Fígado

O fígado é um órgão humano localizado ao lado direito da caixa torácica com atuação em diferentes sistemas do corpo humano e elevada capacidade regenerativa.

O fígado é um importante órgão constituinte do sistema digestório e o segundo maior do corpo humano, ficando atrás somente da pele, que apesar da aparência também se caracteriza como órgão.

Podendo ser caracterizado como glândula mista (endócrina e exócrina), o fígado apresenta grande capacidade de regeneração, o que permite que seja possível realizar a doação de parte dele ainda em vida. Em um indivíduo adulto, o órgão se localiza no lado direito do abdome. Pode medir cerca de 20 cm de largura, pesando em torno de 1,5 Kg.

Se caracteriza como um órgão de elevada irrigação sanguínea, recebendo os nutrientes absorvidos pelo intestino, por meio do sistema porta hepático (sistema de veias que transportam sangue dos órgãos abdominais para o fígado). O fígado é constituído por células chamadas de hepatócitos.

Funções do fígado na digestão

Todo Estudo

O fígado atua em diferentes sistemas, realizando diversas funções, porém é no sistema digestório que sua atuação é mais acentuada. Esse sistema é responsável por:

  • Produção de bile: o fígado é responsável pela produção da bile, líquido que auxilia na digestão de lipídeos. Após ser produzido, a bile fica armazenada em uma bolsa chamada de vesícula biliar.
  • Processamento e armazenamento de nutrientes: através do intestino, o fígado recebe os nutrientes, armazenando-os então para que outros órgãos possam utilizá-los.
  • Armazenamento vitamínico: o fígado age como um reservatório para vitaminas lipossolúveis (solúveis em lipídios).

Além das funções anteriormente citadas, o fígado é responsável por converter a gordura obtida da alimentação em glicogênio (carboidrato). Quando os níveis de açúcar do sangue estão baixos, o glicogênio é quebrado em inúmeras moléculas de glicose (carboidrato menor), que são liberadas na corrente sanguínea.

Outras funções do fígado

Além de realizar as funções anteriormente listadas, como constituinte do sistema digestório, o fígado também tem atuação em diversos outros sistemas e tecidos. Dentro do campo de atuação do órgão podemos citar:

  • Produzir e atuar na manutenção de células sanguíneas (Hemácias);
  • Sintetizar proteínas presentes no plasma sanguíneo, como a albumina;
  • Produzir precursores de plaquetas (responsáveis pela coagulação sanguínea);
  • Converter amônia oriunda da quebra dos aminoácidos em ureia;
  • Desintoxicação do organismo.

Como podemos notar o fígado apresenta um amplo campo de atuação. Visto isso, para um bom funcionamento dos demais órgãos e sistemas do corpo humano é indispensável que o fígado esteja saudável e realizando suas funções de maneira correta.

Anatomia do fígado humano

Todo Estudo

O fígado se localiza na cavidade abdominal, do lado direito do corpo, sob o diafragma e acima do intestino. É dividido em quatro regiões: duas delas são chamadas de lóbulos (lóbulo direito e lóbulo esquerdo), sendo o direito maior que o esquerdo. Existem outras duas partes menores, situadas na região inferior e chamadas de caudado e quadrado.

Ao visualizar mais de perto o lóbulo direito, é possível notar uma depressão, na qual fica alojada a vesícula biliar. Como citado anteriormente, a vesícula biliar é um órgão em formato de bolsa, com função de receber a bile produzida no fígado. Através de sucessivas contrações, ela libera a bile no duodeno para a mistura das gorduras oriundas da alimentação com as enzimas digestivas, o que auxilia na quebra desses compostos.

Doenças ligadas ao fígado

Dentre as principais doenças responsáveis por acometer o fígado, podemos citar as hepatites, classificadas A, B, C, D e E. Independente dos tipos, as hepatites são caracterizadas por infecções causadas por vírus, o que torna seu tratamento difícil.

Existem apenas dois tipos de hepatites que não são causados por vírus: a hepatite autoimune e a hepatite alcoólica. No caso da hepatite autoimune, os leucócitos responsáveis pela defesa do organismo consideram os hepatócitos, células do fígado, agentes infecciosos e os atacam sem motivo.

Já na hepatite alcoólica, o uso abusivo de álcool pode desencadear um processo crônico com capacidade para levar à cirrose e à insuficiência hepática. Os sintomas variam de acordo com os tipos de hepatite, mas de maneira geral, a hepatite é responsável por causar febre, icterícia (pele e olhos amarelados), desconforto abdominal (principalmente do lado direito) e urina de coloração escura.

Outro quadro patogênico bastante comum é a esteatose hepática, ou simplesmente gordura no fígado. Essa doença geralmente é ligada à obesidade, diabetes, colesterol elevado e ingestão abusiva de álcool. Por ser assintomática (não desencadeia sintomas) na maioria dos casos, a gordura no fígado é diagnosticada com exames de sangue ou ultrassonografia.

Nos casos em que apresenta sintomas, podemos notar dor no lado direito do abdome, barriga inchada, enjoos, vômitos e mal-estar. O acompanhamento dos níveis de gordura no fígado são importantes, pois podem causar inflamações hepáticas, que são as principais causas de morte de hepatócitos.

Referências

AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues; BIOLOGIA DOS ORGANISMOS. Vol.1; 4 ed. São Paulo; Moderna 2015.

AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues; BIOLOGIA DOS ORGANISMOS. Vol.3; 4 ed. São Paulo; Moderna 2015.

MIRANDA, Neto Marcílio Hubner de (org); CHOPARD, Renato Paulo (colaborador); et. al. ANATOMIA HUMANA: aprendizagem dinâmica. 3 ed. rev. Maringá; Gráfica Editora Clichetec, 2008.

Murilo Del Bianco
Por Murilo Del Bianco

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá, Mestre no ensino de biologia também pela UEM. Professor de nível médio e cursinhos preparatórios para vestibulares. Nas horas vagas se dedica a música, livros, filmes e aos seus animais de estimação.

Exercícios resolvidos

1. [UEPB]

O fígado tem uma participação importante no processo digestivo, produzindo cerca de 700 ml/dia de bile, que não contém enzimas, mas apresenta sais biliares, que emulsionam os lipídios (gorduras). Além deste papel, o fígado realiza diversos processos vitais. Sobre estes processos, é incorreto afirmar:

a) O fígado armazena lactase na forma de glicogênio, lançando-o no sangue de acordo com as necessidades do corpo.

b) Fabrica proteínas no sangue.

c) Transforma o amoníaco em ureia, que é menos tóxica.

d) Armazena vitaminas.

e) Transforma excesso de glicídios e proteínas em lipídios.

Alternativa incorreta: E – o fígado não apresenta a capacidade de converter glicídios em lipídios ou proteínas.

2. [FUVEST]

O fígado humano é uma glândula que participa de processos de digestão e absorção de nutrientes, ao:

a) produzir diversas enzimas hidrolíticas que atuam na digestão de carboidratos.

b) produzir secreção rica em enzimas que digerem as gorduras.

c) produzir a insulina e o glucagon, reguladores dos níveis de glicose no sangue.

d) produzir secreção rica em sais que facilita a digestão e a absorção de gorduras.

e) absorver excretas nitrogenadas do sangue e transformá-las em nutrientes proteicos.

D – O fígado produz a bile, substância que não apresenta capacidade de digerir gorduras, porém tem a função de emulsificar as gorduras para que as enzimas possam atuar.

3. [UNICAMP]

A cirrose hepática é uma séria enfermidade que frequentemente surge do hábito de ingerir bebida alcoólica. O álcool pode alterar várias estruturas do fígado, como ductos biliares e as células produtoras de bile, além de causar acúmulo de glóbulos de gordura.

a) Qual a importância da bile para o processo de digestão e em que parte do tubo digestório a bile é lançada?

b) Outra função realizada pelo fígado é a produção e armazenamento de glicogênio. Espera-se que esse processo ocorra depois de uma refeição ou após um longe período em jejum? Qual a importância do armazenamento do glicogênio?

A: O fígado produz a bile, substância que tem a função de emulsificar as gorduras para que as enzimas possam atuar. E é lançada do duodeno (início do intestino delgado).

B: Espera-se que o fígado armazene glicogênio após uma refeição, quando o nível de glicose no sangue aumenta e para regular o fígado converte a glicose em glicogênio. O armazenamento de glicogênio é necessário para que outros órgãos possam ter acesso a essa fonte de energia.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO