Tectonismo

Hoje, a teoria das placas tectônicas é tida como um modelo cientificamente bem embasado para a dinâmica interna da Terra.

Tectonismo, também denominado diastrofismo, é um termo que descreve os fenômenos relacionados a todos os movimentos da crosta terrestre originários em processos tectônicos.

Produzido pelas forças do interior do planeta Terra, o tectonismo também inclui a formação de bacias oceânicas, continentes, planaltos e cordilheiras.

A teoria da Tectônica de Placas

Ao contrário do que se suponha no passado, a superfície do nosso planeta não é uma placa imóvel. Hoje, acredita-se que a litosfera (camada sólida mais externa do planeta, com 50 a 150 km de espessura) seja formada por um conjunto de aproximadamente 20 placas, que se movem na superfície terrestre e interagem umas com as outras, sob a influência das forças interiores do planeta.

A teoria da Tectônica de Placas foi construída ao longo de décadas (ou séculos) e, hoje, é tida como um modelo cientificamente bem embasado para a dinâmica interna da Terra.

Seis das sete maiores placas são predominantemente continentais, porém, a maior delas é a Placa Pacífica, que é oceânica. Existem também placas mistas, com parte continental e oceânica, como a que contém o território brasileiro.

De acordo com um dos princípios mais importantes da teoria da tectônica de placas, cada placa se movimenta como uma unidade distinta em relação às outras. A região interna das placas não sofre nenhuma deformação, no entanto, as suas bordas sofrem dos principais processos responsáveis por modelar a superfície terrestre, incluindo o vulcanismo, os movimentos orogênicos e os abalos sísmicos.

As placas e seus movimentos

Ilustração: Reprodução
Ilustração: Reprodução

As dimensões das placas variam bastante e as maiores apresentam área superior a 10 milhões de km². Dentre as placas mais importantes estão: a Placa Africana, Placa da Antártida, Placa Australiana, Placa Euroasiática, Placa do Pacífico, Placa Norte-americana e Placa Sul-americana.

O movimento e encontro das placas tectônicas podem ocorrem de três maneiras: convergente, divergente e transformante (ou conservativo).

Convergente

As placas tectônicas colidem entre si, ocorrendo processos de redução de suas dimensões. Neste tipo de movimento, em geral, a placa de maior densidade mergulha sob a outra, o que gera processos de fusão parcial da litosfera que mergulhou; o magma sobe para superfície e cria rochas ígneas.

Neste tipo de limite estão envolvidas as placas oceano-oceano, oceano-continente e continente-continente.

Um grande exemplo que ilustram as grandes feições morfológicas geradas na convergência entre placas tectônicas é a Cordilheira dos Andes, formada pela subducção da placa de Nazca sob a placa Sul-Americana.

Divergente

As placas se afastam e é formada uma nova litosfera oceânica.

“À medida que as placas se afastam, a espessura da litosfera se afina e o material da astenosfera quente abaixo dela tende a subir, o que produz uma ampla estrutura em arco, que é a própria cadeia mesoceânica.” (TEIXEIRA, p. 83)

Neste tipo de limite estão envolvidas as placas oceano-oceano e continente-continente.

Como consequência do arqueamento e afinamento da litosfera rígida, aparecem fraturas, falhas e vales profundos, paralelos ao eixo da cadeia de montanhas submarinas. Os terremotos rasos e vulcões são exemplos de fenômenos neste tipo de movimento de placas.

Transformante (conservativo)

As placas interagem por deslizamento lateral horizontal em direções opostas, ao longo de um sistema de falhas transformantes na crosta. Neste tipo de limite estão envolvidas as placas oceano-oceano e continente-continente.

O exemplo clássico de falha transformante – denominação dada a este tipo de estrutura – é a Falha de San Andreas, na região costeira da Califórnia.

Referências

Tectônica Global. Disponível em: http://midia.atp.usp.br/impressos/lic/modulo02/geologia_PLC0011/geologia_top04.pdf.
Tectonismo. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/mpef/mef004/20021/Marcelo/tectonismo.html.

Por Débora Silva
Teste seu conhecimento

1. [PUCMG] A teoria da Tectônica de Placas explica como a dinâmica interna da Terra é responsável pela estrutura da litosfera, sendo INCORRETO afirmar:
a) A litosfera é a parte rígida que compõe a crosta terrestre; é segmentada em placas que flutuam em várias direções sobre o manto.
b) O movimento das placas pode ser convergente ou divergente, aproximando-as ou afastando-as, ou ainda deslizando-as uma em relação à outra.
c) O tectonismo é responsável por fenômenos como formação de cadeias montanhosas, deriva dos continentes, expansão do assoalho oceânico, erupções vulcânicas e terremotos.
d) As placas continentais e oceânicas possuem semelhante composição mineralógica básica, uma vez que essas placas compõem a crosta terrestre.

2. [PUC-SP-2000] No século XX, muitas dúvidas sobre a estrutura de nosso planeta começaram a ser explicadas de forma convincente e sedutora. Uma das teorias mais importantes que vão nessa direção é a célebre teoria da deriva continental. Verificando que os contornos da América do Sul e da África correspondiam, Alfred Wegener, geofísico alemão, admitiu a hipótese de um continente único (Pangéia), no passado, que teria se dividido em duas partes, devido ao movimento de deslocamento das massas sólidas sobre massas líquidas.
Essa hipótese abre caminho para a teoria das placas tectônicas. Assim, juntando-se a teoria da deriva continental à teoria das placas tectônicas, temos o apoio explicativo para um conjunto de fenômenos de nosso planeta.
Assinale a alternativa incorreta.

A) A teoria da deriva continental ajuda, em muitos casos, a explicar as semelhanças e as diferenças de espécies animais e vegetais distribuídos nos cinco continentes do planeta.
B) A teoria das placas tectônicas explica a gênese dos dobramentos modernos (Andes, Montanhas Rochosas, Himalaia etc.), que teriam ocorrido a partir do choque dessas placas.
C) Apoiado na teoria das placas tectônicas, o entendimento da dinâmica dos terremotos se torna mais claro, assim como a identificação das áreas mais afeitas a essas ocorrências.
D) A divisão do continente único até a configuração atual modificou a distribuição das superfícies sólidas e líquidas do planeta, resultando em mudanças climáticas ao longo do tempo.
E) Os processos erosivos que esculpem os relevos, dando lhes as formas conhecidas no interior dos continentes, são explicados, fundamentalmente, com base na teoria das placas tectônicas.

1. [D]
2. [E]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO