Deriva Genética

A deriva genética é um mecanismo de evolução onde os alelos se alteram conforme o passar das gerações.

A deriva genética compreende uma das estruturas básicas da evolução. De forma à interligar-se diretamente à seleção natural, à mutação e às migrações. Por meio deste conceito é fundamental estudar como há uma variável importante nas espécies. Sobretudo na observação de populações pequenas, mínimas. Nelas, verifica-se a denominada mudança das frequências alélicas de maneira totalmente aleatória. O que isso quer dizer? Que diferentemente do que ocorre na seleção natural, a deriva genética não fomentará adaptações aos organismos.

Durante a deriva genética é possível perceber a possibilidade de ocorrência de eliminação de alelos ou ainda a sua fixação. Um exemplo bastante evidente está ao observar dois tipos diferentes de populações, com apenas uma característica estética que os diferem. No caso do exemplo, imagine um ambiente específico. Nele, vivem em mesma proporção ratos com pelo em cor branca e ratos com pelo em cor preta. Em uma próxima geração, para se ter ciência, as proporções já não serão mais idênticas. Poderá, assim, ocorrer dois fatores:

  1. um em maior quantidade que o outro;
  2. a eliminação de alelo de um que ocasionará extinção;

Uma próxima geração, dessa forma, ou seria eliminada, ou acabaria por ser a dominante. É uma variável. Portanto, para comparativos, na seleção natural o gene que passou às próximas gerações foi o que proporcionou capacidade de adaptação. Enquanto isso, na deriva genética, o gene que passou apenas foi o que teve mais “sorte”. Isso porque, no ambiente em questão no exemplo acima, seria indiferente para adaptação a coloração dos pelos dos roedores.

deriva genética sorte
Assim como um trevo de quatro folhas, a deriva genética trabalha com a sorte. (Imagem: Reprodução)

Os efeitos da Deriva Genética

Como supracitado fora, a deriva genética abrange um dos básicos mecanismos inclusos na evolução. Ela gera diretamente efeitos em uma específica população, de forma totalmente aleatória e imprevisível. Um dos efeitos principais que ocorrem nestas incidências populacionais diz respeito à redução da variação genética. Outro destaque é afetar diretamente na seleção natural em um determinado ambiente. Além do mais, a deriva genética ainda tem grande contribuição para a especiação (surgimento de nova espécie).

Dessa forma, dentre os efeitos diretos da Deriva Genética, é possível destacar alguns pontuais que são relacionados a inúmeros ambientes. Tais como:

Efeito fundador

O efeito fundador, na deriva genética, basicamente, abrange o início do que é estipulado neste mecanismo. É o estabelecimento concreto de uma nova população a partir dos fundadores inseridos dentro de um específico ambiente. Este pequeno grupo de indivíduos carregará uma pequena parte de variação genética em seus organismos. Em comparação a uma específica população original que ali habitava, o número se torna mínimo. Favorece, dessa maneira, a fixação de um específico alelo por efeito direto de ação da deriva genética. Uma nova espécie, assim, poderá ser criada (especiação) com o passar das gerações.

Efeito gargalo

O efeito gargalo ocorre em um ou mais momentos da história de uma determinada população. O que acontece, em essência, é a redução drástica de uma geração de organismos. Essa redução pode acontecer por inúmeros motivos, sobretudo eventos naturais. Secas, enchentes, terremotos e queimadas são exemplos práticos. Com esta ocorrência, inúmeros organismos são eliminados ao acaso. Resta-se, assim, apenas alguns com variação genética diminuta. Estas, por sua vez, originarão uma nova população. A população nova que emerge apresentará frequências alélicas diferentes daquelas que, outrora, foram eliminadas.

 

Referências

JUNQUEIRA, C. Luiz e CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular, Editora Guanabara/Koogan, 8ª edição. 2005, 332 p.

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [UFC] Um problema para a teoria da evolução proposta por Charles Darwin no século XIX dizia respeito ao surgimento da variabilidade sobre a qual a seleção poderia atuar. Segundo a Teoria Sintética da Evolução, proposta no século XX, dois fatores que contribuem para o surgimento da variabilidade genética das populações naturais são:

a) mutação e recombinação genética.

b) deriva genética e mutação.

c) seleção natural e especiação.

d) migração e frequência gênica.

e) adaptação e seleção natural.

 

02. [UDESC]

Dentre os fatores evolutivos, a deriva genética é um dos mais interessantes por suas características.

Analise as proposições sobre este fator evolutivo.

I. A deriva genética aumenta as frequências de mutações em uma população.
II. Para ocorrer a deriva genética é necessário o mesmo número de machos e fêmeas em uma população.
III. A deriva genética ocorre em populações pequenas.
IV. A deriva genética aumenta a variabilidade gênica de uma população.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa III é verdadeira;

b) Somente a afirmativa IV é verdadeira;

c) Somente as alternativas I e IV são verdadeiras;

d) Somente as alternativas II e III são verdadeiras;

e) Somente as alternativas III e IV são verdadeiras;

01. [A]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO