Aurora Boreal

Aurora é um fenômeno ótico que produz um show de luzes coloridas, de brilho intenso e com diversos formatos nas regiões próximas aos polos.

Quando este fenômeno ocorre em regiões próximas ao polo norte é chamado de aurora boreal e quando ocorre no polo sul é chamado de aurora austral.

A aurora ocorre devido a colisão dos ventos solares, que carregam partículas do espaço, com a alta atmosfera da Terra, ionizando o ar, o que provoca a aurora.

A aurora não é um fenômeno estático pois, as luzes “dançam” no céu e as cores dependem da concentração de diferentes tipos de gases presentes na atmosfera.

Imagem: Reprodução

São mais frequentemente observados próximo dos equinócios; de setembro a outubro e março a abril. A magnetosfera é o escudo protetor formado pelo campo magnético da Terra que desvia as partículas altamente energizadas provenientes de tempestades solares para os polos, onde o campo é mais intenso.

Pode acontecer desta proteção pode não ser suficiente e haver interferência nos meios de comunicação (televisão, radares, telefonia, satélites) e sistemas eletrônicos diversos.

As auroras também já foram observadas em outros planetas próximos ao Sol, como Vênus, Marte, Saturno e Júpiter. A estação americana Amundsen-Scott, localizada na Antártida é considerada um dos melhores locais para se presenciar a Aurora Austral – E que em 1859 a atividade da Aurora Boreal foi tão forte que na cidade americana de Boston que era possível ler com a iluminação da mesma.

A atividade solar e a aurora

O sol distante a 150 milhões de quilômetros e com um volume de um milhão de vezes maior que a terra, possui seu diâmetro na casa de 1.392.000 quilômetros. Constituído em sua maior parte por gás Hélio e Hidrogênio, estes aquecidos a 6.000 graus na superfície solar liberam elétrons e formam o chamado “plasma”.

Já no interior do sol, em seu núcleo a temperatura chega a quinze milhões de graus permitindo a ocorrência de reação nuclear. Um cálculo aproximado evidencia que o sol converte em seu interior quatro milhões de toneladas em energia por segundo e gera uma média de energia em por volta de 3.860.000.000.000.000.000.000.000.000.000 watts.

Para gerar todas esta potencia ocorre muita atividade no interior e na superfície do sol, estas atividades oscilam em períodos com maior e menor intensidade. Freqüentemente ocorrem as chamadas “explosões solares” que lançam no espaço uma pequena parte de elétrons, energia subatômica e uma série de outras atividades.

Um dos ciclos que possuem interferência marcante na terra é o dos onze anos, conhecido como ciclo das manchas solares. Neste ciclo a cada onze anos a terra é bombardeada em maior intensidade por partículas que influenciam nas telecomunicações e nos aparelhos eletrônicos.

As partículas carregadas ao chegarem na terra sofrem influência do campo magnético terrestre e mudam sua trajetória acompanhando o sentido das linhas de força terrestres, concentrando-se principalmente nos polos e emitindo uma luz característica conhecida como Aurora Boreal.

Assim, a Aurora Boreal é um fenômeno que pode ser observado frequentemente próximo aos polos, tendo sua origem em partículas eletrizadas provenientes do sol.

Imagem: Reprodução

Entendendo o fenômeno

A faixa de frequência mais afetada pela tempestade solar está nas ondas curtas, estas se beneficiam da ionosfera para sua propagação e quando a tempestade chega é na ionosfera onde ocorre maior concentração de partículas.

Estas partículas eletrizadas podem gerar ruídos elétricos em toda a faixa de rádio, podendo aparecer em linhas telefônicas comuns e também em outros sistemas elétricos.

Através da radioastronomia, (estudo dos astros/espaço pela observação das frequências de rádio) é possível monitorar as estrelas, incluindo o sol.

Uma frequência bastante usada por astrônomos amadores é a de 137Mhz, é comum entre os estudiosos do assunto a modificação de rádios FM para a frequência acima na intenção de captar as emissões solares que ocorrem em grande quantidade nesta faixa de frequência.
Assim estes pesquisadores “escutam” o sol.

As ondas de rádio geradas pelos eventos solares levam entre oito a dez minutos para percorrer o espaço entre o sol e a terra, já os efeitos da eletrização ocorrem em várias horas depois das emissões, estes eventos são mais lentos demorando horas para chegar a terra.

Independente do ciclo de onze anos, diariamente a terra recebe interferências relacionadas aos eventos solares, porém em menor intensidade.

13 melhores lugares no mundo para ver a Aurora Boreal

1. Noruega: Os melhores lugares para assistir ao fenômeno por lá são as cidades de Tromsø e Ersfjorden.

Imagem: Reprodução

2. Suécia: A vila de Abisko e sua região montanhosa é o ponto ideal para acampar e esperar a aurora boreal chegar.

3. Finlândia: Por lá você terá diversas opções: a ponte Paatsjoki, região repleta de hotéis com tetos de vidro, na vila de Nellim, Muonio e Kilpisjarvi.

4. Islândia: A Islândia tem quase todo o seu território coberto pela aurora boreal. A Glacier Lagoon, em Jokulsarlon, é o local preferido dos fotógrafos, já que o fenômeno reflete no gelo do lago, deixando o cenário ainda mais perfeito.

5. Canadá: O acampamento Aurora Village, em Yellowknife, oferece cadeiras aquecidas para seus visitantes, pois as temperaturas costumam ser bem baixas na região.

6. Nova Zelândia: Você pode conhecer a Aurora Astral na Ilha Stewart. O Parque Nacional Rakiura é uma boa opção também, apesar das constantes chuvas. Alguns pontos isolados em Queenstown também oferecem uma boa vista.

Imagem: Reprodução

7. Alasca: O melhor ponto para ver a aurora boreal nos EUA é o Alasca. Em Fairbanks é onde tem o maior número de aparições. O povoado de Talkeetna, no Parque Nacional Denali e no Parque Nacional Kenai Fjords também são boas opções.

8. Ushuaia: Conhecido como “o fim do mundo” Ushuaia é o único lugar da América do Sul onde é possível assistir à aurora austral. A cidade argentina fica 17 horas na escuridão durante o inverno, facilitando ainda mais a visão deste fenômeno.

Imagem: Reprodução

9. Antártida: Apesar de ser a época mais perigosa e cara para viajar, o inverno da Antártida é recheado de auroras boreais e não é a toa, já que os polos terrestres são os melhores locais para assistir o fenômeno, porque o céu é mais limpo e as luzes são mais visíveis.

10. Groenlândia: Na cidade de Kangerlussuaq são 300 dias de céu limpo ideais para assistir ao evento e entre outubro e abril é a época que mais tem excursões para a região.

11. Escócia: Nas raras noites claras do inverno escocês, é possível assistir ao espetáculo da natureza em Aberdeen, a Ilha de Skye e as terras altas do norte.

12. Rússia: A península de Kola possui um inverno congelante, mas bem recompensado pela vista, pois está situada quase toda acima do Círculo Polar Ártico.

Imagem: Reprodução

13. Ilhas Faroe: A península de Kola possui um inverno congelante, mas bem recompensado pela vista, pois está situada quase toda acima do Círculo Polar Ártico.

Referências

http://www.abts.org.br/

https://www.viajali.com.br/

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Como referenciar este conteúdo

Bernardes, Luana. Aurora Boreal. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/geografia/aurora-boreal. Acesso em: 26 de August de 2021.

Teste seu conhecimento

01. [PUC-RJ]: O belo fenômeno ótico da Aurora boreal é comum no céu noturno das latitudes polares da Terra. Tal fenômeno, de grande apelo visual, é causado por contato:

A) dos ventos solares com o campo magnético do planeta.
B) da gravidade da Lua com a estação inverno no polo Norte.
C) dos raios solares com as águas congeladas das montanhas.
D) das massas de ar polares com os raios do sol da meia- noite.
E) das massas oceânicas frias com a radiação solar no inverno

02. [UP]: Dados os fenômenos naturais:

  1. arco-íris;

  2. halo solar;

  3. aurora boreal;

  4. miragem.

Assinale entre as alternativas a seguir em quais desses fenômenos citados acima ocorre a dispersão da luz branca.

a) 1 e 3 apenas

b) 2 e 4 apenas

c) 1 e 2 apenas

d) 2 e 3 apenas

e) 1, 2 e 3 apenas

01. [PUC-RJ]

Resposta: A

As auroras boreal e austral são fenômenos visuais que ocorrem nas regiões polares de nosso planeta. São luzes coloridas que aparecem no céu, à noite. Estes fenômenos ocorrem em função do contato dos ventos solares com o campo magnético do planeta Terra. Quando o fenômeno acontece em regiões próximas ao polo norte, denomina-se aurora boreal; no polo sul, tem-se a aurora austral. A aurora boreal pode surgir em vários formatos, tais como pontos luminosos, faixas no sentido horizontal ou circular; no entanto, sempre em formatos alinhados ao campo magnético terrestre.

 

02. [UP]

Resposta: C

Os fenômenos naturais em que ocorre a dispersão da luz branca são o arco-íris e o halo solar.

A miragem ocorre em razão da reflexão interna total da luz, e a aurora boreal forma-se pelo choque entre as partículas provenientes do Sol e os elementos da atmosfera.

 

Compartilhe

TOPO