Irradiação Adaptativa

A irradiação adaptativa é um conceito evolutivo que aborda a ocupação de uma espécie em um novo ambiente gerando outras novas espécies.

Irradiação adaptativa é tida como um processo dentro da evolução das espécies. Sua ocorrência se dá no momento em que um determinado grupo acaba ocupando ambientes, podendo originar espécies novas.

Esta ocupação/colonização de novos ambientes submete tais grupos a diferentes tipos de condições ambientais. Dessa maneira, haverá uma possibilidade maior do surgimento de uma maior variedade de formas de vida.

O desenvolvimento das novas espécies é permitido graças às adaptações dos mais aptos, tal como sugere a seleção natural.

Dessa forma, resumidamente, a irradiação adaptativa (ou radiação adaptativa) corresponde ao surgimento de diversas espécies, sob variados ambientes com um (grupo) ancestral em comum.

irradiação adaptativa
(Imagem: Reprodução)

Exemplo de Irradiação Adaptativa

Exemplo bastante utilizado para definir a Irradiação Adaptativa está na observação dos próprios mamíferos (ao qual se incluem os seres humanos). O grupo possui alta diversificação, contando com animais que possuem um ancestral em comum.

Além disso, são adaptáveis a variados tipos de ambientes, seja terrestre, aéreo e até aquático. A irradiação adaptativa está diretamente relacionada com a homologia.

O que é homologia?

Homologia significa à semelhança nas estruturas observadas em vários tipos de organismos diferentes. Essa semelhança é ocasionada devido à origem embriológica similar entre estas espécies.

É importante ressaltar, porém, que as estruturas similares podem ou não ter a mesma função. Assim, com base na homologia aliada á Irradiação Adaptativa, estas estruturas acabam sendo de caráter homólogo:

  • Membros superiores dos primatas;
  • Pata dos equinos;
  • Nadadeiras de baleias;
  • Asas de morcego;

Radiação Adaptativa e Convergência Evolutiva: diferenças

Os dois conceitos são, apesar de similares em alguns outros diferem bastante. Temos, assim, que:

  1. Irradiação Adaptativa confere a um ancestral coloniza diferentes habitats, criando, com o passar dos tempos, novas espécies;
  2. Convergência Evolutiva diferentes espécies convergem no ambiente similar – dividindo-o –, sob mesmas condições, convivendo e tornado-se similares em algumas características;

Por meio disso, tem-se que a convergência evolutiva é quando há adaptação, convivência e, claro, convergência entre diferentes espécies num mesmo ambiente.

Exemplo de convergência evolutiva está nos golfinhos em convivência com tubarões, num mesmo ambiente de água. Essa convergência gerará o que os estudos biológicos definem como analogia.

Esta faz referência às inúmeras similaridades estruturais de duas espécies diferentes, cujas estruturas terão desempenho similar.

Dessa forma, a convergência evolutivo terá duas espécies diferentes em um ambiente comum. Essa convergência fará com que a evolução dê a estes animais a capacidade de serem análogos, com estruturas similares de funções similares.

Por outro lado, a irradiação adaptativa terá estruturas diferentes com funções semelhantes.

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO