Complexo de Golgi

O complexo de golgi é uma estrutura presente nas células, tanto animais quanto vegetais, que tem importantes funções no organismo.

Também denominado como aparelho de Golgi, o complexo de Golgi recebeu esse nome em homenagem ao citologista italiano Camilo Golgi que descobriu essa estrutura citoplasmática no ano de 1898. Quando notou que algumas regiões que possuíam citoplasma celular se coravam por sais de ósmio de prata, Golgi supôs haver algum tipo de estrutura ali. Isso foi confirmado posteriormente com a ajuda da microscopia eletrônica.

Praticamente todas as células eucariontes possuem o Complexo de Golgi, que é composto por bolsas membranosas achatadas que estão empilhadas, como se fossem pratos. Essas pilhas recebem o nome de dictiossomos, e estes normalmente se encontram reunidos em apenas um local, sempre próximo ao núcleo. Nas células vegetais, entretanto, normalmente os dictiossomos estão espalhados pelo citoplasma.

Funções do Complexo de Golgi

O aparelho tem como função atuar como um centro de armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias na célula. Grande parte das substâncias que passam por esse complexo, serão eliminadas da célula, passando para outras partes, como é o caso, por exemplo, das enzimas digestivas, que são produzidas e eliminadas pelas células do estômago, intestino, pâncreas e outros órgãos do sistema digestivo. O principal papel, portanto, do complexo de golgi, é eliminar as substâncias que atuam fora das células, processo que ficou conhecido como secreção celular.

Estrutura

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

O Complexo de Golgi está presente no interior do citoplasma das células, tanto animais quanto vegetais, e é composto pelas pilhas de dobras das membranas que, interligadas, formam estruturas conhecidas como cisternas. As células animais de mamíferos contam com valores entre 40 e 100 pilhas desse tipo, e normalmente cada pilha tem entre 6 e 20 cisternas, mas o número pode chegar a 60 em alguns protistas.

Cada uma dessas cisternas compreende um disco de membrana plana e fechada que inclui algumas enzimas especiais que modificam ou ajudam no processo de modificação das proteínas que são transportadas por meio dessa estrutura. As cisternas contam com 4 regiões funcionais: a rede cis-golgi, medial-golgi, endo-golgi e trans-golgi, e cada uma delas contêm enzimas diferentes que modificam o conteúdo, variando de acordo com onde residem. Além disso, as cisternas carregam ainda as proteínas estruturais que são importantes para a manutenção do formato da organela.

O mecanismo usado para o transporte das proteínas através do Complexo de Golgi ainda não é claro, porém existem, atualmente, muitas hipóteses tentando explicar o processo. O mecanismo de transporte vesicular, até pouco tempo atrás, era o mais aceito, mas a maturação cisternal está sendo apoiada por novas evidências. Existe ainda a hipótese em que ambos modelos funcionam em conjunto, não sendo, portanto, exclusivos.

Modelo de maturação cisternal

Nesse modelo, acredita-se que as cisternas movimentam-se no Complexo de Golgi, construídas na face cis e destruídas na face trans. As vesículas que são originadas do retículo endoplasmático se fundem formando uma cisterna na face cis, que parece mover-se por meio da pilha de golgi quando a nova cisterna é formada. A hipótese perdeu forças na década de 1980, mas recentemente ganhou mais espaço em decorrência de algumas pesquisas realizadas em Chicago e Tóquio.

Modelo de transporte vesicular

Nesse caso, as vesículas são encarregadas de transportar o material entre o retículo endoplasmático e o Complexo de Golgi, e isso se baseia na grande quantidade de vesículas que podem ser encontradas nas proximidades desse aparelho. Acredita-se que a direcionalidade seja dada pelas proteínas que são transportadas no interior dessas vesículas.

Referências

Biologia: Ensino médio, J Laurence

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [UFF-RJ] O acrossomo, presente nos espermatozoides maduros, é essencial para fecundação. A formação do acrossomo ocorre a partir do

a) peroxissomo.
b) lisossomo.
c) complexo de Golgi.
d) centríolo.
e) retículo endoplasmático liso.

02. [UF-CE] O aspecto comum do Complexo de Golgi, em células animais, deduzindo através de observações ao microscópio eletrônico, é de:

a) vesículas formadas por dupla membrana, sendo a interna sem granulações e com dobras voltadas para o interior;
b) membranas granulosas delimitando vesículas e sacos achatados, que dispõem paralelamente;
c) um complexo de membranas formando tubos anastomosados, com dilatações em forma de disco;
d) sacos e vesículas achatadas, formadas por membrana dupla em que a interna, cheia de grânulos, emite para o interior prolongamentos em forma de dobras;
e) membranas lisas delimitando vesículas e sacos achatados, que se dispõem paralelamente.

01. [C]

02. [E]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO