Tipos de climas do Brasil

Os tipos de climas do Brasil são percebidos como: Equatorial, Tropical, Tropical de Altitude, Tropical Atlântico, Semi-árido e Subtropical.

Afinal, o que é o clima e quais os tipos de climas do Brasil que são percebidos? A sucessão periódica do comportamento da atmosfera ao longo do ano repetindo-se por diversos anos (mais ou menos 30), em um ponto qualquer da superfície da Terra é considerada como um padrão climático.

Elementos que compõem o clima:

  • Latitude: Quanto mais nos afastarmos do Equador, menor a temperatura.
  • Altitude: Quanto mais alto estivermos menor será a temperatura. Isto porque o ar se torna rarefeito.
  • Massas de ar: Apresentam características particulares da região em que se originaram, como temperatura, pressão e umidade, e se deslocam pela superfície terrestre.

As massas de ar no Brasil

O Brasil sofre a influencia de cinco massas de ar, quatro de atuação constante:
mEc– Massa Equatorial Continental: Quente e úmida, com centro de origem na parte ocidental da Amazônia, domina a porção noroeste da Amazônia durante quase todo o ano.

mEa– Massa Equatorial Atlântica: Quente e úmida, dominando a parte litorânea da Amazônia e do Nordeste em alguns momentos do ano, tem seu centro de origem no Oceano Atlântico.

Imagem: Reprodução

mTc– Massa tropical Continental: Quente e seca, se origina na depressão do Chaco e abrange uma área de atuação muito limitada, permanecendo em sua região de origem durante quase todo o ano.

Mta– Massa Tropical Atlântica: Quente e úmida, originária do Oceano Atlântico, nas imediações do trópico de Capricórnio, exerce enorme influência sobre a parte litorânea do Brasil.

E uma de atuação apenas no inverno: mPa– Massa Polar Atlântica: Fria e úmida, forma-se nas porções do Oceano Atlântico próximas à Patagônia. Atua mais no inverno, quando entra no Brasil como uma frente fria, provocando chuvas e queda de temperatura.

Tipos de climas do Brasil

Clima Equatorial

Domina os cerca de 5 milhões de km² da Amazônia Legal. Que corresponde a Amazônia: Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, quase todo o estado do Pará (menos a porção sudeste), o noroeste do Maranhão e do Mato Grosso e parte de
Roraima.

Caracteriza-se por temperaturas médias entre 24ºC e 26ºC e sendo no mês mais frio superior a 18ºC , com amplitude térmica anual de até 3 graus, chuvas abundantes (mais de 2.500 mm/ano) e bem distribuídas.

A ação da massa equatorial continental (mEc) produz as chuvas locais (ou de convecção). No inverno, ocasionalmente, a região recebe frentes frias originárias da massa polar atlântica (mPa), ocasionando as friagens. A umidade atmosférica é elevada, geralmente superior a 80%.

Clima Tropical

O clima tropical abrange quase a totalidade da área correspondente ao planalto Brasileiro, domina extensas áreas do planalto Central e das regiões Nordeste e Sudeste.

Suas temperaturas são também elevadas, mas este tipo de clima se diferencia do equatorial por apresentar duas estações bem delimitadas pelas chuvas: Apresenta inverno quente e seco e verão quente e chuvoso.

As temperaturas médias são superiores a 20ºC, com amplitude térmica anual de até 7ºC e precipitações de 1.000 a 1.500 mm/ano.

Mais ao Nordeste, a estação seca vai se tornando mais longa, efetuando-se a transição para o clima semi-árido.

No litoral oriental do Nordeste (do Rio Grande do Norte até o litoral baiano), as chuvas tornam-se novamente abundantes, caindo predominantemente no outono e no inverno.

Por influência da latitude (mais alta) e do relevo, no Sudeste estas características sofrem algumas modificações, que dão origem ao clima tropical de altitude.

tipos de climas do Brasil
Os tipos de climas do Brasil representados visualmente. (Imagem: Reprodução)

Clima Tropical de Altitude

Corresponde às áreas mais altas do relevo brasileiro, representado elevações das serras do Mar e da Mantiqueira, assim como pelo planalto que se estende ao norte de São Paulo, sul de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

As médias mensais de temperatura que caracterizam este clima estão entre 18º e 22ºC, com amplitudes térmicas anuais de 7 a 9ºC e precipitações entre 1.000 e 1.500 mm/ano.

Não existem maiores diferenças entre o Clima Tropical de Altitude e o Tropical, pois os meses mais chuvosos, nas áreas de ocorrência deste tipo de clima, coincidem com a primavera e o verão (setembro a março) e os de estiagem, com o outono e inverno(abril a setembro).

O verão tem chuvas mais intensas, devido à ação úmida da massa tropical atlântica (mTa). No inverno, as massas frias originárias da massa polar atlântica (mPa) podem provocar geadas com temperaturas abaixo de 0ºC.

Clima Tropical Atlântico

Atua na fachada atlântica desde o sul do Rio Grande do Norte até o sul do Rio Grande do Sul. Temperaturas médias entre 18º e 26ºC, com amplitudes térmicas crescentes à medida que aumenta a latitude.

As chuvas abundantes superam 1.200 mm/ano, mas têm distribuição desigual nestes tipos de climas do Brasil. No litoral do Nordeste, concentram-se no outono e inverno e mais ao sul no verão.

Clima Semi-árido

O Clima Semi-árido caracteriza-se, predominantemente, pela escassez de chuva. Este tipo de clima domina o sertão nordestino.

Quando ocorrem anos normais as chuvas caídas no período próprio atendem às necessidades dos habitantes. A situação torna-se calamitosa apenas quando elas deixam de cair na época devida, prolongando-se assim a estação seca.

Alias, as estiagens anormais não ocorrem somente na área compreendida pelo sertão nordestino, mas abrangem também áreas mais distantes das influências do Clima Semi-árido.

Caracteriza-se por médias térmicas elevadas, em torno de 27ºC, com extremos, como Sobral, no Ceará, com uma média mensal de 28,9ºC (em dezembro). Amplitude térmica anual em torno de 5ºC. Chuvas poucas e irregulares (menos de 800 mm/ano).

Clima Subtropical

É um dos tipos de climas do Brasil em que ocorre na maior parte do planalto Meridional. Predomina na zona temperada ao sul do Trópico de Capricórnio, exceto no norte do Paraná.

Caracteriza-se por temperaturas médias inferiores a 18ºC, com amplitude térmica anual entre 9 e 13ºC. Nas áreas mais elevadas, o verão é suave e o inverno rigoroso, com geadas constantes e nevascas ocasionais. Muitas chuvas (entre 1.500 e 2.000 mm/ano) e bem distribuídas.

Referências

Climatologia – Alexandre Rosa dos Santos

Climas do Brasil – Bruno Peres

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [PUC]: Analise o gráfico de precipitação:

Assinale a alternativa que explica as diferenças de precipitação entre as cidades do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte.

a) A diminuição da precipitação nos meses de abril a setembro em Belo Horizonte é decorrência do aumento da atuação da massa de ar Equatorial Continental em Minas Gerais.

b) A maior ocorrência de precipitação nos meses de outubro a março em Belo Horizonte é consequência da atuação mais intensa, nesse período, da massa de ar Polar Atlântica.

c) As chuvas se distribuem com maior regularidade, ao longo do ano, no Rio de Janeiro devido à constante influência da massa de ar Tropical Atlântica nessa área do litoral.

d) A precipitação entre outubro e março no Rio de Janeiro é menor em comparação a Belo Horizonte, devido à densidade maior de edificações, fator que dificulta as precipitações.

e) A precipitação mais elevada entre outubro e março em Belo Horizonte decorre da atuação da massa de ar Tropical Continental, mais úmida que a massa Tropical Atlântica.

 

02. [PUC]:  Baseado no climograma e nas afirmativas abaixo, responda a questão:

I. Trata-se de um clima subtropical úmido com maiores concentrações pluviométricas no verão, superando os mil milímetros anuais.

II. Refere-se a um clima de baixa amplitude térmica, com grande pluviosidade anual.

III. Nas áreas em que predomina esse clima, é produzido trigo, com excelente produtividade.

IV. O clima representado é denominado de Equatorial, existindo nestas áreas uma vegetação do tipo hidrófila e latifoliada, combinando-se para a formação da Floresta Equatorial.

Estão corretas as afirmativas

A) I e III.

B) II e IV.

C) III e IV.

D) I, II e III.

E) I, II e IV.

01. [PUC]

Resposta: C

Apesar de ambas as localidades contarem com o clima Tropical, no Rio de Janeiro as chuvas são mais bem distribuídas em função da ação da continentalidade e de sua proximidade com a massa Tropical Atlântica.

 

02. [PUC]

Resposta:

I – FALSO – O clima subtropical caracteriza-se por temperaturas médias e baixas, com regime de chuvas bem distribuídas ao longo do ano.

II – VERDADEIRO – A amplitude térmica é a diferença entre a temperatura máxima e a mínima registrada num determinado período de tempo. O climograma apresenta médias de temperatura na faixa de 28 a 30° C, o que dá uma amplitude de 2°C durante um ano. Logo, a amplitude térmica é muito baixa. Pelo climograma, essa região apresenta grande pluviosidade, por volta de 1800 mm anual.

III – FALSO – O trigo é uma espécie vegetal adaptada a climas subtropicais úmidos. O climograma não representa o clima subtropical úmido.

IV – VERDADEIRO – O principal elemento que caracteriza o clima equatorial é sua temperatura elevada, com elevada pluviosidade. Além, é claro, da formação da Floresta Equatorial. No caso do Brasil, é o tipo de clima da Amazônia.

 

 

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO