Meningite

O termo meningite expressa a ocorrência de um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro.

A meningite pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus e fungos, dentre outros, e agentes não infecciosos.

As meningites de origem infecciosa, principalmente as causadas por bactérias e vírus, são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública, pela magnitude de sua ocorrência e potencial de produzir surtos.

É uma doença grave, de evolução rápida, cujo prognóstico depende fundamentalmente do diagnóstico precoce e da instituição imediata de tratamento adequado.

meningite
Imagem: Reprodução

Sinais e sintomas da meningite

  • Dor de cabeça é o principal sintoma da enfermidade (geralmente não cede com analgésico comum), associada com rigidez do pescoço.
  • Febre/Vômitos
  • Fotofobia.
  • Phonophobia – irritabilidade de tolerar ruídos altos.
  • Irritabilidade, convulsões, delírio
  • Falta de apetite
  • Rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele.

A mortalidade dessa doença chega a 10%, e é significativamente maior em crianças acima de 11 anos quando comparadas às menores de 11 anos.

Existem dois tipos mais comuns de meningites:

  • Viral – causada por qualquer vírus que chegue até as meninges (camadas que protegem o cérebro)
  • Bacteriana – ocasionada por bactérias, principalmente as Streptococcus pneumoniae (pneumococo), Neisseria meningitidis e Haemophilus influenzae.

Modo de transmissão

Em geral, a transmissão é de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções da nasofaringe.

Quando há o contato íntimo (residentes da mesma casa, pessoas que compartilham o mesmo dormitório ou alojamento, comunicantes de creche ou escola) ou contato direto com as secreções respiratórias do paciente.

A transmissão fecal-oral é de grande importância em infecções por enterovírus.

Os tipos de meningite observadas

Meningite viral

A transmissão viral é a mais comum das meningites.

A meningite viral pode ser causada por diversos tipos de vírus e é a forma mais comum e forma menos perigosa de meningite, pois muitas vezes nem exige tratamento.

Os vírus causadores podem ser transmitidos via alimentos, água e objetos contaminados e são mais comuns entre o fim do verão e o começo do outono.

Para a meningite viral muitas vezes o tratamento é dispensável, pois a doença costuma desaparecer sozinha após algumas semanas.

Geralmente, os únicos meios de terapia indicados pelo médico são repouso, ingestão de muita água e o uso de medicamentos para aliviar as dores. Em casos específicos, o médico pode receitar também um antiviral.

Meningite bacteriana

A bacteriana é a mais grave de todas. Ela ocorre geralmente quando a bactéria entra na corrente sanguínea e migra até o cérebro.

Pode acontecer, também, de a doença ser desencadeada após uma infecção no ouvido, fratura ou, mais raramente, após alguma cirurgia.

Mais de uma bactéria é responsável por essa forma da doença, entre elas: Streptococcus pneumoniae, Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae e a Listeria monocytogenes

Para casos de meningite bacteriana, o tratamento deve ser imediato por meio de antibióticos intravenosos e medicamentos de cortisona, para reduzir o risco de futuras complicações.

O antibiótico que o médico receitará depende do tipo de meningite que o paciente tem, ou seja, da bactéria causadora da doença.

Mesmo quando as causas da meningite não estão esclarecidas, os médicos podem ministrar medicamentos antivirais e antibióticos para o paciente, já que meningites causadas por vírus e bactérias são os tipos mais frequentes da doença.

Meningite fúngica

Já a meningite fúngica, apesar de ser a menos comum, pode levar ao quadro crônico da doença.

Às vezes seus efeitos podem ser similares ou até idênticos aos da bacteriana, por isso inspira cuidados, mas não é contagiosa de pessoa para pessoa.

Em casos mais raros ainda, essa meningite pode ser resultado de causas não-infecciosas, como reações químicas, alergia a alguns medicamentos e alguns tipos de câncer também.

Referências

Meningites – Ministério da Saúde
Meningite: Como eu trato? – UFC
Tipos de meningite – minhavida.com

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

Medidas de saneamento básico são fundamentais no processo de promoção de saúde e qualidade de vida da população. Muitas vezes, a falta de saneamento está relacionada com o aparecimento de várias doenças. Nesse contexto, um paciente dá entrada em um pronto atendimento relatando que há 30 dias teve contato com águas de enchente. Ainda informa que nesta localidade não há rede de esgoto e drenagem de águas pluviais e que a coleta de lixo é inadequada. Ele apresenta os seguintes sintomas: febre, dor de cabeça e dores musculares.

Disponível em: http://portal.saude.gov.br. Acesso em: 27 fev. 2012 (adaptado).

Relacionando os sintomas apresentados com as condições sanitárias da localidade, há indicações de que o paciente apresenta um caso de

a) difteria.

b) botulismo.

c) tuberculose.

d) leptospirose.

e) meningite meningocócica

Resposta: D
A leptospirose é uma doença transmitida pela urina de um animal contaminado, principalmente o rato. Ao ter contato com a urina do rato, que pode estar presente na água de enchentes, por exemplo, podemos contrair a doença.

2. [ESPM]

A leptospirose é uma doença que se alastra em situações de enchente porque, nesses casos, aumenta a:

a) contaminação do ar por bactérias que causam a doença.

b) contaminação do ar por vírus que causam a doença.

c) presença de caramujos que transmitem a doença.

d) contaminação da água pela urina de rato que transmite a doença.

e) proliferação de insetos que transmitem a doença.

Resposta: D
Leptospira interrogans é a bactéria responsável por causar a leptospirose e é liberada na urina de animais doentes. Em casos de enchentes, a população, que acaba tendo contato com água que pode ter sido contaminada por urina de animais, pode contrair a doença.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO