Van Gogh

Van Gogh foi um importante pintor holandês, considerado, após a sua morte, um dos artistas mais influentes.

Nascido em 30 de Março de 1853, Vicent Willem Van Gogh, mais conhecido como Van Gogh, foi um pintor holandês que passou, em decorrência de suas obras, a ser considerado um dos artistas mais influentes, mesmo que tenha sido reconhecido somente depois de sua morte. Filho de Theotorus Van Gogh e Cornélia Van Gogh, teve mais quatro irmãos mais novos. Van Gogh era bastante ligado a Theo, um de seus irmãos, com quem trocou muitas cartas durante sua vida.

Autoretrato. Imagem: Reprodução

Durante sua infância, desenvolveu habilidades de desenho, além de aprender inglês, francês e alemão, e com 15 anos parou de estudar para trabalhar na loja de seu tio na Holanda. Aos 24 anos, decidiu trabalhar com evangelização, para então no ano de 1880, aos 27 anos, decidir tornar-se pintor. Desde pequeno desenhava, mas a decisão de tornar-se um pintor chegou relativamente tarde, considerando a duração de sua vida. Durante um ano de sua vida, inclusive, frequentou o Seminário de Teologia. Morou em várias cidades, como Haia, Londres, Amsterdam, Borinage e Ramsgate quando resolveu se tornar um artista. No ano de 1886, mudou-se para Paris, onde foi acolhido por Theo, seu irmão e amigo, que trabalhava como negociador de arte, embora com pouca visibilidade.

Foi em Paris que conheceu o Impressionismo, movimento que o influenciou grandemente, além das gravuras japonesas, das quais apreciava as cores. Conviveu, em Paris, com grandes nomes como Edgar Degas, Paul Gauguin, Émile Bernar, Paul Signac, Henri de Toulouse-Lautrec, Georges Seurat, entre outros, recebendo por parte deles uma grande influência aplicada às suas obras.

No ano de 1888, mudou-se para Arles, ao Sul da França, retomando seu trabalho onde teve uma relação desastrosa com Gauguin. Durante dois meses, entretanto, em meio às discussões, os dois trabalharam intensamente, mas Van Gogh ameaçou Gauguin com uma navalha, momento em que este retorna à Paris. Nesse momento, segundo estudiosos, Van Gogh, em um ato de agressividade e arrependimento, corta sua orelha e é então internado no hospital da cidade. Diagnosticado com depressão, suas crises começaram a se intensificar, e ele se internou de forma voluntária em um sanatório de uma cidade próxima. Segundo alguns biógrafos, Van Gogh teria arrancado seu lóbulo da orelha para vingar-se de sua amante Virginie quando descobriu que ela estava apaixonada por Gauguin. Ainda segundo eles, o pintor teria enviado o lóbulo da orelha cortado para a sua amante.

Suas crises foram controladas nesse período, e sua inspiração aumentou em decorrência das paisagens do local, momento em que ele chegou a pintar um quadro por dia. Suas pinturas passaram a carregar pinceladas espirais e curvas nesse período. No ano de 1890, deixou a clínica e mudou-se para Auvers, uma cidade próxima à Paris, onde ainda vivia seu irmão. Regularmente e em plena atividade criativa, Van Gogh continuou a pintar seus quadros e começou, com encorajamento de Camille Pissarro, a frequentar consultas de Dr. Paul Gachet que, inclusive, foi inspiração para um de seus quadros mais famosos, denominado Retrato do Doutor Gachet. Suas crises continuaram, e em julho do mesmo ano dá um tiro em seu próprio peito, aos 37 anos. Voltou para casa ferido, onde morreu aos braços de seu irmão. Theo, seu irmão, morreu apenas seis meses depois, tomado pela depressão. Van Gogh somou mais de 800 telas produzidas, tendo, entretanto, vendido somente uma em vida, “O Vinhedo Vermelho”.

Principais obras

As obras de Van Gogh somente receberam reconhecimento após sua morte, e passaram a influenciar artistas ao redor do mundo todo. Sua obra relata a sua própria vida, envolvendo o que se passava em sua mente, além de sua loucura e da forma como enxergava o mundo. O amarelo é uma cor marcante nas obras do autor e, segundo alguns historiadores, pode ser que ele tenha, em vida, sofrido com alguma doença ocular que o fazia enxergar as coisas em um tom amarelado, ou que talvez fosse daltônico.

Dentre suas principais obras, podemos citar “Os Comedores de Batatas”, de 1885, “Quarto em Arles” de 1888, “Doze Girassóis numa Jarra”, de 1889, Auto-retratos, que envolvem 35 obras produzidas entre os anos de 1886 e 1890, sendo que um deles é o mais popular, retratando o episódio em que cortou sua própria orelha “Auto-retrato com orelha enfaixada”, de 1889, “Noite Estrelada” de 1889 e “Retrato do Dr. Gachet”, de 1890.

Os Comedores de Batatas. Imagem: Reprodução

Referências

https://www.vangoghmuseum.nl/en/vincents-life-and-work

Por Natália Petrin
Compartilhe nas redes sociais

TOPO