Hanseníase

Hanseníase é a famosa enfermidade antigamente conhecida como lepra, uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria.

Hanseníase é o atual nome dado à lepra, uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria nomida Mycobacterium leprae. A evolução da hanseníase está diretamente relacionada ao sistema imunológico de cada pessoa infectada.

É importante frisar que a doença não é hereditária, e costuma ter uma evolução gradual. Após contaminação da bactéria supracitada, pode levar um período de até 20 dias para que sintomas surjam.

A hanseníase atinge a região da derme e dos nervos periféricos, sendo capaz de levar o enfermo a sérias incapacidades, sejam físicas e/ou psicológicas. O potencial da doença está diretamente relacionado ao poder imunológico da bactéria.

Atualmente, o combate à doença se dá de forma gratuita em todo o mundo. O objetivo é que a lepra deixe de ser um problema de saúde pública. Em grande parte das nações superpopulosas e menos desenvolvidas, a hanseníase ainda é presente.

hanseníase antigamente lepra
Grupo de “leprosos”, tal como eram denominados, antigamente. (Imagem: Reprodução)

Transmissão da hanseníase

A transmissão da bactéria M. leprae ainda é pouco compreendida. É provável que a transmissão se dê por meio das vias respiratórias, após convivência próxima ou de tempo prolongado com paciente infectado.

Dessa forma, a bactéria provavelmente se propague por corpos através do contato de secreção nasal. É evidenciado que provavelmente essa secreção contenha a forma lepromatosa (multibacilar), onde há uma grande concentração de bacilos.

Antigamente, tinha-se a crença de que era proibido o contato entre pacientes; onde a transmissão se daria pela pele. Tocar a pele de um indivíduo portador da hanseníase não significa nenhum fator de risco.

É estimado que cerca de 90% da população mundial apresente defesa imunológica à doença.

Tipos de hanseníase

A hanseníase pode apresentar duas subdivisões em sua respectiva classificação: paucibacilar e multibacilar.

Paucibacilar

  • Hanseníase indeterminada: estágio inicial da enfermidade, com apresentação primária de sintomas, manchas e sem comprometimento neural;
  • Hanseníase tuberculoide: manchas bastante definidas, podendo apresentar nervos comprometidos;

Multibacilar

  • Bordeline: manchas apresentadas em maior número do que cinco lesões, com comprometimento de dois nervos ou mais;
  • Virchowiana: forma mais comprometedora da doença, onde há grande dificuldade de separar a pele infectada da pele saudável. Pode surgir nódulos sobre a pele e a neurite (inflamação do nervo) se torna provável;

Sintomas

Os sintomas da hanseníase podem surgir de duas ordens diferentes. Quando for estágio inicial da doença:

  • Dormência ou sensação de dormência nas extremidades;
  • Manchas sobre a pele, brancas ou avermelhadas;
  • Perda de sensibilidade à temperatura;
  • Ausência de tato ou dores ao tocar a pele;
  • Alteração na secreção da pele;
  • Nódulos observados em regiões do corpo;

Ou, quando a doença estiver avançada, os sintomas podem incluir:

  • Força muscular diminuta;
  • Paralisia de mãos e pés;
  • Nervos afetam músculos e a força dos dedos da mão;
  • Perda da visão gradual;
  • Edema nas orelhas e nariz;

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da doença se dá de forma epidemiológica, realizado por meio de exames, tanto dermatológicos, como também neurológicos. O objetivo é identificação de lesões ou alteração na sensibilidade do corpo.

hanseníase
A doença atualmente se manifesta, geralmente, da forma representada. (Imagem: Reprodução)

No Brasil, o tratamento é gratuito e oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Eficaz e curativo, após a primeira dose, o paciente portador de hanseníase já não é mais um risco de transmissão da doença.

Administrado por via oral, o tratamento da hanseníase consiste na dosagem de duas ou três medicações (poliquimioterapia).

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [UDESC]

As doenças bacterianas podem ser transmitidas pelo contato com alimentos e objetos contaminados, pelo contato sexual ou pela saliva dos portadores destas doenças. Assinale a alternativa que contém os nomes de doenças transmitidas apenas por bactérias.

a) doença de chagas, sífilis, tétano, cólera e dengue.

b) meningite meningocócica, tuberculose, micose, ancilostomíase e giardíase.

c) ascaridíase, ancilostomíase, leishmaniose, sarampo e gonorreia.

d) dengue, leptospirose, giardíase, leishmaniose e herpes.

e) tuberculose, tétano, hanseníase, meningite meningocócica e cólera.

Resposta: E

2. [IFSul]

As bactérias são seres vivos microscópicos, procariontes e muitas são patogênicas, uma vez que podem causar diversos tipos de doenças. Entre as doenças humanas causadas por bactérias, é correto

citar:

a) caxumba, catapora, meningite, tétano.

b) tétano, coqueluche, cólera, lepra.

c) encefalite, caxumba, hepatite, cólera.

d) cólera, síflis, sarampo, catapora.

Resposta: B

Compartilhe nas redes sociais

TOPO