Ebola

O Ebola é uma doença grave e fatal causada pela infecção com uma das espécies do vírus do Ebola, ainda sem tratamento adequado.

O Ebola (ou Ébola), anteriormente conhecido como febre hemorrágica Ebola, é uma doença grave e fatal causada pela infecção com uma das espécies do vírus homônimo. E pode provocar doenças humanos e primatas não-humanos (macacos, gorilas e chimpanzés).

Cientistas já descobriram cinco espécies do vírus. Quatro delas provocam doenças nos humanos, a quinta delas, provocou doenças em primatas não-humanos, mas não em humanos.

Os vírus Ebola estão presentes em vários países africanos. Sua descoberta é de 1976 perto do rio Ebola na atual República Democrática do Congo.

Responsável por mais de 2.000 mortos, o vírus já infectou pelo menos 4.000 pessoas desde que surgiu, no início de 2014, nos países africanos de Serra Leoa, da Guiné, Libéria e Nigéria.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou em 8 de agosto de 2014 um alerta decretando uma emergência de saúde pública de alcance mundial e convocou a comunidade internacional a se mobilizar contra a epidemia de Ebola no oeste da África.

ebola
Imagem: Reprodução

Desde então, ocorrem surtos esporádicos do vírus na África. Porém ainda se desconhece o real hospedeiro do vírus.

Entretanto, com base em provas e na natureza de vírus semelhantes, os cientistas acreditam que o vírus é veiculado por animais e que os morcegos são os hospedeiros mais prováveis.

Transmissão do Ebola

A doença é transmitida por contato direto (através de pele danificada ou membranas mucosas desprotegidas, como por exemplo, os olhos, nariz ou a boca), sangue ou fluidos corporais (tais como fezes, saliva, suor, urina, vômito, leite materno e sêmen), por objetos contaminados (como seringas e agulhas), e pelo contato com morcego-da-fruta ou primatas infectados.

Sinais e sintomas do Ebola

Uma pessoa infectada com o vírus não é contagiosa até apresentar sintomas da doença. Os sinais e sintomas da doença incluem:

  • febre
  • dores de cabeça fortes
  • fadiga
  • dores musculares
  • fraqueza
  • diarreia
  • vômitos
  • dores no estômago
  • hemorragias ou hematomas sem explicação

Diagnóstico e tratamento do Ebola

O diagnóstico em numa pessoa que foi infectada há poucos dias é difícil, uma vez que os primeiros sintomas, tais como febre, não são específicos do Ebola e podem ser confundidos com os sintomas de outras doenças, tais como malária e febre tifoide.

Contudo, se uma pessoa apresentar os primeiros sintomas do Ebola e existirem razões para acreditar que a hipótese de Ebola deve ser considerada, o paciente deve ser isolado e os profissionais de saúde avisados e podem ser recolhidas e analisadas amostras do paciente para confirmar a infecção.

O Ebola é um vírus altamente perigoso, pois, até o momento não existe tratamento que seja completamente comprovado. Assim, os sintomas e as complicações são tratados à medida que surgem.

As seguintes intervenções básicas, quando aplicadas a tempo, podem melhorar significativamente as hipóteses de sobrevivência:

  • Administração de fluidos intravenosos e eletrólitos;
  • Manutenção dos níveis de oxigênio e da tensão arterial;
  • Tratamento de outras infecções que possam surgir;

Porém, tratamentos experimentais estão sendo desenvolvidos para o Ebola, mas a sua segurança e eficácia ainda não foi plenamente testada.

Prevenção

Como ainda não existe uma vacina aprovada para o Ebola, ao se deslocar para uma zona afetada por um surto de Ebola, certifique-se de:

  • Lavar as mãos com sabonete e água ou com um desinfectante para as mãos com álcool.
  • Evite entrar em contato com sangue e outros fluidos corporais.
  • Não use objetos que possam ter estado em contato com o sangue ou fluidos corporais de uma pessoa infectada (tais como roupa, roupa de cama, agulhas e equipamento médico).
  • Evite funerais ou rituais fúnebres que envolvam o contato com o cadáver de alguém que morreu de Ebola.
  • Evite o contato com morcegos e primatas não-humanos ou com o sangue, fluidos e carne crua destes animais.
  • Evite unidades de saúde onde estejam sendo tratados pacientes com Ebola na África Ocidental.
  • Esteja atento à sua saúde durante 21 dias após o seu regresso e procure assistência médica imediatamente se exibir sintomas do Ebola.

Referências

Ebola: Vírus altamente contagioso impede o contato físico com pessoas infectadas – Médicos Sem Fronteiras
Ebola – Center for Disease Control and Prevention (CDC)

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [FATEC]

Os vírus são minúsculos “piratas” biológicos porque invadem as células, saqueiam seus nutrientes e utilizam as reações químicas das mesmas para se reproduzir. Logo em seguida os descendentes dos invasores transmitem-se a outras células, provocando danos devastadores. A estes danos, dá-se o nome de virose, como a raiva, a dengue hemorrágica, o sarampo, a gripe, etc. (Texto modificado do livro “PIRATAS DA CÉLULA”, de Andrew Scott.)

De acordo com o texto, é correto afirmar:

a) Os vírus utilizam o seu próprio metabolismo para destruir células, causando viroses.

b) Os vírus utilizam o DNA da célula hospedeira para produzir outros vírus.

c) Os vírus não têm metabolismo próprio.

d) As viroses resultam sempre das modificações genéticas da célula hospedeira.

e) As viroses são transcrições genéticas induzidas pelos vírus que degeneram a cromatina na célula hospedeira.

Resposta: C
Os vírus, por não possuírem metabolismo próprio, necessitam de uma célula para se reproduzir e, por isso, são chamados de parasitas intracelulares obrigatórios.

2. [UFRN]

Todos os vírus são constituídos por:

a) DNA e proteínas.

b) Aminoácidos e água.

c) Ácidos nucleicos e proteínas.

d) DNA e RNA.

e) RNA e proteínas.

Resposta: C
Todos os vírus possuem material genético (ácido nucleico= DNA ou RNA) envolvido por uma cápsula proteica.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO