Doença Celíaca

A doença celíaca é uma enfermidade autoimune que causa diversos problemas intestinais bastante sérios e pode, inclusive, causar a morte.

Causada pela intolerância ao glúten, a doença celíaca é uma condição crônica, autoimune, e causa atrofia da mucosa do intestino, tendo como consequências principais os prejuízos na absorção dos nutrientes, da água e dos sais minerais.

Quando falamos em doença celíaca, entretanto, importante frisar, que estamos tratando de algo distinto da sensibilidade ao glúten ou da intolerância ao trigo. Os sintomas podem ser bastante semelhantes, mas somente a doença celíaca causa danos ao intestino delgado.

Glúten e a doença celíaca

doença celíaca
Imagem: Reprodução

A doença celíaca, ainda que diferente da intolerância ao glúten, é causada por ela. O glúten é uma proteína de tamanho grande, que é formada por gliadina e glutenina, e normalmente é encontrado junto ao amido em cereais, como o malte, o triticale, a cevada, o centeio e o trigo. Trata-se de uma substância com diversas utilidades na produção de alimentos, como no processo de fermentação do pão, onde mantém os gases no interior da massa e impede que o pão diminua após esfriar.

Tipos de doenças celíacas

Podemos dividir a doença celíaca em três tipos, a saber a clássica, a não clássica e a assintomática. A clássica é bastante comum no período de infância, entre 1 e 3 anos de vida, quando começamos a introduzir a alimentação com papinha de pão, sopa de macarrão e bolachas, além de outros produtos industrializados.

Nesse tipo, são comuns os sintomas de diarréia crônica, desnutrição e déficit do crescimento, anemia não curável, emagrecimento, distensão abdominal, vômitos, dores abdominais, glúteos atrofiados, pernas e braços finos, desnutrição aguda, entre outros sintomas que, na falta de diagnóstico e tratamento, podem levar o paciente ao óbito.

O outro tipo é a não clássica, apresentando poucos sintomas. Os sintomas gastrointestinais são discretos e envolvem irritabilidade, anemia resistente a reposição de ferro, osteoporose antes da menopausa, esterilidade, manchas no esmalte dos dentes, obstipação crônica, ganho de peso e estatura, fadiga, entre outros.

Ademais, temos a assintomática onde não ocorrem manifestações aparentes, sendo necessário realizar pesquisa de anticorpos em familiares de primeiro grau para fazer o diagnóstico. Neste caso, quando não tratada, pode apresentar complicações, como anemia, esterilidade, abortos de repetição, osteoporose e câncer de intestino, entre outros.

Causas e fatores de risco

A presença geneticamente determinada de anticorpos produzidos pelo sistema imunológico contra o glúten é a causa da doença celíaca. Ocorre a agressão à mucosa intestinal, que varia de indivíduo para indivíduo, fazendo com que os anticorpos ataquem essa proteína.

Isso causa a inflamação local, a atrofia das vilosidades intestinais e, consequentemente, a deficiência na absorção de nutrientes. Até os dias atuais não se sabe exatamente o que desencadeia a doença celíaca em indivíduos de risco que comem glúten durante a vida, mas acredita-se que se trate de um fator genético, tendo em vista que pesquisas indicam que entre 10% e 20% de parentes próximos de pessoas com doenças celíacas também acabam desenvolvendo.

Podemos falar, portanto, que apesar de a doença celíaca poder atacar qualquer indivíduo, é mais comum em pessoas que têm alguém na família com a doença celíaca, ou ainda com dermatite herpetiforme. Ademais, outros fatores que apresentam risco para o desenvolvimento da doença são a diabetes tipo 1, síndrome de down ou síndrome de turner, tireoidite autoimune, colite microscópica, doença de addison e artrite reumatóide.

Referências

O perigo do Glúten – James Braly, Ron Hoggan

Por Natália Petrin
Exercícios resolvidos

1. [UFMG]

1. A doença celíaca consiste em um distúrbio inflamatório do intestino delgado, que ocorre em indivíduos com sensibilidade ao glúten e à ingestão de trigo, centeio ou cevada.

Analise estas duas figuras, em que está representada uma região do intestino delgado em um indivíduo normal – I – e em um indivíduo com doença celíaca – II:

Imagem: Reprodução

Considerando-se a alteração estrutural representada na Figura II, é INCORRETO afirmar que indivíduos portadores de doença celíaca podem apresentar: a) baixa produção de hemoglobina.

b) diminuição da densidade mineral óssea.

c) aumento da absorção de água.

d) retardo do crescimento corporal.

[C]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO