Hipertensão e hipotensão

Hipertensão e hipotensão são patologias que ocorrem de acordo com a pressão arterial.

Hipertensão e hipotensão estão relacionadas à pressão arterial. A pressão arterial é consequência da força que o sangue exerce contra as paredes das artérias para conseguir circular pelo corpo.

Dessa forma, quando o coração se contrai (sístole) para expulsar o sangue de seu interior, a pressão nas artérias atinge o valor máximo (pressão máxima ou sistólica).

Quando a musculatura cardíaca relaxa (diástole) para permitir que o sangue volte a encher suas cavidades, a pressão cai para seus valores mínimos: é a pressão mínima ou diastólica.

Hipertensão e hipotensão: conceito e diferenças

A hipertensão é caracterizada por um aumento patológico persistente da pressão arterial.

hipertensão e hipotensão
Imagem: Reprodução

Também conhecida como pressão alta, a hipertensão ocorre quando muito sangue está sendo bombeado para as artérias, o que pode causar condições de risco de vida, como doenças cardíacas e derrames.

A hipertensão é a doença cardiovascular muito comum. No entanto, as pessoas muitas vezes não percebem que têm hipertensão porque raramente apresentam sintomas.

A hipertensão arterial é comum em indivíduos com mais de 55 anos, com excesso de peso, inativos, fumantes e/ou que bebem álcool com frequência.

Principais sintomas da hipertensão

  • Dores de cabeça severas
  • Fadiga ou confusão mental
  • Problemas de visão (visão turva)
  • Dor no peito
  • Dificuldade ao respirar
  • Arritmia cardíaca

Hoje se considera que a pressão está bons níveis quando o valor de medição fica na faixa de 12 por 8 — ou, como preferem os especialistas, 120 por 80 milímetros de mercúrio (mmHg). Se o índice passou dos 14 por 9, ela é considerada alta.

A hipertensão aumenta o risco de desenvolver outras condições crônicas, incluindo colesterol alto, diabetes tipo 2, doença arterial coronariana, acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca.

Para tratar a hipertensão, algumas mudanças no estilo de vida são necessária, tais como uma dieta como menos sódio, exercícios físico regulares e menos consumo de cafeína, além de medicamentos com prescrição médica.

Hipotensão

Hipotensão arterial é a situação médica na qual existe uma diminuição dos valores da pressão arterial, acompanhada de sintomas decorrentes desta queda.

As causas da pressão arterial baixa podem variar de desidratação a graves distúrbios médicos ou cirúrgicos. A pressão arterial baixa significa que o sangue não está fluindo totalmente para o cérebro, artérias e órgãos.

Entretanto, a pressão arterial baixa crônica sem sintomas quase nunca é motivo de preocupação, a menos que a pressão sanguínea caia repentinamente e o cérebro seja privado de um suprimento sanguíneo adequado.

Principais sintomas da hipotensão

  • Tontura
  • Desmaio (síncope)
  • Náusea
  • Fadiga
  • Falta de concentração
  • Escurecimento ou visão desfocada
  • Fraqueza
  • Pele fria e pegajosa
  • Pele pálida

Embora não esteja totalmente claro o que causa a pressão arterial baixa, ela pode estar associada à idade, gravidez, problemas hormonais (hipotireoidismo, diabetes e baixa taxa de açúcar no sangue), alguns medicamentos, insuficiência cardíaca ou arritmias, alargamento dos vasos sanguíneos, exaustão pelo calor, insolação e até mesmo doenças hepáticas.

Para combater a hipotensão, existem algumas opções, incluindo medicamentos com prescrição médica, dieta mais rica em sal, hidratação com bebidas não-alcoólicas e fazer exercícios regularmente. Dessa forma, a hipertensão e hipotensão estão relacionadas à pressão arterial, porém com diferenças pontuais.

Referências

Hipertensão e Hipotensão Arterial – Paulo Machado
Pressão arterial – Drauzio Varella

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

Adolescentes: mais altos, gordos e preguiçosos

A oferta de produtos industrializados e a falta de tempo têm sua parcela de responsabilidade no aumento da silhueta dos jovens. “Os nossos hábitos alimentares, de modo geral, mudaram muito”, observa Vivian Ellinger, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), no Rio de Janeiro. Pesquisas mostram que, aqui no Brasil, estamos exagerando no sal e no açúcar, além de tomar pouco leite e comer menos frutas e feijão.

Outro pecado, velho conhecido de quem exibe excesso de gordura por causa da gula, surge como marca da nova geração: a preguiça. “Cem por cento das meninas que participam do Programa não praticavam nenhum esporte”, revela a psicóloga Cristina Freire, que monitora o desenvolvimento emocional das voluntárias.

Você provavelmente já sabe quais são as consequências de uma rotina sedentária e cheia de gordura. “E não é novidade que os obesos têm uma sobrevida menor”, acredita Claudia Cozer, endocrinologista da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Mas, se há cinco anos os estudos projetavam um futuro sombrio para os jovens, no cenário atual as doenças que viriam na velhice já são parte da rotina deles. “Os adolescentes já estão sofrendo com hipertensão e diabete”, exemplifica Claudia.

DESGUALDO, P. Revista Saúde. Disponível em: http://saude.abril.com.br. Acesso em: 28 jul. 2012 (adaptado).

Sobre a relação entre os hábitos da população adolescente e as suas condições de saúde, as informações apresentadas no texto indicam que

a) a falta de atividade física somada a uma alimentação nutricionalmente desequilibrada constituem fatores relacionados ao aparecimento de doenças crônicas entre os adolescentes.

b) a diminuição do consumo de alimentos fontes de carboidratos combinada com um maior consumo de alimentos ricos em proteínas contribuíram para o aumento da obesidade entre os adolescentes.

c) a maior participação dos alimentos industrializados e gordurosos na dieta da população adolescente tem tornado escasso o consumo de sais e açúcares, o que prejudica o equilíbrio metabólico.

d) a ocorrência de casos de hipertensão e diabetes entre os adolescentes advém das condições de alimentação, enquanto que na população adulta os fatores hereditários são preponderantes.

e) a prática regular de atividade física é um importante fator de controle da diabetes entre a população adolescente, por provocar um constante aumento da pressão arterial sistólica.

Resposta: A
A alternativa correta ratifica as causas que o texto aponta sobre a presença de doenças crônicas e obesidade entre os adolescentes, mencionando tanto os maus hábitos alimentares como a falta de atividade física devido à preguiça.

2. [FAAP]

Em relação à circulação humana, é incorreto afirmar:

a) Todo vaso que sai do coração é artéria.

b) Todo vaso que chega ao coração é veia.

c) Todo sangue que chega ao coração é sangue venoso.

d) O sangue rico em oxigênio é o arterial.

e) O sangue venoso passa do átrio direito para o ventrículo direito.

Resposta: C
Essa afirmação está errada, pois o sangue trazido dos pulmões pela veia pulmonar é um sangue rico em oxigênio, também chamado de sangue arterial.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO