela redução do tamanho corporal) e a presença de substâncias que apresentam menor densidade que a água (como por exemplo: alguns tipos de óleos).

Disposição

os organismos planctônicos apresentam um padrão de disposição vertical. Conforme aumenta a profundidade da coluna d’água, diminui a concentração do plâncton. Isso pode ocorrer devido a uma série de fatores, tanto bióticos quanto abióticos.

Dentre esses fatores, o de maior relevância é a luminosidade, que diminui conforme aumentamos a profundidade e interfere na taxa fotossintetizante do fitoplâncton. A temperatura, a salinidade e a disposição de nutrientes são outros fatores que influenciam na disposição do plâncton.

Tamanho

Como diversos indivíduos de reinos diferentes constituem o plâncton, há seres de tamanhos variados. Devido a isso, temos uma classificação dos organismos planctônicos de acordo com suas dimensões.

Os menores organismos constituem o fentoplâncton (0,02 a 0,2 µm). Conforme as dimensões aumentam, encontramos o picopâncton (0,2 a 2 µm), o nanoplâncton ( 2 a 20 µm), microplâncton (20 a 200 µm), mesoplâncton (200 µm a 20 mm) e macroplâncton ( 2 a 20 cm).

Reinos

Ao realizar uma classificação taxonômica dos integrantes do plâncton, é possível encontrar representantes de diversos reinos. Há algas e protozoários classificados dentro do reino Protista, como também larvas de crustáceos e outros integrantes do reino Animália e ainda cianobactérias presentes no reino monera.

Ocorre, no entanto, uma diferenciação dos organismos planctônicos de acordo com o tempo que o ser vivo constitui o plâncton. Aqueles animais que passam sua vida no plâncton, são chamados de holoplâncton.

Já aqueles que constituem o plâncton apenas durante seu estágio juvenil de desenvolvimento e posteriormente constituem o necton ou o bentos caracterizam o meroplâncton.

Tipos de plâncton

Além das classificações já mencionadas, há também alguns tipos de plânctons.

  • Fitoplâncton: constituído por organismos eucariontes (apresentam núcleo organizado) integrantes do reino Protista e que realizam fotossíntese, ou seja, as algas.
  • Zooplâncton: constituído por organismos eucariontes e heterotróficos, agrupados no reino Protista e que não realizam fotossíntese.
  • Bacterioplâncton: inclui algumas bactérias, principalmente as conhecidas como cianofíceas.
  • Ictioplâncton: formado pelos estágios larvais dos integrantes do necton, que apresentem pouca locomotividade, como por exemplo ovos ou larvas de peixes.

Exemplos de plânctons

  • Algas microscópicas;
  • Bactérias fotossintetizantes;
  • Protozoários heterótrofos;
  • Larvas de invertebrados;
  • Copépodos;
  • Apendiculárias;
  • Moluscos Escafópodes
  • Ovos e larvas de peixes;

Rede de plâncton: para que serve?

A obtenção de dados acerca da comunidade (conjunto de populações) que constituem o plâncton é indispensável para estudos que buscam uma melhor compreensão acerca da qualidade da água dos ecossistemas aquáticos. Pensando nisso, se desenvolveu um método de coleta de plânctons, para o qual é utilizada uma rede.

Existem diversos tipos de redes de plânctons. De maneira geral, a rede deve ter um formato cônico. Na extremidade inferior é acoplado um copo que pode ser rosqueado e deve apresentar uma saída vedada por tela de náilon que vai proporcionar uma a saída da água e a retenção de organismos no interior do copo.

As características específicas da rede, como modelo, diâmetro dos poros presentes na malha (tecido) e comprimento, são definidas de acordo com o objetivo do estudo e as características do local.

Por exemplo, o tamanho da abertura da malha para a coleta de fitoplâncton varia em torno de 20 a 64 µm, já para a coleta de zooplâncton é recomendado a utilização de malhas com poros maiores em torno de 100 até 200 µm.

Os estudos acerca do plâncton tiverem início em meados do século XIV, quando o biólogo alemão Johannes Müller passou uma rede fina pela superfície do mar com o objetivo de capturar partículas em suspensão. Porém, o que o biólogo alemão encontrou foi uma comunidade de microrganismos, até o momento desconhecida, composta por inúmeros de reinos diferentes.

Entretanto, o emprego do termo “plâncton” se deve a outro biólogo também alemão chamado Victor Hensen, que no final do século XIX definiu inicialmente plânctons como partículas orgânicas que flutuam livremente e involuntariamente pelos corpos d’água.

Referências

AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues; BIOLOGIA DOS ORGANISMOS. Vol.3; 4 ed. São Paulo; Moderna 2015.

LOPES, Sonia; ROSSO Sergio; BIO. Vol.3; 2 ed; Editora Saraiva; 2014.

Murilo Del Bianco
Por Murilo Del Bianco

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre no ensino de biologia também pela UEM. Professor de nível médio e cursinhos preparatórios para vestibulares. Nas horas vagas se dedica a música, livros, filmes e aos seus animais de estimação.

Exercícios resolvidos

1. [FATEC]

Associe as colunas abaixo e marque a alternativa que contém a associação correta:
COLUNA A
I. Plâncton
II. Nécton
III. Bentos
COLUNA B
1. Organismos capazes de nadar ativamente contra as correntes marinhas.
2. Organismos característicos do fundo do mar.
3. Organismos flutuantes incapazes de nadar contra as correntes marinhas.
a) I – 2; II – 3; III – 1
b) I – 3; II – 1; III – 2
c) I – 1; II – 3; III – 2
d) I – 2; II -1; III – 3
e) I – 3; II – 2; III – 1

b) I – 3; II – 1; III – 2

2. [UEPG ]

Com relação a cadeias alimentares e aos níveis tróficos em ecossistemas aquáticos e terrestres, assinale o que for correto.
01. No ecossistema aquático, os produtores são seres microscópicos, principalmente bactérias e algas, que flutuam próximo à superfície, constituindo o fitoplâncton.
02. Uma espécie que apresenta alimentação variada (plantas, carne, etc.) é denominada onívora.
04. Na maioria dos ecossistemas terrestres, os produ-tores são representados por bactérias e fungos saprófitos.
08. Nos lagos e oceanos, o zooplâncton representa um enorme potencial fotossintetizante.

01+02= 03

Compartilhe nas redes sociais

TOPO