Lógica Aristotélica

A lógica aristotélica funciona como uma ferramenta que favorece o raciocínio lógico a partir do exercício do pensamento e da linguagem.

A lógica aristotélica serve como ferramenta que favorece o exercício de linguagem e do pensamento. Ela difere-se da dialética platônica, que funciona como raciocínio direto vigorado ao pensamento e à linguagem.

Dessa maneira, a lógica aristotélica utilizará de características que possibilitarão a execução do discurso. Em suma, é uma forma de exercer o saber de conhecimento, constituído a partir da ciência da linguagem.

A lógica aristotélica terá como função sua aplicação de raciocínios direcionados a tudo o que é possível se extrair conhecimento universal. Por meio disso, será usufruído a fim de obter aquilo que considera-se necessário para constituição do conhecimento/noção universal.

Através do raciocínio, tal lógica partirá de princípios que coordenarão o pensamento. Sendo, portanto, válido ressaltar que trata-se de um instrumento de pensamento, e não uma teoria.

Não é prático, produtivo ou aplicável, mas à serviço da ciência como ponto de partida da ponderação. Ao obedecer os preceitos estipulados, as obras oriundas da lógica aristotélica são denominadas como Óragon.

lógica aristotélica
(Imagem: Reprodução)

As características da Lógica Aristotélica

A lógica aristotélica, dessa maneira, obedecerá algumas características fundamentais para iniciar as proposições. Entre elas:

  • Caráter Normativo;
  • Linguagem Formal;
  • Utilizada como Instrumento;
  • Preliminar, propenêutica e propositiva;
  • Doutrina de possível probatória;
  • Abrangente e atemporal;

Aristóteles entende que, fundamentalmente, a lógica parte sempre da proposição. Ela utilizará de linguagem com intuito de expressão dos juízos preliminares de formação do pensamento.

A proposição é interligada a um predicado e a um sujeito.

A proposição dentro da lógica

A proposição tem sua integração realizada por meio de elementos que são tidos como “termos”. Tais termos também são regidos por categorias, representando aquilo que é utilizado de modo a designar algo.

As dez categorias são:

  1. Paixão;
  2. Relação;
  3. Ação;
  4. Lugar;
  5. Tempo;
  6. Posse;
  7. Quantidade;
  8. Qualidade;
  9. Substância;
  10. Posição;

Tudo o que é feito está indicado em categorias; nestas categorias. Elas terão o papel de reflexo sobre a percepção, enquanto esta capta, de forma direta e imediata.

Qualquer categoria terá duas propriedades lógicas atribuídas, a de compreensão e a de extensão. Extensão define-se por constituição de coisas em conjunto a serem designadas através de um termo categórico.

Por outro lado, a compreensão é a representação do conjunto de propriedades a qual foi atribuído um específico termo ou como/porque essa categoria a designa.

Através da lógica aristotélica, o conceito de extensão do conjunto é invariável à compreensão. Dessa maneira, dentro da lógica proposta, quanto maior for a extensão atribuída a um conjunto, menos compreensão ter-se-á sobre ele.

Já seguindo o raciocínio inverso, a compreensão mais abrangente acerca de um conjunto trará uma menor extensão daquilo que se avalia. É um sentido comportamental de favorecimento a uma classificação dos seres em categorias de espécie, gênero e indivíduo, por exemplo.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [UFFS]

Com relação à lógica dita clássica, é incorreto afirmar:

a) O objeto da lógica é a proposição, que é a expressão dos juízos formulados pela razão humana

b) A lógica estuda e define as regras do raciocínio correto, porém não é de sua competência estabelecer os princípios que as proposições devem seguir.

c) Quando se atribui um predicado a um sujeito, temos uma proposição.

d) O raciocínio lógico se expressa através de proposições conectadas, e essa conexão chama-se silogismo.

e) Existem determinados princípios que toda proposição e todo silogismo devem seguir para serem considerados verdadeiros.

Resposta: B

Compartilhe nas redes sociais

TOPO