Dadaísmo

O Dadaísmo surgiu durante a Primeira Guerra Mundial como uma forma de resposta à sociedade através da arte.

Em que você pensa quando lê a palavra “Dadaísmo”? Nada? Essa palavra parece inventada? Pois era essa mesma a intenção dos seus criadores.

O Dadaísmo foi um movimento artístico e literário que começou em Zurique, na Suíça, em reação à Primeira Guerra Mundial e ao nacionalismo que muitos pensavam ter levado à guerra.

Influenciada por outros movimentos de vanguarda, a produção dadaísta foi muito diversificada, indo da arte performática à poesia, passando pela fotografia, escultura, pintura, colagem e literatura.

E, apesar de esse movimento ter acabado com o surgimento do Surrealismo, muitos dos mais importantes dadaístas se tornaram artistas surrealistas, e suas ideias são fundamentais para a arte moderna e contemporânea.

Contexto histórico do Dadaísmo

O Dadaísmo (ou simplesmente Dada) foi um movimento artístico e literário que começou na Europa enquanto a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918) ocorria.

Por causa da guerra, muitos artistas, intelectuais e escritores, especialmente os da França e da Alemanha, mudaram-se para a Suíça, que era um país neutro.

Porém, em vez de se sentirem aliviados por terem escapado dos horrores da guerra, ficaram furiosos com o que a sociedade havia se transformado.

Então, esse grupo decidiu mostrar seu protesto pelo meio artístico, criando o conceito de “não-arte”, já que acreditavam que a arte de qualquer maneira não tinha mais significado.

Há pouco acordo sobre como a palavra “Dada” foi inventada, mas uma das histórias mais comuns é que, em 1915, Tristan Tzara, um dos fundadores do movimento, encontrou essa palavra aleatoriamente em um dicionário.

Em francês, “dada” é um termo usado para “cavalinho de pau”, mas também remete às primeiras palavras de uma criança, e foram essas ideias de infantilidade e absurdo que o grupo de jovens artistas exilados na Suíça abraçou.

Assim, esses artistas (ou não-artistas) se voltaram para a criação de arte que poderia ter humor, ironia, sarcasmo, trocadilhos e que também incluía objetos do cotidiano.

Principais obras do Dadaísmo

Reunimos abaixo as obras mais importantes do Dadaísmo, confira:

A Fonte – Marcel Duchamp (1917)

Imagem: reprodução

L.H.O.O.Q, Monalisa com bigode – Marcel Duchamp (1919)

Imagem: reprodução

Corte com a faca de cozinha – Hannah Hoch (1919)

Imagem: reprodução

Cabeça Mecânica (O Espírito da Nossa Era) – Raoul Hausmann (1920)

Imagem: reprodução

O rouxinol chinês – Max Ersnt (1920)

Imagem: reprodução

Merz Picture 46 – Kurt Schwitters (1921)

Imagem: reprodução

O presente – Man Ray (1921)

Imagem: reprodução

Principais artistas do Dadaísmo

Que o Dadaísmo se manifestou nos mais diferentes tipos de arte você já sabe. Confira agora quem foram os principais nomes desse movimento e no que atuaram.

  • Marcel Duchamp: artista plástico e considerado o pai da arte “ready made”, que se utiliza de objetos industrializados para fazer arte.
  • Tristan Tzara: poeta e ensaísta
  • Hannah Hoch: artista plástica e fotógrafa. Uma das pioneiras da fotomontagem.
  • Man Ray: artista plástico e fotógrafo
  • Hans Arp: artista plástico e poeta
  • Sophie Tauber-Arp: artista plástica, designer têxtil e dançarina
  • George Grosz: desenhista e caricaturista
  • Raoul Hausmann: artista plástico e poeta
  • Emmy Hennings: titereira e poeta

Dadaísmo na literatura

O Dadaísmo da literatura se manifestou principalmente através do humor, irracionalidade e da forte carga emocional.

Dessa forma, as criações criavam harmonias entre o paradoxal e oposto. O próprio Tristan Tzara, de quem já falamos antes, escreveu em seu “Manifesto Dadaísta” (1918):

“Eu escrevo este manifesto para mostrar que as pessoas podem realizar ações contrárias juntas enquanto tomam um novo gole de ar; Sou contra a ação: por contradição contínua, por afirmação também, não sou nem a favor nem contra e não explico porque detesto o bom senso. Como tudo mais, Dada é inútil.”

Sobretudo, os autores dadaístas rejeitavam os padrões e valores culturais e, portanto, estavam insatisfeitos com as definições tradicionais do que a arte poderia ser.

Assim, o poeta francês Stéphane Mallarmé misturou e espalhou palavras pela página para criar poesia, usando imageticamente a escrita e influenciando autores que viriam a seguir, incluindo T.S Eliot e Ezra Pound.

Dadaísmo no Brasil

Aqui, o Dadaísmo foi sentido principalmente na literatura do movimento modernista que procurava romper com os antigos parâmetros da arte e seus significados.

Flávio de Carvalho, Manoel Bandeira e Mario de Andrade foram alguns dos mais importantes expoentes do modernismo brasileiro e que tanto em verso quanto prosa exibiram toda a influência dadaísta que haviam absorvido.

Esses autores souberam usar a liberdade dessa forma criativa defendida pelo movimento ao mesmo tempo em que construíam críticas a sociedade em que viviam, ou seja, assimilaram muito Dadaísmo, não acha?

Referências

História da Arte – Graça Proença
A História da Arte – E. H. Gombrich
Isto é arte? – Will Gomperz

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [IFB]

Esses dois célebres textos modernos dialogam com um manifesto lançado no início do século XX, na Europa, por ocasião das Vanguardas Europeias:

“Existe a ordem dos colegiais infantes que saem
das escolas de mãos dadas, dois a dois. Existe
uma ordem nos estudantes das escolas
superiores que descem uma escada de quatro
em quatro degraus, chocando-se lindamente.
Existe uma ordem, inda mais alta, na fúria
desencadeada dos elementos.”
(ANDRADE, Mário de. Prefácio Interessantíssimo. Poesias completas . Belo Horizonte: Villa Rica, 1993.)

“Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr.diretor.”
(BANDEIRA, Manuel. Poética. Estrela da vida inteira . Rio de Janeiro: José Olympio, 1990.)

Levando em conta o desejo de liberdade geral (interpretada nos dois textos citados), de irreverência e de ruptura total, com a história da tradição, qual é o movimento de Vanguarda que mais defendeu esses ideais?

A) Futurismo.

B) Surrealismo.

C) Expressionismo.

D) Dadaísmo.

E) Cubismo.

Resposta: D
Assim como estudamos, o Dadaísmo foi um movimento que na literatura se expressou através do humor sem deixar de se preocupar com as questões sociais.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO