Dicotiledôneas

As dicotiledôneas são angiospermas caracterizados, em suma, por apresentarem dois ou mais cotilédones em sua região embrionária (semente). Elas se caracterizam, além disso, por apresentarem folhas reticulares, bem como flores tetramêras ou pentâmeras.

As dicotiledôneas abrangem a classe pertencente às Magnoliophytas (sendo também chamadas de Magnoliopsidas) ou plantas com flor. Nestas plantas em questão, o embrião (semente) apresenta dois ou mais cotilédones em sua composição.

Além disso, outro ponto a se notar nas dicotiledôneas são as presenças de raízes axiais. Ademais, a presença de folhas com nervos ramificados a partir de uma linha central é notável na composição destas angiospermas.

Frequências de partes florais nas dicotiledôneas

Quanto às pétalas analisadas nestes tipos de plantas, vale destacar que elas podem ser:

  • Pentâmeras: mais frenquentemente, as partes florais das dicotiledôneas apresentam cinco divisões em sua composição;
  • Tetrâmeras: pouco menos frequentes, as partes florais apresentam quatro divisões em sua estrutura;
  • Trímeras ou Monômeras: respectivamente três divisões e sem divisão, estas são formações raras nas dicotiledôneas;
Feijão é um exemplo prático de dicotiledôneas. (Imagem: Reprodução)

Características das dicotiledôneas

Inicialmente, constatava-se que as monocotiledôneas eram evoluídas a partir das dicotiledôneas. No entanto, estas fazem parte de um grupo parafilético (abrange vários ancestrais em comum, mas não todos). Elas incluem, assim, mais relações genéticas com as monocotiledôneas do que com alguns grupos das mesmas dicotiledôneas comparadas.

Grande parte das dicotiledôneas, contudo, formam um grupo monofilético (espécie ancestral e todos os seus descendentes). A estes, denomina-se eudicotiledôneas (ou também tricolpados). Para a diferenciação destes, basta a comparação direta com a estrutura do pólen contido na planta.

Dessa forma, enquanto os grupos de base das angiospermas e das monocotiledôneas apresentam pólen monosulcado, as eudocotiledôneas apresentam-no como tricolpado. Claro, além das formas variadas de ambos os tipos de pólen.

Principais características das dicotiledôneas para identificação

Existem sete características pontuais para identificar uma planta dicotiledônea. Estas propriedades referem-se a:

  • Presença de dois ou mais cotilédones na semente da planta;
  • Comparência de nervuras retiformes nas folhas;
  • Presença do pecíolo (ligação do caule ao limbo) nas folhas;
  • Compleição de flores pentâmeras ou tetrâmeras;
  • Frutos possuindo de quatro a cinco lojas;
  • Composição da estrutura interna do caule por feixes vasculares, onde estes estarão distribuídos em volta de um cilindro central;
  • Composição do sistema radicular por raízes axiais ou pivotantes (onde uma raiz principal ramifica raízes secundárias, terciárias e assim sucessivamente);

Diferenciando monocotiledôneas e dicotiledôneas

Estabelecendo as características equiparadas, é possível diferenciar claramente uma angiosperma monocotiledônea de uma dicotiledônea. Dessa forma, teremos:

  • Na inserção foliar das monocotiledôneas uma forma invaginante, enquanto as dicotiledôneas apresentarão forma peciolada;
  • Nervuras foliares paralelas na monocotiledônea, enquanto reticuladas na dicotiledônea;
  • Quanto ao caule, as monocotiledôneas apresentam vasos difusos condutores de seiva irregulares espalhados ao longo do caule. Já as magnoliopsidas mostram vasos ordenados dispostos na periferia do caule circundando o círculo central;
  • As monocotiledôneas não apresentam raízes principais, apenas fasciculadas. Já as plantas com dois cotilédones mostram raízes pivotantes, contendo eixo principal;
  • Por sua vez, as flores da monocotiledônea recorrentemente são trímeras. Enquanto isso, a dicotiledônea apresenta flores tetrâmeras ou pentâmeras;
  • Ao fim, os frutos das monocotiledôneas terão sua subdivisão em três carpelos. Já as magnoliopsidas apresentarão entre dois ou cinco carpelos com fácil identificação;

Exemplificando as magnoliopsidas

Já é possível, então, identificar e diferenciar esses tipos de plantas. Assim, nada mais justo do que citar exemplos para consequente observação. Entre tais exemplos de dicotiledôneas estão: o eucalipto, o feijão, os cactos, o tomateiro, o mamoeiro e muitos outros.

Com inúmeras subdivisões segundo a APG, a separação entre as magnoliopsidas torna-se inviável para delimitação. Contudo, é possível, através da comparação direta com as monocotiledôneas, identificar, o que será uma dicotiledônea ou uma monocotiledônea.

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [UEL] Em uma excursão, foi encontrada uma planta com as seguintes características:

– folhas pecioladas, com nervuras reticuladas
– raízes pivotantes
– flores pentâmeras

Esses dados foram suficientes para classificar a planta em questão como uma

a) briófita.
b) pteridófita.
c) gimnosperma.
d) dicotiledônea.
e) monocotiledônea.

 

02. [PUCAMP] Na figura a seguir, estão esquematizadas uma semente e uma folha.

Sementes e folhas com essas características são encontradas em:

a) monocotiledôneas.
b) dicotiledôneas.
c) gimnospermas.
d) pteridófitas.
e) briófitas

01. [D]

02. [B]

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO