Histologia

Tecido, para a Ciência, é o aglomerado ou conjunto de células que interagem entre si para a execução de uma função em comum.

Ao analisarmos a constituição dos seres vivos notamos uma enorme diversidade. Alguns seres, como os integrantes dos reinos Protista, Monera e Fungi são constituídos por uma única célula e chamados de unicelulares. Outros reinos, como Plantae e Animália, apresentam indivíduos constituídos por mais de uma célula, chamados de organismos pluricelulares.

Quando nos voltamos apenas para os seres pluricelulares, notamos que suas células não se organizam de maneira aleatória, mas seguem um padrão. Quando identificamos um grupo de células similares interagindo entre si e voltadas ao exercício da mesma função temos, então, um tecido biológico.

O que é histologia?

A ciência biológica é constituída por algumas áreas, como a biologia celular, responsável pelo estudo das células, e a ecologia, que trata do estudo das relações existentes entre os seres vivos. Uma dessas áreas é responsável pelo estudo dos tecidos, chamada de histologia.

Quando os tecidos são vegetais denominamos a área responsável de histologia vegetal. Quando são de origem animal, chamamos de histologia animal. Quando tratamos de tecidos humanos nos referimos então a histologia humana.

O termo histologia é de origem grega e vem de histos – rede ou tecidos -, e logia – estudo ou aprendizado. O termo tecidos biológicos foi introduzido na ciência por volta de 1800 pelo cirurgião anatomista francês Marie François Xavier Bichat, considerado o pai da histologia.

O que são tecidos e como são formados?

Todos os tecidos são constituídos por células similares voltadas ao exercício da mesma função e por uma matriz extracelular (MEC). A MEC é um composto que se encontra fora da célula e pode conter diferentes tipos de moléculas. Essas podem ser organizadas, a exemplo das fibras colágenas, ou desorganizadas, a exemplo das fibrinas.

A secreção da MEC é responsabilidade das células do próprio tecido. Por exemplo, no tecido ósseo temos células especializadas na produção de matriz óssea, os osteoblastos. Acredita-se que a matriz extracelular apresenta a função de dar suporte mecânico para as células, além de servir como meio de transporte para substâncias diversas.

A consistência da matriz extracelular depende de tecido para tecido. No tecido ósseo, por exemplo, temos uma matriz extremamente rígida, já no tecido sanguíneo temos uma matriz extracelular com consistência líquida. A consistência da matriz depende da sua composição.

Os tecidos humanos adultos são formados por tecidos embrionários. No estágio embrionário encontramos três tecidos: ectoderme, endoderme e mesoderme. Ao longo do desenvolvimento do embrião, esses tecidos embrionários se diferenciam do indivíduo adulto.

Tipos de tecidos

Apesar da grande complexidade do organismo humano, notamos em constituição apenas quatro tipos de tecidos principais, que podem ser ramificados em outros. São eles:

Tecido Nervoso

Constituído principalmente por células alongadas e com inúmeros prolongamentos chamados de neurônios, são responsáveis por conduzir informação no formato de impulsos elétricos.

tecido nervoso apresenta células que têm como função dar apoio para o funcionamento dos neurônios, chamadas de células da glia ou gliócitos. Dentre as funções dos gliócitos temos a constituição da baiha de mielina, estrutura que otimiza a condução do impulso.

Tecido Epitelial

O tecido epitelial se divide em tecido epitelial de revestimento e tecido epitelial glandular. O de revestimento apresenta células em formato de cubo e muito próximas umas as outras, por isso chamadas de justapostas. Tem baixa quantidade de matriz extracelular e forma o maior órgão humano: a pele.

O tecido epitelial glandular também é formado por células em formato de cubo e com pouca quantidade de matriz, porém não apresenta função de revestimento. Como o nome já diz, ele é responsável por formar as glândulas (estruturas com função de secreção de compostos diversos).

Tecido Muscular

É constituído por células de formato alongado, chamadas de fibras musculares. Nas células musculares notamos elevada concentração de filamentos proteicos, em especial de actina e de miosina, que são responsáveis pela contração muscular, ou seja, pelo encurtamento das fibras musculares.

Tecidos conjuntivos

O tecido epitelial é divido em tecido conjuntivo e tecido conjuntivo especial. Todos os tecidos conjuntivos apresentam como característica a elevada concentração de matriz extracelular e a função de dar auxílio aos outros tecidos.

O tecido conjuntivo propriamente dito é aquele responsável pelo preenchimento dos espaços entre os órgãos. Também é encontrado na derma, camada abaixo da epiderme, além de envolver as fibras musculares.

Os tecidos conjuntivos especiais são o tecido ósseo – relacionado com a sustentação e proteção do corpo -, tecido adiposo – constituído por células especializadas no armazenamento de lipídio -, e tecido sanguíneo – único tecido de consistência líquida responsável pelo transporte de gases nutrientes e demais compostos.

Temos ainda o tecido hematopoético, que é encontrado na medula óssea vermelha e responsável pela produção de células sanguíneas e de defesa. Também o tecido cartilaginoso, de consistência rígida e responsável pela formação da cartilagem. Por fim, temos o tecido conjuntivo especial imune, que é responsável pela produção de células que atuam na defesa do organismo.

Os diferentes tipos de tecidos interagem de maneiras diversas para a constituição de órgãos. O coração, por exemplo, é formado por uma interação entre tecido muscular, tecido nervoso e tecido conjuntivo.

De maneira geral, todos os animais são constituídos por tecidos, com exceção do filo Porifera, cujo os organismos não apresentam interação celular a ponto de constituírem tecidos. Por isso, os integrantes desse filo são chamados de ablásticos.

Referências

AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R.; BIOLOGIA: Biologia das Células; Parte II; 4° edicação; Editora Moderna; São Paulo 2015.

JUNQUEIRA, L.C.; CARNEIRO J.; Histologia Básica: Texto e Atlas; 12° edição; Editora Guanabara Koogan; Rio de Janeiro 2013.

Murilo Del Bianco
Por Murilo Del Bianco

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre no ensino de biologia também pela UEM. Professor de nível médio e cursinhos preparatórios para vestibulares. Nas horas vagas se dedica a música, livros, filmes e aos seus animais de estimação.

Exercícios resolvidos

1. [UEM]

[UEM 2011] Sobre os tecidos epiteliais, é correto afirmar que:

01) o tecido epitelial glandular é formado por agrupamento de células especializadas na produção de secreção.
02) o tecido epitelial de revestimento é classificado de acordo com o número de camadas e com a morfologia de suas células.
04) os tecidos epiteliais são vascularizados na epiderme e no intestino.
08) o tecido epitelial se origina, embriologicamente, da ectoderme.
16) no intestino é encontrado o tecido epitelial do tipo pseudo estratificado ciliado.

01) o tecido epitelial glandular é formado por agrupamento de células especializadas na produção de secreção.
02) o tecido epitelial de revestimento é classificado de acordo com o número de camadas e com a morfologia de suas células.

2. [UFSC]

Os tecidos epiteliais são encontrados em uma variedade de organismos animais ou vegetais desempenhando diferentes funções. Com relação a este tecido, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S):

01) Os epitélios dos animais caracterizam-se por possuírem muita substância intercelular e ausência de junções celulares.
02) Os tecidos epiteliais têm como principal característica o fato de serem uniestratificados.
04) As microvilosidades são especializações presentes no epitélio dos alvéolos e têm como principal função aumentar a capacidade de trocas gasosas (hematose).
08) A pele é o melhor exemplo de tecido epitelial de revestimento.
16) O epitélio de revestimento das folhas é o principal responsável pela fotossíntese.
32) Alguns epitélios são responsáveis pela produção de secreções como a adrenalina, a tiroxina e o leite.
64) Todos os tecidos epiteliais são originados a partir da mesoderme na embriogênese.

32) Alguns epitélios são responsáveis pela produção de secreções como a adrenalina, a tiroxina e o leite.

3. [UEM]

[UEM 2015] Embora todas as células de um embrião sejam derivadas de uma célula inicial, durante o desenvolvimento dos animais e dos vegetais aparecem diferenças entre as células quanto à forma, à função e ao comportamento bioquímico. Essas diferenças levam as células à especialização de determinadas funções. Assim, os diferentes tecidos se formam pela diferenciação celular. Sobre o assunto, assinale o que for correto:

01) O súber é um tecido protetor existente nas raízes e no tronco, resultado da atividade do felogênio.
02) O colênquima é constituído de células mortas com paredes espessas lignificadas. Sua função é formar o floema.
04) Um tecido epitelial animal pode ser glandular e de revestimento.
08) O tecido ósseo tem por função a sustentação de órgãos e durante a vida embrionária forma um modelo de esqueleto.
16) Os linfócitos são células especializadas em impedir tromboses, desfazendo coágulos.

01) O súber é um tecido protetor existente nas raízes e no tronco, resultado da atividade do felogênio.
04) Um tecido epitelial animal pode ser glandular e de revestimento.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO