Engenharia Genética

A Engenharia Genética abrange estudos de manipulação de genes realizados por humanos.

Engenharia Genética significa a manipulação humana direta sobre o genoma de um específico organismo utilizando a ciência biotecnológica.Trata-se de um conjunto de tecnologias aliadas focando-se na manipulação de um DNA que proponha recombinação. É utilizada, majoritariamente, para alteração da composição dos genes de um determinado ser vivo. Inclui-se, então, o isolamento, a manipulação consequente e a transferência destes genes manipulados para produção de organismos aperfeiçoados.

Os estudos acerca da Engenharia Genética tiveram início a partir dos anos de 1970. Este conjunto de conhecimentos científicos abrange a genética, a biologia molecular e a bioquímica. Além destes três, muitos outros são fundamentais para a compreensão desta pesquisa científica tão popular atualmente. Por meio destes conceitos, há a reconstituição, reformulação e até mesmo a criação de seres vivos. As aplicações da engenharia genética têm alcançado inúmeras áreas, desde a medicina até a agricultura e a pecuária.

engenharia genética
(Imagem: Reprodução)

Tipos de experimentos onde há o uso de Engenharia Genética

A Engenharia Genética tem sido presente em diversos processos da evolução científica. Três deles, no entanto, possuem um alto destaque. Primeiramente pela popularidade e curiosidade do processo. Segundamente pelas polêmicas que vêm proporcionando, sobretudo à sociedade religiosa. É o caso das células-tronco e dos processos de clonagem, por exemplo. Entenda!

A Clonagem de seres vivos

A clonagem é um processo realizado em laboratório por meio da engenharia genética. Trata-se da reprodução de espécies geneticamente similares. No mundo, a ovelha Dolly foi o primeiro animal a ser clonado, no ano de 1996. A clonagem, no entanto, é dividida em dois diferentes tipos:

  • Clonagem Reprodutiva: o objetivo é a criação de um ser idêntico ao existente. Resumidamente, há a extração de uma célula, retira-se o núcleo contendo o gene e insere em um óvulo sem núcleo.
  • Clonagem terapêutica: quando utiliza-se a engenharia genética para produção de novos órgãos para substituição de tecidos doentes.

Os alimentos transgênicos

São alimentos com os genes modificados. Eles recebem fragmentos oriundos de material genético de outro organismo. O detalhe é que este pode ser de uma espécie similar ou ainda diferente. São utilizados, sobretudo, no milho e na soja, como forma de tornarem os mesmos mais resistentes. Além disso, eliminam a necessidade do uso de agrotóxicos para proteção, já que são geneticamente alterados.

Células-tronco e a produção de novos materiais genéticos e polêmicas

O estudo das células-tronco se intensificou. Elas têm a capacidade de produzir diferentes células no corpo humano. Consequentemente, novos tecidos também haverão de ser produzidos por meio delas. Encontradas em embriões (células-tronco embrionárias) e na medula óssea (células-tronco adultas).

Mas, qual seria o motivo da geração de polêmica? Afinal, não é algo positivo?

A engenharia genética, as polêmicas e a ética envolvendo

Mesmo que as contribuições sejam significativas para o desenvolvimento da humanidade, a engenharia genética ainda esbarra em questões éticas. Há um debate contemporâneo que discute tanto sobre o uso seguro de transgênicos e de OGM (Organismos Geneticamente Modificados). Seja para a saúde de quem consome, como para a saúde ambiental. Isso porque ainda não há estudos conclusivos sobre os efeitos destes em longo prazo.

Na mesma mão dos contrapontos há controvérsias levantadas sobre o uso das células-tronco. Um debate que invade os preceitos da espiritualidade e da influência humana na genética própria. Afinal, quanto o homem estaria capacitado para alterar algo que, segundo os fiéis, teria sido criado por uma divindade superior? Um debate que ainda abrange, sobretudo, espiritualidades, misturando o misticismo e a fé junto à ciência. Com certeza são conclusões que tardarão a chegar sobre o que envolve a Engenharia Genética.

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [PUC] Engenharia Genética: No vaga-lume há um gene que determina produção de luciferase, enzima responsável pela oxidação da substância luciferina, levando à produção de luz. Através da engenharia genética, esse gene foi transferido para uma célula vegetal e, a partir desta, obteve-se uma planta inteira. Após ser regada com solução de luciferina, a referida planta começou a emitir luz. O resultado desse experimento indica que a planta:

a) incorporou um segmento de RNA do vaga-lume, a partir do qual as células da planta produziram RNA e luciferase.

b) incorporou um segmento de RNA do vaga-lume, a partir do qual as células da planta produziram DNA e luciferase.

c) incorporou um segmento de DNA do vaga-lume, que possibilitou às células da planta a produção de luciferase.

d) incorporou um segmento de DNA do vaga-lume, que não possibilitou a produção de RNA nem de luciferase.

e) não expressou o gene do vaga-lume.

 

02. [PUC] Engenharia Genética: Em 1997, o mundo foi abalado pela notícia da produção do clone de uma ovelha. Nessa clonagem, utilizou-se o núcleo de uma célula da mama de uma ovelha (A) e o citoplasma de um óvulo de outra ovelha (B). É correto concluir que:
a) todos os cromossomos do clone são iguais aos da ovelha A.
b) os autossomos do clone são iguais aos da ovelha A, e os cromossomos sexuais são iguais aos da ovelha B.
c) todos os cromossomos do clone são iguais aos da ovelha B, e os cromossomos sexuais são iguais aos da ovelha A.
d) os autossomos do clone são iguais aos da ovelha B, e os cromossomos sexuais são iguais aos da ovelha A.
e) existem cromossomos no clone que são diferentes de A e de B

01. [C]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO